Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Releases > Em Brasília, Presidenta Dilma anuncia a criação de universidades federais e de Institutos Federais de Educação Profissional e Tecnológica

Em Brasília, Presidenta Dilma anuncia a criação de universidades federais e de Institutos Federais de Educação Profissional e Tecnológica

por Portal do Planalto publicado 16/08/2011 17h56, última modificação 21/10/2013 17h06
Governo federal vai criar quatro novas universidades federais e abrir 47 novos campi universitários e 208 novas unidades dos Institutos Federais de Educação Profissional e Tecnológica

 

Nesta terça-feira (16/8), às 11h, a presidenta Dilma Rousseff anuncia, no Palácio do Planalto, a criação de quatro novas universidades federais, a abertura de 47 novos campi universitários e 208 novas unidades dos Institutos Federais de Educação Profissional e Tecnológica espalhados em todo o país.

Novas universidades – As novas universidades federais serão instaladas no Pará, na Bahia e no Ceará. A Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) terá sede na cidade de Marabá, onde hoje funciona o campus Marabá, da Universidade Federal do Pará (UFPA). A Universidade Federal da Região do Cariri (UFRC), no Ceará, terá sede em Juazeiro do Norte – ela será instalada na atual estrutura do campus Cariri, que pertence à Universidade Federal do Ceará (UFC).

A Bahia ganha duas instituições: a Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufoba) com sede em Barreiras, onde atualmente funciona o campus Barreiras, da Universidade Federal da Bahia (UFBA); e a Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba), que terá sede em Itabuna.

Transferências – A Universidade Federal do Ceará transfere três de seus campi para a Universidade Federal da Região do Cariri – campi Cariri, Barbalha e Crato; a Universidade Federal do Pará transfere para a Unifesspa o campus Marabá; e a Universidade Federal da Bahia transfere o campus Barreiras para a Ufoba. No conjunto, as quatro novas universidades federais terão 17 campi, dos quais 12 serão criados.

Novos campi – Outras 12 universidades federais, de 11 estados, ganharão 15 novos campi, completando 27 unidades: no Pará, a UFPA (1); na Bahia, a UFBA (1) e a UFRB (1); no Ceará, a UFC (2); em Pernambuco, a UFRPE (1); em Goiás, a UFG (2); no Maranhão, a UFMA (1); no Mato Grosso, a UFMT (1); em Minas Gerais, a UFVJM (2); em São Paulo, a Unifesp (1); em Santa Catarina, a UFSC (1); e no Rio Grande do Sul, a UFSM (1).

Até o final de 2012, segundo o Ministério da Educação (MEC), o governo federal deverá concluir a implantação de outras 20 unidades, distribuídas entre 12 universidades federais localizadas nas regiões Norte, Nordeste, Sul e Sudeste, atendendo 20 municípios de oito estados. Entre as instituições com maior número de unidades estão a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), que se expande para sete municípios, e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que amplia sua presença nas cidades de Mauá, Osasco, Buri e na Zona Leste da capital paulista.

Institutos Federais – Prefeitos de diversos municípios e o governador do Distrito Federal assinarão termos de compromisso para a construção de 120 unidades de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia em municípios dos 26 estados e no Distrito Federal. A previsão é de que todas as unidades estejam em funcionamento até 2014, de acordo com MEC.

A essas 120 unidades de educação profissional se somam 88 que estão em construção com término previsto para o final de 2012. Ao final de 2014, portanto, o país terá ganho 208 unidades de educação profissional.

 

Mais informações
Assessoria de imprensa
Ministério da Educação - (61) 2022-7520