Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Releases > Presidenta Dilma participa da cerimônia de anúncio da implantação do Terminal de Regaseificação de GNL da Bahia

Presidenta Dilma participa da cerimônia de anúncio da implantação do Terminal de Regaseificação de GNL da Bahia

por Portal do Planalto publicado 29/06/2011 15h25, última modificação 21/10/2013 17h06
Na ocasião, será assinado Protocolo de Intenções entre Petrobras e o governo do estado da Bahia

A presidenta da República Dilma Rousseff participa, nesta terça-feira (1/3), a partir das 16h30, da cerimônia de anúncio da implantação do Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL) da Bahia (TRBA), em Salvador (BA). Na ocasião, será assinado o Protocolo de Intenções entre a Petrobras e o governo do estado da Bahia com o objetivo de definir ações a serem tomadas pelas partes que propiciarão as condições para a implantação deste terminal.

A construção do TRBA vai assegurar a injeção de gás natural no maior estado consumidor desse combustível do Nordeste. Integrante do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a obra começará em março de 2012 e será concluída em agosto de 2013. De acordo com a Petrobras, será feito um investimento de US$ 706 milhões, que vai gerar 850 empregos diretos e 2.400 indiretos.

Hoje, o país já conta com os terminais de Gás Natural Liquefeito (GNL) de Pecém (CE) e da Baía de Guanabara (RJ). A partir de setembro de 2013, quando o TRBA entrar em operação, o Brasil terá capacidade de regaseificar 35 milhões m³/dia, volume maior que os 31 milhões m³/dia de gás natural importados da Bolívia.

O Terminal de Regaseificação da Bahia (TRBA) será instalado na Baía de Todos os Santos, a 4 km a oeste da Ilha do Frade, e se interligará com a malha de gasodutos em dois pontos: o primeiro na malha da Bahia, em Candeias, e o segundo na altura do quilômetro 910 do Gasoduto Cacimbas-Catu (Gascac), trecho do Gasoduto Sudeste-Nordeste (Gasene), inaugurado em março de 2010. A implantação neste local agregará flexibilidade e confiabilidade à operação da malha de gasodutos – que atingiu 9.634 km em 2010 e integra as regiões Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste – e possibilitará, inclusive, a exportação para a Região Sudeste, se necessário.

Segurança – Assim como nos terminais de Pecém e da Baía de Guanabara, a Petrobras adotará no TRBA medidas adicionais de segurança, como um sistema de inteligência que integrará todo o terminal. Esse sistema é capaz de fazer a interrupção completa da transferência tanto de GNL entre os navios, como de gás natural do navio regaseificador para o gasoduto a qualquer sinal de anormalidade.

Mais informações
Assessorias de imprensa
Petrobras (21) 3224-1306