Você está aqui: Página Inicial > Acompanhe o Planalto > Discursos > Discursos da Presidenta > Pronunciamento à nação da Presidenta da República, Dilma Rousseff, em cadeia nacional de rádio e TV

Pronunciamento à nação da Presidenta da República, Dilma Rousseff, em cadeia nacional de rádio e TV

por Portal do Planalto publicado 23/12/2011 19h04, última modificação 04/07/2014 20h09
Para a Presidenta estamos transformando um momento de crise em um momento de oportunidade e entrando em uma nova era, uma era de prosperidade

 

Brasília-DF, 23 de dezembro de 2011


Queridas brasileiras, queridos brasileiros,

Nada melhor para uma mãe, ou para um pai de família, quando, numa noite de natal, pode dizer a seus filhos: "apesar das dificuldades, graças a Deus,  esse foi um ano bom; e, com certeza, o próximo será ainda melhor".

A maioria dos brasileiros vai poder dizer isso nesta virada de ano, e, como Presidenta, me sinto feliz de compartilhar esse sentimento.

Igual a cada um de vocês, ainda estou longe de me sentir satisfeita. Mas tenho cada vez mais convicção de que podemos e vamos avançar muito mais.

Muitos anos atrás, boa parte do mundo progredia e o Brasil ficava parado, marcando passo.

Agora, ao contrário, boa parte do mundo estagnou e o Brasil acelera.

Queremos, muito, que os países desenvolvidos sejam capazes de enfrentar suas crises e que o mundo melhore.

Mas vamos enfrentar todos os desafios para que uma possível piora no cenário mundial não nos traga maiores problemas.

Ficou longe, no tempo, aquela fase que foi chamada de década perdida.

Estamos entrando, sim, em um período de décadas de avanço e não queremos ter um só momento perdido.

Essa mudança não se deu por acaso e não vai ser nenhum acaso que vai nos tirar desse caminho.

Com planejamento e políticas acertadas estamos conseguindo proteger a nossa economia, os nossos setores produtivos e, sobretudo, o emprego dos brasileiros.

Estamos transformando um momento de crise em um momento de oportunidade e entrando em uma nova era, uma era de prosperidade.

No ano em que quase todos os países do mundo perderam emprego, nós criamos mais de 2 milhões de novos postos de trabalho.

No ano em que grandes potências mundiais estão tendo crescimento negativo, ou igual a zero, nós vamos ter um bom crescimento.

Porque ele está acompanhado de inflação baixa, de juros descendentes, aumento do emprego, distribuição de renda e diminuição de desigualdade.

2011 foi um ano de grande prova; e 2012 será mais um marco de consolidação do modelo brasileiro.

Abriremos o ano com forte aumento do salário mínimo, com redução de impostos com retomada do crédito, com aumento de investimento e mantendo a estabilidade fiscal.

Ou seja: estamos fazendo a nossa parte e temos certeza de que, no próximo ano, também as empresas ampliarão seus investimentos e os trabalhadores terão garantido assim seu emprego e  aumentarão seu consumo.

Por isso, fizemos o programa Brasil Maior que protege os empregos dos brasileiros no setor industrial, pois incentiva a agregação de valor e a inovação aqui no Brasil.

Minhas amigas e meus amigos,

2012 começará com menos tributos para as mais de 5 milhões de pequenas empresas que estão no Simples, e para os Microempreendedores Individuais,  que são os maiores geradores de emprego no nosso país.

Esses empreendedores também vão ter crédito mais fácil e mais barato.

Para eles as taxas de juros do microcrédito vão despencar de 60 para 8% ao ano e as taxas de abertura de crédito vão cair de 3 para 1%.

Todos os brasileiros vão ter mais facilidades para comprar a casa própria.

Até 2014, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil vão investir mais de R$ 125 bilhões no Minha Casa, Minha Vida.

Somente este ano, já contratamos 341 mil novas moradias, entregamos 400 mil moradias e outras 500 mil estão em obras.

Serão milhões e milhões de famílias pobres, e de classe média, realizando o sonho da casa própria.

Quem quiser construir sua casa vai também sentir o alívio no bolso, porque renovamos a redução do IPI sobre materiais de construção.

