Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Entrevistas > Entrevista coletiva concedida pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, após cerimônia de anúncio do Programa de Investimento em Energia Elétrica - Palácio do Planalto

Entrevista coletiva concedida pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, após cerimônia de anúncio do Programa de Investimento em Energia Elétrica - Palácio do Planalto

por Portal Planalto publicado 11/08/2015 18h46, última modificação 11/08/2015 18h46

Palácio do Planalto, 11 de agosto de 2015

 

 

Jornalista: (...) as geradoras estão até produzindo aquém do que poderiam?

 

Presidenta: Veja bem, gente. As geradoras no Brasil, elas estão produzindo o suficiente para abastecer o mercado, não há nenhuma quebra de produção, nenhum problema, nós não temos nenhuma crise por esse lado no setor elétrico, de maneira alguma.

O que acontece? Acontece o seguinte, esse país é a sétima economia do mundo, não há nenhum motivo para não virem investir aqui. Vocês vejam que nos projetos de investimentos ligados à logística, quando a gente chama para as pessoas, no caso os empresários, assumirem e mostrarem quais são aqueles projetos que eles querem fazer, apareceram mais de 300 empresários querendo fazer projetos na área de logística. Por quê? Porque eles sabem que a demanda desse país, ela vai continuar crescendo. Nós estamos em um período momentâneo de dificuldades. Agora, que o Brasil tem uma robustez que vai permitir que ele vá continuar crescendo.

Além disso, não tenha dúvida. Já com o que tem hoje, já há demanda que a gente já previu, mesmo com taxa de crescimento menor, que vai ocorrer agora, e nós temos que dar conta dela. Ela, essa demanda faz com que a gente saiba que tem que atendê-la, porque se relaxar agora você não conseguirá atender o país quando ele começar a crescer. Você não consegue fazer uma empresa ou um empreendimento de hidrelétrica de um dia para o outro, você tem que construir. Geralmente são obras imensas que envolvem muitos recursos. Nós oferecemos financiamento também, nós sabemos também que o setor privado oferece financiamento.

Então, eu acredito que esse programa que tem por objetivo assegurar que o Brasil não tenha racionamento, que o Brasil tenha um setor elétrico robusto, ele vai dar certo. Vocês lembram que nos últimos anos todos os dias diziam: ‘vai faltar energia elétrica, vai faltar energia elétrica’. Não vai faltar energia elétrica. Não vai faltar energia elétrica porque nós investimos em geração e transmissão. O Brasil hoje está todo ligado. São muito mais de 100 mil km de linhas de transmissão. Você imagina: o regime de chuva é diferente no Norte para o Sul. Quando chove no Norte, ou no Nordeste, ou no Sudeste, não chove no Sul. E aí, se você tiver capacidade de transmitir energia de um lugar para o outro você garante o abastecimento do país.

Além disso, nós construímos termelétricas. O pessoal fala: “Ah, mas construíram termelétrica”. Se nós não tivéssemos construído termelétricas, nós teríamos tido um brutal racionamento. Não tivemos racionamento porque quando falta água a gente liga as térmicas, quando melhora a gente desliga. O que vai acontecer, aliás, já aconteceu nesse sábado passado? Nós desligamos as hidrelétricas, aliás, desculpa, as termelétricas, mantivemos só as hidrelétricas. O que isso vai produzir? Vai produzir uma progressiva diminuição da bandeira vermelha e, portanto, uma redução no preço da energia. Nós também vamos pagar, como sistema, menos. Tudo isso se combina para você ter uma situação melhor. Agora, todo mundo sabe de uma coisa: entre faltar energia e ter energia, é melhor pagar um pouco mais por ter energia. Porque o preço da falta de energia, ele é imenso em emprego, em renda, em dificuldade da empresa - não é nem em produzir não, é abrir. Então, garantir que haja energia de qualidade, mais limpa, segura para o país e mais barata é fundamental para todos nós.

Jornalista: As propostas do Renan, presidente Dilma, ele apresentou um conjunto de 27 propostas para tentar emplacar uma agenda positiva, fazer o país retomar o crescimento. Como é que a senhora vê essa proposta?

 

Presidenta: Olha, muitas das propostas do presidente Renan coincidem plenamente com as nossas. São propostas muito bem-vindas. Eu queria até dizer que, para nós, é a melhor relação possível do Executivo com o Legislativo. Então, nós olhamos essas 27 propostas com grande interesse e valorizamos muito a presença delas. Eu acho que essa, sim, é a agenda positiva para o país. Mostra, por parte do Senado, uma disposição em contribuir para o Brasil sair das suas dificuldades o mais rápido possível.

Obrigada.

 Ouça a íntegra (06min02s) da entrevista concedida pela Presidenta Dilma