Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Releases > Presidenta Dilma inaugura a Ponte Rio Negro, que liga Manaus a Iranduba, no estado do Amazonas

Presidenta Dilma inaugura a Ponte Rio Negro, que liga Manaus a Iranduba, no estado do Amazonas

por Portal do Planalto publicado 24/10/2011 10h19, última modificação 21/10/2013 17h06
A ponte é considerada a maior estaiada do Brasil em águas fluviais, com trechos de 400 metros com cabos suspensos, e a segunda maior do mundo, com 3.595 metros de extensão

 

Nesta segunda-feira (24/10), às 10h15 (horário local), a presidenta da República, Dilma Rousseff, participa da cerimônia de inauguração da Ponte Rio Negro, que liga Manaus ao município de Iranduba, distante 27 Km da capital do Amazonas. A ponte é considerada a maior estaiada do Brasil em águas fluviais, com trechos de 400 metros com cabos suspensos, e a segunda maior do mundo, com 3.595 metros de extensão.

De acordo com o governo do estado do Amazonas, com investimento de R$ 1,099 bilhão (R$ 586 milhões do BNDES e 513 milhões do governo estadual), a Ponte Rio Negro vai permitir maior integração entre a Região Metropolitana de Manaus (RMM) e demais regiões como Purus e Médio e Alto Solimões. Dos 30 municípios que devem ser beneficiados com a nova obra, oito deles, com cerca de dois milhões de habitantes, compreendem a RMM.

Além da ponte, o investimento contempla obras complementares, como a construção de 7,4 km de acessos viários do lado de Manaus e Iranduba, a implantação do sistema de proteção dos pilares contra choque de embarcações, o sistema de sinalização náutica e o sistema de iluminação da ponte e dos acessos.

Segundo informações do governo do Amazonas, a ponte, que tem 185 metros de altura, permite navegação com gabarito de 55 metros, na época de cheias do rio, e até 70 metros, na época de seca. A estrutura possui quatro vias de acesso, sendo duas em cada sentido, além de faixas de passeio para pedestres.

O governo estadual identificou que a região, ligada por via fluvial, apresenta deficiência de logística para escoar a produção de suas atividades econômicas como o extrativismo, a piscicultura, a produção de hortaliças, a agropecuária, o polo de cerâmica (60% em Iranduba) e o turismo. A área beneficiada pela construção da ponte possui ainda potencial para a construção naval, extrativismo de juta e malva e avicultura. A inauguração da ponte deve solucionar essa questão.

A expectativa é de que a nova obra gere uma série de melhorias para a região, tais como a facilitação do escoamento de produção e transporte de pessoas, além do desenvolvimento socioeconômico para o interior. Além disso, está prevista a instalação de 5,5 km de cabos de fibra ótica, o que viabilizará o acesso à internet banda larga pela população do outro lado do Rio Negro.

 

Mais informações
Assessoria de imprensa
Governo do estado do Amazonas (92) 3303-8369

registrado em:
Assunto(s): Governo federal