Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Palavras da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante anúncio de unidades habitacionais para os desabrigados da região serrana do estado do Rio de Janeiro

Palavras da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante anúncio de unidades habitacionais para os desabrigados da região serrana do estado do Rio de Janeiro

por Portal do Planalto publicado 27/01/2011 19h05, última modificação 04/07/2014 20h05
A Presidenta anunciou a doação de 2 mil casas às famílias afetadas pelas chuvas

 

Rio de Janeiro-RJ, 27 de janeiro de 2011

  

Bom, eu queria, primeiro, cumprimentar o nosso governador Sérgio Cabral e lembrar aos senhores jornalistas, senhoras jornalistas, aos senhores cinegrafistas, às senhoras cinegrafistas, que hoje é aniversário do nosso Governador. Por uma questão de civilidade, mas, também, pelo fato de que nós temos tido uma relação excepcional aqui, no Rio de Janeiro, uma parceria entre o governo federal, o governo estadual e a prefeitura, e também os prefeitos das outras regiões do estado. Esse momento, quando o Sérgio faz aniversário é um momento, Sérgio, que a gente deve comemorar o fato de que o Brasil mudou, virou um período, passou uma página.

E, hoje, essa relação excepcional que existe entre os três níveis permite que a gente esteja aqui, também, assistindo uma participação dos empresários, que é muito importante. Porque, se tem algo nesse evento terrível que aconteceu na região serrana, que tem de nos comover, é a capacidade de solidariedade que o povo do país inteiro demonstrou, em relação a esse episódio, às suas consequências, a essa calamidade, a existência de perdas de vida e tudo.

Mas, o ato dos empresários, eu acho que ele é muito importante, porque é uma solidariedade que tem uma direção, que é a direção da solução de um problema muito concreto, que é a perda das suas moradias nessa região do estado do Rio de Janeiro. E, aí, sistematicamente, o governo vem tendo uma atitude, quando se trata de casos como esse, de calamidade pública, que é a liberação de uma quantidade de unidades habitacionais, de financiamento de casas, de apartamentos. E nós, aqui, especificamente para a região serrana, posto que os empresários estão colocando duas mil casas para atender a emergência, nós fizemos um cálculo e estamos colocando mais seis mil casas para atender a emergência, fora, obviamente, do conjunto do Minha Casa, Minha Vida que aqui, para a região do Rio de Janeiro é bem mais que isso.

Então, para esse momento de emergência nós acrescentamos, então, seis mil casas, moradias, que assumam a forma ou de casa, ou de apartamento, para que essa população que perdeu o seu lar, que perdeu o seu lugar de morar tenha acesso, o mais rápido possível, a um novo lar. Com isso, o que nós pretendemos é justamente diminuir a dor dessas famílias. A gente sabe que a dor, ela é insuperável, as perdas não têm preço, nem podem ser superadas só com uma casa. Mas eu acho que é uma iniciativa que vem no sentido de melhorar essa situação.

E aí, eu queria aproveitar a oportunidade para fazer aqui um reconhecimento público que eu acho que é de todos – e o governador Sérgio, aí, tem toda a razão – que é de todos aqueles que, de uma forma ou de outra, se envolveram nessa questão, na questão do atendimento a todas as vítimas dessa calamidade, que é um cumprimento, uma homenagem ao vice-governador Pezão, que quem esteve na região e quem esteve em contato com a região, como nós estivemos, nós sabemos que foi, diuturna e noturnamente, que a nossa referência era o vice-governador Pezão, era ele que a gente tinha como ponto de referência do governo do Rio de Janeiro para que as providências pudessem ser tomadas. Então, eu saúdo o governador Sérgio e saúdo o vice-governador Pezão, porque eu acho que nós tivemos, aqui, um caso de que... de uma gestão diante da catástrofe, é uma gestão bastante eficiente.

Acredito que todos nós aqui somos participantes de um grande esforço que o Brasil tem a fazer, no sentido de que nós não podemos deixar repetir catástrofes dessa dimensão. Nós todos temos, hoje, ainda mais, um conhecimento do que é necessário fazer para evitar isso. E temos a experiência de quem tomou as providências e viveu diretamente esse problema, para saber que essa experiência que todos nós tivemos, ela resultará em uma melhoria da prevenção desses acidentes, tanto do ponto de vista ambiental – não é, Minc? –, mas, também, do ponto de vista de não deixar mais que populações se instalem em áreas de risco, que eu acho que é essa a nossa grande preocupação.

Então, eu agradeço a vocês a oportunidade. E quero dizer que nós estamos atentos para tomar todas as providências necessárias no caso do resgate daquela região serrana do Rio de Janeiro. Aliás, aqui no Rio de Janeiro, nós temos uma parceria que eu tenho certeza que vai continuar sistematicamente nos próximos anos, e que nós vamos realizar grandes obras em conjunto.

 

Ouça a íntegra das palavras (06min30s) da Presidenta Dilma.