Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Discursos > Discursos do Presidente da República > Brinde do Presidente da República, Michel Temer, durante Almoço em homenagem ao senhor Evo Morales, Presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, oferecido pelo senhor Presidente da República - Brasília/DF

Brinde do Presidente da República, Michel Temer, durante Almoço em homenagem ao senhor Evo Morales, Presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, oferecido pelo senhor Presidente da República - Brasília/DF

por Portal Planalto publicado 05/12/2017 16h10, última modificação 05/12/2017 16h17

 

Brasília/DF, 05 de dezembro de 2017

 

 

Eu quero cumprimentar o presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, Evo Morales,

Cumprimento o eminente senador Eunício Oliveira, presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional,

O eminente governador Rodrigo Rollemberg, do Distrito Federal,

Senhores e senhoras, ministros de Estado, parlamentares, integrantes das delegações da Bolívia e do Brasil.

 

Eu quero, mais uma vez, cumprimentando a todos, estender nossas boas-vindas ao presidente Evo Morales e à sua delegação.

Sabidamente, o Brasil e a Bolívia compartilham não apenas uma extensa fronteira, mas nós somos unidos também por fortes vínculos históricos e humanos. Nossa parceria sempre teve e tem um sentido de longo prazo. Ela está alicerçada na amizade entre nossos povos e interesses comuns. Como, aliás, podemos verificar agora na reunião que acabamos de ter.

Diálogo e respeito mútuo trazem sempre resultados muito positivos. E é o que demonstra a recente evolução das relações do Brasil e da Bolívia e, particularmente, é o que representa a visita de vossa excelência.

Aproveito para cumprimentar o Reinaldo Azambuja, governador do Mato Grosso do Sul.

Ao longo dos últimos meses, nós avançamos muitíssimo em nossa cooperação contra o crime organizado. A própria criação do Gabinete Binacional de Segurança tem ampliado a nossa capacidade de atuar conjuntamente na luta contra esta matéria que preocupa brasileiros e bolivianos.

Aliás, hoje, o presidente Morales e eu testemunhamos a assinatura de um instrumento que fortalece nossa cooperação na área policial. Nós renovamos o nosso compromisso em trabalhar de forma ainda mais coordenada pela segurança nas nossas fronteiras.

E a segurança nas nossas fronteiras, senhor presidente Evo Morales, é sinônimo de segurança nas nossas cidades, de tranquilidade para todos os nossos cidadãos.

Também registro que a integração da estrutura física é fundamental para os nossos países. Daí, porque tivemos o gosto de celebrar há pouco um memorando sobre o corredor ferroviário bioceânico, conectado às malhas rodoviárias em nossa região, facilita o escoamento de nossos produtos. Gera comércio, empregos, prosperidade.

A integração energética, assunto sobre o qual conversamos, também é igualmente significativa para o desenvolvimento de nossos países. Eu vejo, portanto, com extraordinária satisfação, que estamos progredindo na análise do potencial de uso conjunto de nossos abundantes recursos hídricos.

Senhor presidente Evo Morales, vossa excelência visita o Brasil em momento de profundas transformações. Nós estamos em diálogo intenso com o Congresso Nacional e com a sociedade a respeito da adequação de nossas regras previdenciárias.

Até peço licença, presidente Evo Morales, que eu estou tendo a oportunidade de manifestar agora também para a imprensa brasileira, o que farei também mais uma vez hoje à noite, eu peço licença para dizer que essa é uma questão fundamental para todos os brasileiros.

E só para fazer um brevíssimo relato para registro de imprensa, o ponto central da reforma da Previdência é estabelecer a idade mínima de aposentadoria em 65 anos, para homens, e 62, para as mulheres.

Mas eu quero ressaltar, enfatizar, até enaltecer o fato de que, hoje, a aposentadoria de dá com 55 anos para o homem e 53 anos para as mulheres. E eu digo isso porque, muitas vezes, quando se fala, senhores, que a aposentadoria é de 65 anos, a divulgação equivocada é que é para amanhã, e não é para amanhã. 65 anos é para daqui a 20 anos. Ou seja, senhor presidente, começa hoje com 55 anos e, a cada 2 anos, aumenta 1 ano.

Portanto, uma transição extremamente suave para não agredir eventuais desejos e direitos de brasileiros.

Como, de resto, eu quero ressaltar aqui, tomo a liberdade de fazê-lo, que, naturalmente, aqueles que já completaram o seu tempo de aposentadoria, aqueles, portanto, que já adquiriram o direito, não precisam apressar-se para aposentar-se, porque já têm o seu direito assegurado.

Eu digo isso porque, de vez em quando, espalham: “Olhe, vão tomar a sua aposentadoria, vão tirar a sua aposentadoria”, é um terrorismo inadequado. E um terrorismo inadequado, pelo terrorismo administrativo inadequado, porque a essência da reforma, este é outro ponto fundamental, é combater privilégios.

Hoje, o sistema previdenciário brasileiro transfere renda dos mais pobres para os mais ricos. Nós estamos fazendo algo em favor dos pobres, mais de 65 [%], 70% da população brasileira, senhor presidente Evo Morales, recebe de um a dois salários mínimos, três salários mínimos no máximo, não tem alteração nenhuma em relação a essa aposentadoria.

Então, hoje, eu vejo que na sociedade, na imprensa, eu estou contanto, nós estamos contando com muito apoio para a reforma. Portanto, juntos nós continuaremos a trabalhar por um Brasil melhor para todos.

Mas eu quero especialmente saudar a sua presença, saudar a presença da sua comitiva e para fazê-los, simbolicamente, eu quero erguer um brinde em homenagem ao presidente Evo Morales e aos amigos bolivianos.

 

 

Ouça a íntegra do brinde (7min24s) do Presidente Michel Temer