Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Discursos > Discursos do Presidente da República > Discurso do Presidente da República, Michel Temer, durante cerimônia de Lançamento do Programa Nacional de Voluntariado - Brasília/DF

Discurso do Presidente da República, Michel Temer, durante cerimônia de Lançamento do Programa Nacional de Voluntariado - Brasília/DF

por Portal planalto publicado 28/08/2017 14h50, última modificação 28/08/2017 14h55

 

Palácio do Planalto-DF, 28 de agosto de 2017

    

Eu quero cumprimentar, em primeiro lugar, naturalmente, a Marcela,

Em seguida o ministro Eliseu Padilha, o Osmar Terra, o Sarney Filho, o Helder Barbalho, o Antônio Imbassahy, a Grace Maria Fernandes de Mendonça,

A senhora Márcia Rollemberg,

O prezado amigo, ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, presidente do Tribunal Superior do Trabalho,

O Paulo Caffarelli, presidente do Banco do Brasil,

Gilberto Occhi, presidente da Caixa,

O Marivaldo Gonçalves de Mello,

Wilson Ferreira Júnior, presidente da Eletrobras,

A senhoras e senhores membros do corpo diplomático,

O senhor Ricardo Medeiros, diretor presidente de Furnas,

O senhor Niky Fabiancic, representante do Pnud no Brasil,

O Milton Gonçalves,

Os amigos todos que estão aqui.

 

E dizer, em primeiro lugar, que eu quero dar os parabéns ao coro de crianças que cantou o Hino Nacional. Foi uma coisa bonita e emocionante.

Aliás, bonita e emocionante não só pela voz como é pela disciplina. Eu lembrei aquele momento em que surge o primeiro comando e o segundo comando eles agem coletivamente e de maneiro muito regular.

Uma coisa que nós precisamos muito no Brasil, trabalharmos mais disciplina, de modo que as crianças deram a todos nós, um exemplo maravilhoso de organização, disciplina e patriotismo.

Portanto, só está apresentação já nos fez ganhar o dia.

Portanto, meus cumprimentos, também, aos responsáveis pelo Programa Forças no Esporte.

Meus cumprimentos também aos homenageados no dia de hoje.

Até acho que nunca vi este salão em clima tão festivo, tão alegre, tão banhado em cidadania. Que a questão da solidariedade, dos voluntários que trabalham uns em benefício dos outros, na verdade, faz com que as pessoas façam reproduzir o que vai no seu coração, o que vai na sua alma. E quem é capaz de voluntariamente ajudar é porque tem um bom espírito. Tem uma alma extraordinária e acho que este sentimento, muito positivo, é que inundou esta sala.

E, portanto, eu quero registrar este fato que é muito significativo para mim, naturalmente para a Marcela e para todos, porque nós participamos de muitas solenidades aqui mas são, digamos assim, solenidades solenes. Com muita formalidade, tudo isso. Daqui eu vejo uma espontaneidade que é uma coisa que tipifica na verdade o trabalho voluntário, porque quem faz o trabalho voluntário está devolvendo à comunidade um pouco do que recebeu ao longo do tempo.

O fundamento de toda vida coletiva é a vontade de colaborar, de somar esforços, de manter acesa a chama da solidariedade. No momento em que muitas pessoas só pensam em si, praticar um ato como este, Padilha, Eliseu Padilha, e cumprimentos os companheiros da Casa Civil, como o presidente do PNUD, o representante do PNUD, que tiveram esta ideia. É bom relembrar, é bom comemorar, é bom enaltecer, é bom ressaltar o fenômeno da solidariedade. Porque se essas coisas ficam no ouvido, no esquecimento, as pessoas pouco a pouco também não dão mais importância ao fato.

Ou seja, agora, na medida em que os senhores e as senhoras, todos estão aqui, na medida em que a imprensa está registrando esse fato - e tenho absoluta convicção de que a imprensa dará muito relevo a este evento, por ele trazer precisamente a marca da solidariedade - eu acho que isto colabora muito com a sociedade brasileira. Porque afinal o trabalho  voluntário é um retorno a esse fundamento da solidariedade, ao que é essencial para avançarmos juntos como sociedade, como país.

Aliás, quando prego a pacificação nacional, é nisto que penso: brasileiros com brasileiros, ajudando uns aos outros e não brasileiros contra brasileiros.

Com o lançamento, portanto, deste Plano Nacional do Voluntariado, nós estamos colocando, Padilha, a força do trabalho voluntário a serviço de uma causa das mais meritórias. Na verdade, a realização, como foi dito aqui, dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, da chamada Agenda 2030, das Nações Unidas, que tem sido, aliás, essa agenda 2030, tem sido um norte para todas as reuniões internacionais, para grande maioria das reuniões internacionais de que tenho participado. Ainda amanhã, quando nos dirigirmos ao estado da China, um dos tópicos da nossa conversa será exatamente o enaltecimento da agenda 2030.

Portanto, esse Plano Nacional é iniciativa que vem expandir uma das marcas do nosso Governo, que é a abertura ao diálogo. Quanto mais dialogarmos, tanto melhor para o Brasil. Devo dizer que não se acredita, aqui, em trabalho solitário, mas em trabalho de equipe. Aliás, ministro Ives Gandra, o que o Padilha fez, senhora Márcia Rollemberg, neste momento em que organizou este evento, foi um trabalho de equipe. Ele estava me dizendo que exatamente foi um trabalho de algum tempo em que todos colaboraram para que nós chegássemos a comemoração deste dia do voluntariado. Por isso, que a boa decisão é aquela que se constrói depois de ouvir atentamente, de analisar sugestões, de aprender com a experiência de quem conhece. É uma lição que nós assimilamos em meus longos períodos de Parlamento brasileiro e que, graças à Deus, tenho aplicado dia após dia, no exercício da Presidência.

Nossa profissão de fé no diálogo tem trazido resultados em todos os domínios – e a implementação da Agenda 2030 não é exceção a esse critério. O modelo que todos adotamos tem como traço definidor uma articulação permanente entre a Presidência da República, os entes federativos, o Congresso Nacional e a sociedade civil. Irmanamo-nos todos na busca de um Brasil melhor. E agora, com esse estímulo ao voluntariado, estamos alimentando ainda mais o espaço para o engajamento de todos na Agenda 2030, como ressaltou até a Marcela na sua fala.

Portanto, eu quero manifestar mais uma vez meu reconhecimento ao ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, à sua equipe por todo seu empenho no Plano Nacional de Voluntariado. A medida reafirma, reitero, o compromisso do Brasil com a Agenda 2030 e traz um aporte crucial para que alcancemos os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.  

Portanto, ao cumprimentar a todos, ao nos regozijarmos por este evento, por esta solenidade, nós queremos que ele tenha uma repercussão tão grande, uma divulgação tão intensa aqui, os senhores e as senhoras, são de Brasília, são de outros estados, poderão pela sua voz, pela sua palavra, todos cantos e recantos, afirmar e reafirmar  a importância da solidariedade no País, a importância do voluntário, aquele que hoje se comemora muito adequadamente, em fase de uma lembrança da Organização das Nações Unidas e da nossa Casa Civil da Presidência da República.

Vamos ao trabalho voluntário.  

 

Ouça a íntegra do discurso (09min25s) do presidente Michel Temer