Tudo isso, além de significar mais casa própria e melhor moradia, vai significar, também, mais emprego para o brasileiro.

Pois, com essas medidas, o setor da construção civil, que é um dos que mais geram empregos no país, vai continuar a forte expansão que teve nos últimos anos.

Outras medidas de redução de impostos vão continuar beneficiando os brasileiros.

O governo acaba de reduzir para zero o PIS-Cofins sobre massas, farinha e pão.

Reduzimos, também, o IPI sobre geladeiras, fogões e máquinas de lavar, para baratear o custo desses produtos.

Também renovamos a redução de tributos de caminhões, utilitários e máquinas agrícolas, para apoiar a nossa agricultura.

Com menos impostos e mais crédito a economia brasileira vai crescer mais.

Você poderá continuar produzindo com tranquilidade, consumindo com responsabilidade e poupando com inteligência.

Você vai poder equilibrar, sem medo e sem susto, sua economia doméstica, da mesma maneira que o Brasil vem fazendo com a grande economia.

Minhas amigas e meus amigos,

Mais emprego, mais progresso, mais desenvolvimento e melhor infraestrutura continuarão sendo trazidos pelas obras do PAC, que, em 2012, ganharão ainda mais ímpeto, em todo território nacional.

Porém, uma coisa em especial aumenta a minha alegria.

É o fato de que, além de garantir a estabilidade econômica, o governo vai poder ampliar nossas políticas de apoio aos mais necessitados.

Por exemplo: o programa Brasil Sem Miséria, que já produziu grandes resultados, vai se consolidar plenamente em 2012.

Para que vocês tenham uma ideia, cumprimos uma das metas mais importantes do plano: localizamos, com a Busca Ativa, 407 mil famílias extremamente pobres que não vinham sendo beneficiadas.

Trezentos e vinte e cinco mil delas já estão recebendo o Bolsa Família e, brevemente, todas as outras serão incluídas.

Incluímos, também, mais 1,3 milhão crianças e adolescentes no programa.

Até o final do nosso governo, vamos fazer o maior esforço para retirar da miséria os 16 milhões de brasileiros que ainda vivem na pobreza absoluta.

Também vamos poder consolidar programas que o governo federal criou recentemente.

Já liberamos recursos para a construção de 1,5 mil creches e pré-escolas, e estamos na fase final de seleção de mais 1,5 mil novas creches para 2012.

Na saúde, o Melhor em Casa vai continuar levando assistência médica, de qualidade, na própria casa de milhões de brasileiros.

O S.O.S Emergência vai continuar melhorando o atendimento nos principais pronto-socorros do país.

Com investimentos de R$ 4 bilhões estamos implantando o programa "Crack, é possível vencer", que vai dar assistência médica, social e pedagógica aos dependentes de droga e suas famílias; e vai também combater, de forma vigorosa  o narcotráfico, e suas máfias.

Por meio do programa Viver Sem Limites daremos um forte apoio aos 45 milhões de brasileiros que sofrem com alguma deficiência física ou psicológica.

Na educação, o Pronatec vai continuar matriculando alunos em cursos técnicos em todo país.

Até 2014, vamos preencher 8 milhões de vagas.

Esses são apenas alguns dos programas que o Brasil terá força, coragem e talento de levar adiante.

Teremos força também para continuar a luta incessante contra a corrupção e qualquer tipo de desvio ou malfeito.

Tudo isso vai continuar garantindo que o Brasil seja um dos poucos países do mundo que consegue, ao mesmo tempo, crescer com estabilidade, distribuir renda, diminuir a desigualdade, aperfeiçoar a democracia e fortalecer suas instituições.

Juntos, nós, brasileiros, vamos continuar melhorando econômica, social e politicamente e reforçando nossos valores morais e éticos.

Vamos continuar transformando o presente e construindo um belo futuro para nossos filhos e netos.

Desejo, do fundo do meu coração, um Feliz Natal e um próspero Ano Novo para todos vocês.

Boa Noite.

Ouça a íntegra do pronunciamento (10min14s) da Presidenta Dilma.