Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Palavras da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante visita ao Centro de Comando e Controle para Segurança de Grandes Eventos

Palavras da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante visita ao Centro de Comando e Controle para Segurança de Grandes Eventos

por Portal do Planalto publicado 13/06/2013 18h52, última modificação 04/07/2014 20h17

 

Departamento de Polícia Federal – Brasília-DF, 13 de junho de 2013

 

Governador Anastásia e prefeito Márcio Lacerda,
Espero que esteja sendo tão interessante para vocês como está sendo para mim, porque fica claro que nós vamos, de fato, conseguir uma integração de todos os órgãos da Segurança Pública do nosso país.
Primeiro, eu queria cumprimentá-los e dizer da minha alegria de estar aqui, de Brasília, falando com Minas Gerais. Acredito que uma das grandes questões que a população brasileira levanta, em relação aos grandes eventos – Copa e Olimpíada – é, primeiro, nós termos capacidade de mostrar que vamos fazer uma Copa das Confederações, uma Copa do Mundo e uma Olimpíada segura e, segundo, que vamos deixar um grande legado para a população brasileira, sob a forma da integração dos órgãos de segurança pública da União, dos estados e dos municípios.
E, falando pela União, eu considero muito importante a integração da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Força Nacional de Segurança Pública, com os órgãos da Defesa, as Forças Armadas, o Exército, a Marinha e a Aeronáutica. E também muito importante e relevante é essa integração com as polícias civis e militares e com as polícias municipais, enfim, com todos os órgãos de segurança, para garantir ao país que nós estamos ganhando um passo nessa trajetória da questão da Segurança Pública, do combate e da garantia da segurança pública para a nossa população.
A integração que a tecnologia permite que nós tenhamos – e hoje aqui estamos diante de uma prova –, principalmente no caso dos grandes eventos, mas, também, no dia a dia da população, ela tem um marco, hoje. Eu desejo que nós todos tenhamos a Copa das Confederações mais segura, mostrando ao mundo que o Brasil é um país vencedor, e o seu povo, seus governadores, seus prefeitos e os órgãos federais participam dessa jornada de vitória que eleva a qualidade da segurança pública do nosso país.
Eu queria passar a palavra, primeiro para o governador e depois, o governador aqui do Distrito Federal, o governador Agnelo, e depois para o ministro da Justiça, José Eduardo.
Eu queria cumprimentar o nosso governador Sérgio Cabral,
O nosso ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, e dizer que nós estamos aqui muito felizes, sabe por que? O governador Sérgio Cabral e o ministro Aldo, juntamente com o Pezão, vice-governador, e com o Mariano Beltrame, e também o representante das Forças Armadas. Nós estamos aqui com o governador, aqui, o governador do Distrito Federal, governador Agnelo, o ministro José Eduardo, a ministra Gleisi, a diretora da Polícia Rodoviária Federal, vários integrantes dos órgãos de segurança, tanto ligados ao governo estadual, como também os órgãos que compõem o Ministério da Justiça.
Uma coisa, Sérgio Cabral, eu acho que fica clara nesta inauguração. O fato de que, com essa medida, nós damos mais um passo para colocar a tecnologia a serviço da segurança pública do nosso país, e isso vai trazer, primeiro, maior integração entre nós, maior integração... Eu, há pouco, falei com o governador Anastasia, com o prefeito Márcio Lacerda e o ministro da Defesa lá em Minas Gerais, em Belo Horizonte, mas vai trazer uma integração muito grande, tanto dentro dos próprios órgãos do governo federal – Forças Armadas, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Força Nacional de Segurança Pública –, e também todos os meus ministérios, como também junto com os governos estaduais e com as prefeituras.
Eu acho que nós damos um salto não só provando que o Brasil é capaz de fazer –, não só dentro do campo de futebol, mas fora dele – uma Copa das Confederações, uma Copa do Mundo de qualidade, e isso é o grande legado que nós vamos deixar para a população brasileira. Um legado em que nós damos um passo à frente na questão da segurança pública, mostrando que o Brasil vai combater o crime organizado, vai também resgatar pessoas e atender à população utilizando o que há de melhor. Você, aí, deu o exemplo do Samu, o exemplo da visão que, a partir do momento que você integra o transporte você tem, a respeito do que está acontecendo nos metrôs e nos órgãos de transportes, nos diferentes meios de transporte de massa.
Nós também iremos ter essa capacidade de integração. Acho que nós iremos todos, nacionalmente, dar um grande passo, utilizando o que há de mais moderno na tecnologia. Eu vi aqui, hoje, um conjunto de equipamentos que me traz o conforto de saber que o Brasil dá um passo na capacidade de inteligência no controle de grandes eventos, também no controle de todos os processos que podem levar em segurança a população.
Nós sabemos que a população é um direito... a população quer, como direito do cidadão, o direito à segurança pública. A pior coisa que pode acontecer num país é essa sensação de insegurança.
Acho que o Rio de Janeiro está de parabéns, vocês deram grandes passos aí, no Rio de Janeiro, com as UPPs. Vocês fizeram algo que muitas pessoas no Brasil, de forma incrédula, acreditavam que jamais conseguiríamos, e provaram que é possível.
Com esse equipamento, hoje, eu asseguro que nós teremos um país mais seguro. E o povo pode ficar tranquilo, porque muita gente pergunta: o que que é que nós vamos ganhar, afinal de contas, com essa Copa do Mundo? Primeiro, a alegria, a imensa alegria que o futebol dá a todos os brasileiros. Mas, sobretudo, nós vamos ganhar em melhoria concreta da condição de segurança pública.
Eu vi, aqui, desde equipamentos fantásticos para o Corpo de Bombeiros, como alargadores e instrumentos que permitem que você chegue, por exemplo, a uma pessoa que está num desastre de automóvel e assegure o resgate dessa pessoa, de uma forma a diminuir o trauma que ela já teve, com o desastre, e facilitando o atendimento dela.
Eu considero, portanto, que nessa Copa das Confederações, esses seis estados que dão um passo nessa direção, e o fato de o governo federal ter contribuído com todos esses equipamentos, é algo extremamente relevante para o país.
Eu vou passar a palavra para o governador Agnelo e, depois, eu peço que o governador passe a palavra para o ministro da Justiça.

 

Ouça a íntegra (08min51s) das palavras da Presidenta Dilma