Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Releases > Em Rondônia, a presidenta Dilma participa da operação de início do desvio do rio Madeira para a usina hidrelétrica de Santo Antônio

Em Rondônia, a presidenta Dilma participa da operação de início do desvio do rio Madeira para a usina hidrelétrica de Santo Antônio

por Portal do Planalto publicado 09/08/2011 11h37, última modificação 21/10/2013 17h06
Segundo a Eletrobras Furnas, com a operação de desvio será iniciado o processo de enchimento gradual do reservatório e também da construção da quarta casa de força

 

 

A presidenta da República, Dilma Rousseff, estará em Rondônia nesta terça-feira (5/7), para a cerimônia de início do desvio do rio Madeira para a usina hidrelétrica de Santo Antônio. Segundo a Eletrobras Furnas, com a operação de desvio será iniciado o processo de enchimento gradual do reservatório e, também, da construção da quarta casa de força. A solenidade será realizada às 11h15, na margem esquerda do rio Madeira, próxima ao vertedouro principal (a 10 km de Porto Velho).

O desvio do rio Madeira para a construção da Usina Santo Antônio será executado em duas fases. Na primeira fase, o rio será desviado do leito para o vertedouro principal, na margem esquerda (o vertedouro é um sistema de segurança usado nas barragens). A operação de fechamento do rio se dará com o lançamento de um cordão de enrocamento (conjunto de blocos de rocha usado para construir barragens e fazer contenção), com progressiva transferência do fluxo de água para o vertedouro. Após a conclusão dessa operação, começará a segunda fase do desvio, quando o rio permanecerá escoando pelo vertedouro principal (e eventualmente pelo complementar), sendo as atividades de construção no leito protegidas por ensecadeiras (diques).

Usina Hidrelétrica de Santo Antonio - A usina hidrelétrica de Santo Antônio faz parte do PAC e conta com investimentos de R$ 16 bilhões. Ao todo, serão instaladas 44 turbinas com capacidade, cada uma, de 71,6 megawatts. As turbinas são do tipo bulbo, usadas quando a força do próprio rio gera energia contínua, sem necessidade de grandes quedas d’água nem de reservatórios extensos. Quando estiver pronta, a hidrelétrica terá potência instalada de aproximadamente 3.150,4 megawatts e capacidade para abastecer 11 milhões de residências, o equivalente a 40 milhões de pessoas. As obras foram iniciadas em setembro de 2008 e, até agora, já geraram cerca de 20 mil empregos. O início da operação comercial está previsto para dezembro deste ano, com pleno funcionamento até dezembro de 2015. O município de Porto Velho e o estado de Rondônia deverão receber anualmente R$ 67 milhões pelos “royalties da água”, segundo a Eletrobras Furnas.

A concessionária responsável pela usina é a Santo Antônio Energia, formada pelas empresas Eletrobras Furnas, Odebrecht, Andrade Gutierrez, Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), Fundo de Investimentos e Participações Amazônia Energia (FIP), Banco Banif e FI-FGTS.

Desvio do Madeira testado em Modelo Reduzido da Hidrelétrica -Segundo informações da Eletrobrás Furnas, para auxiliar nos cálculos da construção e na definição de parâmetros para a usina, foi construído na Subestação São José de Furnas, em Belford Roxo (RJ), o Modelo Reduzido da Usina Hidrelétrica Santo Antônio. Com cerca de 4.000 m² de área construída, um dos maiores do país, o modelo foi projetado nas condições de semelhança mecânica da usina, e reproduz todo o arranjo das estruturas hidráulicas do empreendimento, representando uma extensão de 8,7 km da calha do rio Madeira, além de todo o arranjo da hidrelétrica, em uma escala de 1:80.

Os trabalhos estão sob a responsabilidade do Laboratório de Hidráulica Experimental e Recursos Hídricos de Furnas (LAHE.E), divisão do Departamento de Engenharia Civil de Furnas. Entre outubro de 2010 e março de 2011, o LAHE.E estudou diversas alternativas para a operação de fechamento do rio. Nesses ensaios foram avaliados os diâmetros de rocha necessários, os volumes utilizados e as possíveis perdas de material por carreamento. As informações foram disponibilizadas para a obra, determinando a melhor sequência de lançamento e a posição para execução do fechamento final, tornando o processo mais eficiente.

Outros estudos implementados no Modelo Reduzido mostraram a possibilidade de redução do comprimento de muros e de diques de proteção do rio Madeira, mudanças já realizadas no projeto de construção da usina. Os ensaios resultaram na diminuição das escavações junto ao canal de fuga da margem direita do rio, onde o traçado foi alterado para permitir a melhor distribuição do escoamento da água e do desempenho da entrada do sistema de transposição de peixes.

Para os testes de reprodução da cheia do rio, foi criado um sistema de abastecimento com capacidade de bombeamento de aproximadamente 2.100 litros/s, vazão suficiente para abastecer uma cidade de 400 mil habitantes. Todo o sistema de abastecimento funciona em circuito fechado, sendo a água armazenada em um reservatório subterrâneo de 3.500 m³. Depois de finalizados os estudos de desvio do rio Madeira, começam a ser realizados os ensaios de definição das regras operativas da usina.

Eletrobras Furnas - Principal acionista da Sociedade de Propósito Específico Santo Antônio Energia, com 39% das ações, a Eletrobras Furnas também é responsável pelos estudos de inventário e viabilidade do empreendimento de Santo Antônio, e pela chamada Engenharia do Proprietário, isto é, a fiscalização de projetos, obras civis, fornecimento e montagem eletromecânica dos equipamentos. Furnas também faz o Controle Tecnológico, ou estudo dos materiais de construção, solo e concreto, além dos serviços de Gestão Fundiária no entorno do reservatório e a operação e manutenção da usina.

 

 

Mais informações
Assessoria de imprensa
Eletrobras Furnas (21) 2528-5431
Ministério de Minas e Energia (61) 3319-5156