Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Entrevistas > Entrevista concedida pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, após cerimônia de inauguração do berço 201 e do Porto de São Francisco do Sul

Entrevista concedida pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, após cerimônia de inauguração do berço 201 e do Porto de São Francisco do Sul

por Portal Planalto publicado 27/11/2013 15h50, última modificação 04/07/2014 12h51

 

São Francisco do Sul-SC, 27 de novembro de 2013

 

Presidenta: Eu acho que foi um leilão muito bom porque houve um deságio muito significativo. Esse deságio mostra que a BR-163, lá de Mato Grosso, é uma rodovia que, além de ser importante para a região, para escoar toda a produção de grãos daquela região, que é uma das regiões mais produtivas do Brasil, cerrado brasileiro, é um dos celeiros, regiões celeiro desse país, que torna o Brasil uma potência no agronegócio. É também, além disso, ele é também algo muito importante porque completa essa rodovia, que é uma rodovia muito extensa. Ela sai lá do Pará e vai acabar lá embaixo, vai ter outro trecho, inclusive, no Mato Grosso do Sul.

Então, foi muito importante o tamanho do deságio, e também, isso produziu uma tarifa muito competitiva, uma tarifa de pedágio muito competitiva. Se eu não me engano... eu não tenho certeza se é R$ 2,8 ou R$ 2,6... eu não tenho certeza se é sessenta ou oitenta centavos. Mas, em todo caso, é algo extremamente importante para o Brasil. É competitiva, vai possibilitar que você faça esse escoamento com um custo menor, o que vai ser uma garantia para todo mundo, não só para os grandes produtores, mas vai significar que os produtos da gente vão ser mais competitivos.

Jornalista: E a BR-280, presidenta?

Presidenta: É muito importante isso. Eu quero dizer que aqui em Santa Catarina, nós temos feito um esforço imenso para ampliar e dar condições também de escoamento da produção.

Eu queria destacar uma coisa que eu tenho muita vontade de vir aqui ver, que é aquela ponte ali de Laguna. Aquela ponte de Laguna também vai significar, sem sombra de dúvidas, uma melhoria nas condições de transporte de cargas no Brasil, além dela ser muito bonita, além disso. Acho que vocês deveriam ir lá fazer uma foto porque eu estou muito curiosa de ver como ela está. Não vou poder passar lá agora, mas da próxima vez que descer para o Rio Grande do Sul vou tentar parar só para ver como é que ela está.

Mas aqui também tem a BR-282, tem a BR-101, a BR-470 e a BR-280. Todas elas – BR-280, BR-470, BR-101, e a BR-282 – elas todas significam o seguinte: que o investimento aqui em Santa Catarina vai ser um investimento bastante efetivo por parte do governo federal. Nem tudo pode ser concessão, mas uma parte das obras, no Brasil, vão ser investimento e obra pública. Vai ter outros casos que pode se caracterizar PPP. Mas nós estamos agora com esse programa chamado PIL – que é o Programa de Investimento em Logística –, nós estamos dando um passo nessa direção com os aeroportos, que saíram, com as próximas rodovias que virão, com as ferrovias que serão também licitadas, e com uma coisa importante, já que eu estou aqui no Porto, é tanto as licenças para TUP’s, que vão levar grandes investimentos no Brasil e os arrendamentos dos portos, chamados portos públicos. Venceu o contrato, não tem mais chance de prorrogar o contrato, porque o contrato expirou em todas as suas condições, nós vamos tornar a licitar pela iniciativa privada e arrendar.

Jornalista: (incompreensível)

Presidenta: Eu estou encerrando e dizendo para vocês outra coisa: 

Fiquei entusiasmada com uma informação. Nos portos, sabe, meninas – aqui, por exemplo – tem uma quantidade muito grande de mulheres trabalhando. Lá em Itapoá... ele me disse que é o porto com um número muito grande de mulheres. Ele me disse 20%. Eu acho pouco ainda 20%. Eu acho que tinha de ser metade/metade. Mas em todo caso a gente tem de comemorar...

Jornalista: Os tucanos estão dizendo que a senhora está seguindo o modelo do PSDB, presidenta. O que a senhora diz?

Presidenta: Na hora de se defender, todo mundo tem direito de falar o que quer.

Jornalista: O que a senhora diz?

Presidenta: O modelo, meu querido, é meu. Eu não tenho conhecimento de nenhum investimento dessa envergadura feita antes do governo... antes de 2003, não tenho nenhum conhecimento disso. Você me mostra aonde.

 

 

 

registrado em: ,