Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Palavras da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante encontro com jovens atletas olímpicos e paraolímpicos - Brasília/DF

Palavras da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante encontro com jovens atletas olímpicos e paraolímpicos - Brasília/DF

por Portal Planalto publicado 19/09/2014 12h35, última modificação 19/09/2014 12h37

Brasília-DF, 19 de setembro de 2014

 

 

Bom gente, boa tarde eu acho já, né? Um bom dia a todos.

Eu gostaria de cumprimentar em especial os atletas olímpicos e paraolímpicos que nós recebemos aqui hoje.

Queria também cumprimentar a todos atletas que participaram dessa Olimpíada da Juventude, em Nanquim. E dizer que é muito bom a gente ver um atleta como o Matheus, com 16 anos ali, ganhando a sua medalha… Você tem 16, né? 16 ou 18? 18, 16 é você, não é Marcos Vinícius? Ganhando olimpíada. E aí a gente vê começar o roteiro para grandes desportistas.

Eu quero dizer para vocês que eu tenho muito orgulho, como disse o Andrew Parsons, muito orgulho de receber, sistematicamente, o Andrew Parsons, todos os atletas paraolímpicos e receber o meu querido Nuzman e todos os atletas olímpicos, sistematicamente, aqui no Palácio da Alvorada [do Planalto], vocês vão ser sempre muito bem vindos. Eu vou até reservar uma caneca para cada um, para tomar um cafezinho.

Eu queria também cumprimentar o pessoal do Ministério do Esporte cumprimentando o nosso querido Aldo Rebelo.

E também cumprimentar o secretário de Esportes de Alto Rendimento, o nosso Ricardo Leyser.

 

E dizer para vocês que, de fato, eu acredito que houve maior foco na questão do esporte quando se criou o Ministério dos Esportes. Não só houve maior foco, mas é inegável que o Ministério do Esporte, sob a liderança do Aldo e a equipe dele, cuidaram para que o Brasil tivesse uma política para o esporte no Brasil.

Eu vou lembrar todas as bolsas diferenciadas que nós temos, desde a bolsa para, justamente o atleta nacional, o jovem atleta, passando por todas as demais, a Bolsa Internacional para o atleta internacional e a Bolsa Pódio.

Vou lembrar também aqui o Brasil Medalhas. O Brasil Medalhas que eu tenho muito orgulho, viu? De estarmos construindo vários centros olímpicos e paraolímpicos. Em especial, eu também quero destacar o paraolímpico de São Paulo que eu tenho certeza que vai ser uma referência internacional. Eu pensava que era só para a América Latina, mas Nuzman, eu tenho certeza que o que o Andrew está falando é correto, vai ser uma referência internacional.

E eu espero que nessa nossa trajetória para 2016, eu ainda, Nuzman, quero visitar ainda - vou fazer um grande esforço para visitar lá o nosso Parque Olímpico, a nossa Vila Olímpica. Porque para um povo, para qualquer povo, a alma de um povo, ela pode se manifestar de algumas formas, mas certamente, de duas ela se manifesta: primeiro, em todas as atividades culturais, mas ela se manifesta também como um só coração diante do esporte. Porque o esporte, ele une. O esporte, eu acho que requer de nós os melhores valores. Primeiro, o valor da cooperação. Mesmo no esporte individual tem uma equipe, que é o atleta e seu treinador, é o atleta e seus companheiros de equipe. No esporte coletivo você tem esse incentivo a cooperar. E você percebe - até como disse o papa, o nosso Papa Francisco na carta que ele manda para a abertura da Copa do Mundo, ele diz, eu achei até muito interessante, ele diz que a gente não pode ser fominha. Fominha no sentido de que não tenha aquele desempenho individual só, mesmo diante de um grande atleta. Desperta, também, eu acho,  esse espírito de comunhão e de fraternidade, o esporte.

Então, eu acho que o Brasil, para construir novos valores, para construir valores que também são aqueles fundamentais que tem o esporte, que é ultrapassar seus limites, sempre ultrapassar seus limites.

E aí eu queria saudar o nosso secretário que está aqui presente, o Antonio José, Secretário Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. O Antônio José tem tido uma atitude muito determinada no que se refere ao nosso programa “Viver sem Limites”. No esporte nós superamos limites. Em todas as áreas, na vida pessoal, a gente só consegue realizar os nossos sonhos superando limites. E por isso eu quero dizer para vocês que toda vez que eu recebo aqui atletas olímpicos e atletas paraolímpicos, eu estou diante de pessoas que estão superando limites. Ganhar a medalha de ouro em qualquer categoria, em qualquer campeonato é algo importante. Então, se eu lembro dos sete medalhistas de ouro dessa última Olimpíada da Juventude, eu queria cumprimentá-los, cumprimentando todos os atletas: os paraolímpicos e os olímpicos.

A Ana Patrícia, a Bianca... além da Bianca, a Laiane... a Laiane é você? A Laiane, o Edval, cadê o Edval? O Edval... ele é do taekwondo? Perigoso mesmo. O Marcus Vinícius, o Matheus... está faltando um: a Flávia. A Fávia? A Flavinha. Então, cumprimentando os sete, foram 15 medalhistas, mas estes sete são os medalhistas de ouro. Então eu encerro a minha fala propondo uma salva de palmas para todos eles.

 

Ouça a íntegra do discurso (07min31s) da Presidenta Dilma