Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Releases > Presidenta Dilma participa da cerimônia de lançamento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

Presidenta Dilma participa da cerimônia de lançamento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

por Portal do Planalto publicado 08/11/2012 10h26, última modificação 21/10/2013 17h06

 

Nesta quinta-feira (8/11), a presidenta da República, Dilma Rousseff, participa do lançamento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. A solenidade acontece às 11 horas, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

Segundo o Ministério da Educação (MEC), o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa tem como objetivo a plena alfabetização de cerca de 8 milhões de crianças até os oito anos de idade ao final do 3º ano do ensino fundamental. O compromisso é um esforço coordenado entre o governo federal, os estados, os municípios e o Distrito Federal, com acordo já firmado com todas as secretarias estaduais de educação e 5.270 municípios.

Ao assinarem o pacto, os entes governamentais se comprometem a alfabetizar todas as crianças em Língua Portuguesa e em Matemática; realizar avaliações – além das realizadas pelo Inep – junto aos alunos do ciclo de alfabetização; e, no caso dos estados, oferecer apoio ao municípios que tenham aderido ao pacto para sua efetiva implementação. Essas ações dos estados e municípios serão monitoradas pelo MEC por meio de um sistema de gerenciamento, acompanhamento e controle.

De acordo com o MEC, uma das principais ações do pacto é a formação continuada de 360 mil professores alfabetizadores, que farão cursos durante dois anos (ênfase em linguagem e matemática) e receberão bolsa para essa capacitação. Os professores poderão realizar os cursos no próprio município de trabalho e sua formação será supervisionada por 18 mil orientadores de estudo, capacitados em 34 universidades públicas brasileiras.

Outras ações do projeto são a distribuição de 26,5 milhões de livros didáticos para as escolas de ensino regular e campo, de 4,6 milhões de dicionários, de 10,7 milhões de obras de literatura, de 17,3 milhões de livros paradidáticos, além da construção de uma biblioteca em cada sala de alfabetização para incentivar a vivência dos alunos entre os livros.

  

Mais informações
Assessoria de imprensa
Ministério da Educação
(61) 2022-7530 / 7540