Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Entrevistas > Entrevista coletiva concedida pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante a Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul, dos Estados Associados e dos Países Convidados - Brasília/DF

Entrevista coletiva concedida pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante a Cúpula dos Chefes de Estado do Mercosul, dos Estados Associados e dos Países Convidados - Brasília/DF

por Portal do Planalto publicado 07/12/2012 16h58, última modificação 04/07/2014 12h39

 

Palácio Itamaraty, 07 de dezembro de 2012

 

Presidenta: Um minuto para falar com vocês. Quando eu estava entrando, que vocês gritaram para mim a respeito da questão do Guido Mantega... Então, eu vou dizer para vocês o seguinte: eu acho... nós todos aqui e eu, em especial, sou a favor da liberdade de imprensa. Então, não tenho nenhum senão a dizer sobre o direito de qualquer revista ou jornal falar o que quiser.

Só quero me manifestar que em hipótese alguma o governo brasileiro, eleito pelo voto direto e secreto do povo brasileiro vai ser influenciado por uma opinião de uma revista que não seja brasileira. E acho que não é correto, também, pelo seguinte: não vi, diante dessa crise gravíssima pela qual o mundo passa, com países tendo taxas de crescimento negativas, escândalos, quedas de bancos, quebradeiras, eu nunca vi nenhum jornal propor a queda de um ministro.

Nós estamos crescendo a 0,6 neste trimestre. Iremos crescer mais no próximo trimestre. Então, a resposta é: de maneira alguma eu levarei em consideração esta, diríamos, sugestão. Não vou levar.

Muito obrigada.

Jornalista: Presidenta, a situação deles é pior que a nossa?

Presidenta: Espera lá. Vocês, da imprensa brasileira, não sabem que a situação deles é pior que a nossa? Pelo amor de Deus! Desde 2008 nenhum banco como o Lehman Brothers quebrou aqui. Nós não temos crise de dívida soberana. A nossa relação dívida PIB é de 35%. A nossa inflação está sob controle. Nós temos US$ 378 bilhões de reservas. E tudo isso se dá por quê? Porque os juros caíram no Brasil? E os juros caíram no Brasil porque não podiam cair aqui? Aqui tinha de ser o único, como dizia um economista antigo nosso: “o último peru...” ele falou de Ação de Graças, mas como aqui a gente não comemora Ação de Graças, nós vamos chamar de peru de Natal.

Tchau!

Ouça a íntegra da entrevista (02min37s) concedida pela Presidenta Dilma

Assista ao vídeo da entrevista

 

registrado em: ,
Assunto(s): Governo federal