Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Discursos > Discursos do Presidente da República > Declaração à Imprensa do Presidente da República, Michel Temer, após Assinatura de Atos com o presidente da República Argentina, Mauricio Macri - Brasília/DF

Declaração à Imprensa do Presidente da República, Michel Temer, após Assinatura de Atos com o presidente da República Argentina, Mauricio Macri - Brasília/DF

por Portal Planalto publicado 07/02/2017 15h00, última modificação 07/02/2017 15h42

Palácio do Planalto, 07 de fevereiro de 2017

 

Quero cumprimentar a todos, especialmente o presidente Mauricio Macri, e dizer da extraordinária honra que temos por recebê-lo, e a sua comitiva.

Registro que o encontro de hoje consolida, na verdade, a retomada da tradição de encontros presidenciais entre o Brasil e a Argentina.

Ainda muito recentemente, estive visitando a Argentina, onde fui delicadamente recebido pelo presidente Macri e por todo seu governo.

Portanto, esse é o meu terceiro encontro com o presidente Macri, em um período de 6 meses.

Nós conversamos sobre o momento de especial convergência entre o Brasil e a Argentina, nós temos desafios semelhantes. A urgência do crescimento econômico e da geração de empregos.

Temos, também, convenhamos, modos semelhantes de enfrentar esses desafios, reformas ambiciosas e fortalecimento da competitividade.   

Aqui no Brasil, presidente Macri, eu tenho dito que o nosso governo é o governo das reformas. Nós temos sido ousados, mas, necessariamente ousados para fazer as reformas necessárias para o Brasil. Como tenho acompanhado também a mesma coragem cívica e governamental, por que Vossa Excelência tem promovido as reformas na Argentina.

Devo dizer que concordamos que é preciso aproveitar a atual convergência entre nossos países em favor de brasileiros e argentinos. Quero até registrar que, na semana passada, já no contexto da preparação do nosso encontro, e vejam a importância desse encontro. Antes dele, praticamente sem representantes dos nossos governos, 50 de lado a lado, se reuniram por dois dias para tratar dos temas da nossa densa agenda econômico/comercial. Parte dos resultados que alcançaram está refletida no comunicado conjunto que emitimos hoje.

Ficou claro, claríssimo, que não há tabus nas relações do Brasil e Argentina.  Não há questões que, por complexas que sejam, não possam ser tratadas e encaminhadas e solucionadas.

 E devo dizer até que nessa reunião, nós buscamos resultados concretos. Aliás, quando falei ao telefone com o senhor presidente Macri, para mais uma vez reiterar o convite para sua vinda ao Brasil, muito objetivamente sua excelência me disse: Olhe, vamos tentar apresentar resultados concretos. E é exata e precisamente o que está acontecendo no dia de hoje.        

Nossos ministros assinaram, agora, acordos para atendimento a comunidade fronteiristas. Um tema que angustia o Brasil, mas angustia todos os países que fazem fronteira com o Brasil.

As principais decisões tomadas em nosso encontro estão sendo consolidadas em um documento. Um plano de ação que será objeto, será objeto de acompanhamento atento por nossos ministros. Não haverá, digamos assim, dispersão de esforços.

Eu ressalto os avanços nos nossos entendimentos, sobre cooperação regulatória. Para tornar mais fluídos os fluxos de comércio e de investimentos, temos que reduzir e é o que foi debatido, temos que reduzir ao mínimo as barreiras técnicas, sanitárias e fitosanitárias.

Avançamos, ainda, em temas como puderam perceber, como segurança das fronteiras e aprimoramento da nossa integração física. Por exemplo, estamos modernizando a hidrovia Paraguai-Paraná.

O presidente Macri também está no Brasil como presidente pro tempore do Mercosul. E daí porque, muitas matérias referentes ao Mercosul, também foram tratadas neste nosso encontro. E acho que até avançamos substancialmente. Que não apenas falamos naquilo que reiteradamente se fala, do acordo Mercosul - União Europeia, como levantamos o tema de uma integração cada vez maior da América Latina, no particular, América do Sul, México, inclusive, para fazermos uma relação mais próxima do Mercosul e aliança para o Pacífico.

E foi assim que nós tratamos dessa matéria. E coincidimos, também, promover a eliminação de obstáculos ao comércio que persistem no espaço do Mercosul. E, evidentemente, que nesse espaço Mercosul, nós temos progredido muito. Nas negociações de um acordo de investimentos  e de compras governamentais . Aliás, acabei durante a reunião de saudar mais uma vez o presidente Macri, pelo impulso que ele deu ao próprio Mercosul neste seu período de presidência pro tempore. Já que no próximo semestre essa presidência caberá ao Brasil e nós queremos juntos continuar a trabalhar, não só agora, mas também no próximo semestre.

          De modo que, diante de um mundo de tantas e tamanhas incertezas, a resposta do Brasil e da Argentina como fruto desse encontro é mais e mais cooperação e integração.

          Muito obrigado ao presidente Macri.

 

Ouça a íntegra da declaração (06min41s) do presidente.