Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Entrevistas > Entrevista coletiva concedida pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, após reunião de atualização do Projeto dos Jogos Rio 2016 - Rio de Janeiro/RJ

Entrevista coletiva concedida pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, após reunião de atualização do Projeto dos Jogos Rio 2016 - Rio de Janeiro/RJ

por Portal Planalto publicado 23/06/2015 16h58, última modificação 23/06/2015 16h59

Rio de Janeiro-RJ, 23 de junho de 2015

 

 

Presidenta: Gente muito boa tarde. Nós hoje fizemos mais uma reunião, em que participou o governador, o prefeito, todo o pessoal do COI, o Nuzman, todas as pessoas que  integram tanto o Comitê Olímpico Brasileiro quanto todas as organizações que envolvem a organização da Olimpíada. Mas eu queria primeiro anunciar: nós hoje estamos substituindo, na direção do conselho, do Conselho Olímpico Brasileiro, do Conselho Público... vocês gostam de vários nomes não é gente, Conselho Olímpico. Nos estamos indicando uma pessoa de altíssima qualidade, uma mulher que é uma empreendedora, batalhadora e, sobretudo, com uma grande capacidade e eficiência, que é a Luiza Trajano. Ela está substituindo o doutor Meireles, que tinha pedido para se afastar por questões relativas à sua atividade. Então, essa é a primeira notícia que eu dou para vocês em relação à reunião aqui hoje. A segunda notícia é que nós estamos fazendo reuniões sistemáticas. São reuniões de trabalho não são reuniões para gente ficar discutindo questões mais gerais. Nós resolvemos os problemas acumulados ao longo do mês, o que tiver de problema, nós resolvemos. Nós não nos interessamos pelo que está bem feito, o que está bem feito, para nós é ótimo que esteja. Mas nós queremos saber é onde que está o problema que nós temos de resolver, como garantir a melhor Olimpíada, a melhor Olimpíada, com a melhor organização, com a melhor qualidade.

O governo federal é parceiro, é parceiro desses que lideram esse processo e, eu acredito também que hoje foi um dia especial, porque nós fizemos a despedida dos 600 atletas brasileiros que vão para o Pan-Americano de Toronto. E vimos um, eu acho que vocês devem ter acompanhado, vimos um espetáculo que é sempre interessante, sempre estimulante, que é o exercício de uma atividade. Nós vimos saltos ornamentais. Aquela perfeição que quando a pessoa entra na água, ela tem de entrar naquele ângulo e tal que  seja quase imperceptível a água se espalhando. E também vimos uma, eu acho que vou chamar de um pequeno espetáculo, com duas jovens, uma de 12 e outra de 16, de nado artístico, de nado sincronizado artístico, muito bem feito também.

Então, conseguimos combinar várias coisas. Conseguimos combinar a discussão sobre a eficiência de todo processo, gerenciando todas próximas etapas. A gente olha o que vai ser os principais desafios que nós vamos temos pela frente, olhamos cada um, definimos o que fazer, tanto do ponto de vista do que é responsabilidade do governo federal, do que é responsabilidade do COB, do que é responsabilidade do governo do estado e da prefeitura.

Eu acredito que nós teremos uns Jogos Olímpicos que vai ter uma qualidade totalmente diferente e que vai ser capaz de deixar um legado tanto... porque geralmente as pessoas pensam: “Ah, o legado é só depois”. Não, vai deixar um legado antes, durante e depois. Um legado sob a forma de conseguir que mais atletas brasileiros, mais brasileiros e brasileiras percebam a importância do esporte na sua vida, vamos conseguir um legado de dar ao mundo uma visão de um Brasil que é capaz de organizar de forma eficiente, eficaz e, além de tudo, bonita, bela. Vamos dar um exemplo também depois, não só deixando um legado em termos de todas as obras de infraestrutura realizadas aqui no Rio, tanto na esfera da mobilidade urbana quanto na esfera esportiva, mas também nós vamos deixar um legado para todas as federações dos diferentes esportes, os equipamentos que vão ser usados vão ficar para eles e, com isso, nós teremos também uma infraestrutura privada mais qualificada.

Eu agradeço a vocês e estou indo, porque tenho de trabalhar de tarde em Brasília.

 

Jornalista: Incompreensível

 

Presidenta: Olha, eu acho que todo mundo tem direito de criticar, mais ainda o presidente Lula, até por que ele é muito criticado né, gente… Por vocês. Muito obrigada.

 

Ouça a íntegra(05min35s) da entrevista da Presidenta Dilma Rousseff