Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Releases > Em Uberaba, Petrobras e governo de Minas Gerais anunciam construção de fábrica de amônia

Em Uberaba, Petrobras e governo de Minas Gerais anunciam construção de fábrica de amônia

por Portal do Planalto publicado 29/06/2011 14h21, última modificação 21/10/2013 17h06
Presidenta Dilma Rousseff participa da cerimônia de assinatura do Protocolo de Intenções entre Petrobras, Governo de Minas Gerais e Cemig para construção de fábrica de amônia em MG e estudos sobre a viabilização econômica de um gasoduto entre SP e MG

Nesta quinta-feira (17/3), às 10h30, a presidenta da República, Dilma Rousseff, participa da cerimônia de assinatura do Protocolo de Intenções entre a Petrobras, o Governo do Estado de Minas Gerais e a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) para a construção de uma fábrica de amônia em Uberaba (MG), e para estudos sobre a viabilização econômica de um gasoduto entre São Carlos (SP) e Uberaba, que servirá para o abastecimento da nova fábrica. O evento acontece no Centro de Eventos ABCZ Rômulo Kardec de Camargos, em Uberaba.

Segundo a Petrobras, o projeto da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados V (UFN V) terá capacidade de produzir cerca de 519 mil toneladas por ano de amônia, o que tornará a região do Triângulo Mineiro - principal pólo de fertilizantes fosfatados do país - autossuficiente em amônia. Além disso, a fábrica atenderá também às demandas dos estados do Mato Grosso, Goiás e de parte de São Paulo.

Ainda de acordo com a Petrobras, a construção da UFN V, que tem previsão para início das obras em fevereiro do próximo ano, demandará um investimento de R$ 2,4 bilhões. Durante a construção da fábrica de amônia está prevista a geração de 5000 empregos, o que movimentará a economia local.

Um dos objetivos do projeto é reduzir a necessidade de importação de amônia, matéria-prima para a produção de mono-amônio fosfato (MAP) no Polo de Uberaba. Com a redução do volume de importação, a capacidade portuária e a infraestrutura do porto de Santos poderá ser utilizada para a exportação e importação de outros produtos importantes para o país. Atualmente a amônia é importada de Trinidad e Tobago e Venezuela.

Mais informações
Assessoria de imprensa
Petrobras (21) 3224-1306