Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Discursos > Discursos do Presidente da República > Brinde do Presidente da República, Michel Temer, durante almoço oferecido ao Presidente da República Argentina, Mauricio Macri - Palácio Itamaraty

Brinde do Presidente da República, Michel Temer, durante almoço oferecido ao Presidente da República Argentina, Mauricio Macri - Palácio Itamaraty

por Portal Planalto publicado 07/02/2017 15h26, última modificação 07/02/2017 15h26

Palácio Itamaraty, 07 de fevereiro de 2016

 

 

Quero cumprimentar a todos, deputados, senadores. São muitos também presentes presidente, presidente Macri, a revelar a importância da sua visita e o carinho que os brasileiros têm com a Argentina.

Senhores representantes da igreja,

Senhoras e senhores parlamentares federais,

Senhoras e senhores,

 

Eu tenho o prazer, já falamos muitas vezes hoje, mas tenho o prazer de reiterar ao presidente Macri e à sua expressiva comitiva as nossas mais calorosas boas-vindas.

Eu quero e nós todos queremos, presidente, que o senhor e toda a sua comitiva se sinta tão bem acolhido aqui quanto eu me senti em Olivos em outubro último, quando estive na Argentina. Saiba que é para mim, pessoalmente, até, uma grande honra recebê-lo nesta visita de Estado.

Ao longo das décadas, Argentina e Brasil construíram a sua própria memória comum. As recordações de nossa história traduzem-se em palavras que mais do que parte integrante do nosso discurso, nós incorporamos no nosso cotidiano.

Nas relações Brasil-Argentina, senhor presidente, expressões como: destino comum, aliança estratégica ou integração econômica, encontram manifestação concreta. Tem longa linhagem de que somos guardiões, evocam a visão de um futuro que agora nos cabe exatamente escrever.

Há décadas, senhor presidente Macri, dois estadistas dos nossos países, o presidente Raúl Alfonsín e o presidente José Sarney, que nos honra com a sua presença, iniciaram um processo lapidar de aproximação sob signos importantíssimos. Os signos da democracia, dos direitos humanos e do livre mercado.

A partir daí, nossos governos e sociedades lançaram as bases de um entendimento duradouro, calcado na confiança mútua e na convicção de que o nosso caminho é um caminho compartilhado. Como aliás, presidente Collor, acabamos de verificar e praticar, senador Eunício, no dia de hoje,  na nossa reunião. Eu falo, portanto de ontem com os olhos no amanhã. Um amanhã que depende do resgate da vocação original de nossa aliança. Da vocação original de nossa integração, da vocação original do Mercosul, que nos cumpre presidir ao longo deste ano, neste semestre, vossa excelência, no semestre que vem o Brasil.

E interessante que hoje ainda, senhores e senhoras, na reunião que mantivemos com o presidente Macri e sua comitiva, avançamos bastante na tese da universalização das nossas relações diplomáticas, Brasil-Argentina. Propondo, até - coincidimos até na proposta - de nos integrarmos, integrar o Mercosul com a Aliança do Pacífico, com os países, portanto, da América do Sul, México, que é uma aliança importante para todos nós.

Eu constato que essa coesão não é restrita aos nossos governos. Que nossos empresários, nossos trabalhadores, nossos estudantes, estão engajados nessa obra coletiva, que é a prosperidade comum de Argentina e Brasil.

Aliás, traço adicional que nos une hoje é a convicção de que é preciso agir, não basta enaltecer o passado. É tempo de convergência pragmática, que nos faz avançar naquilo que é essencial. É tempo de ampliar o comércio, ampliar os investimentos, ampliar oportunidades para argentinos e brasileiros, já que a esta altura, não há tabus na relação Brasil- Argentina.

E é esse espírito de realização, esse sentido de responsabilidade, esse compromisso com resultados, que fortalecerá nossa parceria. Parceria que é, presidente Macri, tanto mais importante no mundo em que vivemos. No momento em que ganham força, tendências de desunião, isolamento e protecionismo, Argentina e Brasil respondem com mais aproximação, com mais diálogo, com mais comércio. Respondem, sobretudo, com uma só voz.

Senhor presidente,

A liderança agregadora de vossa excelência neste panorama de incertezas, devo dizer, é motivo de nossa admiração e de nosso reconhecimento. Aliás, sentimentos que faço questão de expressar, por singelos gestos de homenagem ao conferir-lhe o grande Colar da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, a mais alta honraria brasileira outorgada a Chefe de Estado estrangeiro.

Portanto, para celebrar a amizade que irmana Argentina e Brasil, eu quero levantar, ou propor dois brindes. O primeiro, se me permite a intimidade, em comemoração antecipada do aniversário do meu prezado amigo Mauricio Macri, no dia de amanhã. Em nome de todos os brasileiros, meus afetuosos parabéns, muitas alegrias e continuadas realizações.

O segundo brinde é pelo progresso da nação Argentina, pela felicidade desse povo irmão, pela amizade fraternal que nos une.

Saúde, portanto.

 

 Ouça a íntegra (07min24s) do brinde do Presidente Michel Temer