Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na solenidade de apresentação de oficiais-generais recém-promovidos

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na solenidade de apresentação de oficiais-generais recém-promovidos

por Portal do Planalto publicado 19/12/2011 12h42, última modificação 04/07/2014 20h09
Na solenidade de apresentação de oficiais-generais recém-promovidos, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que o Brasil precisa avançar no aparelhamento e na qualificação das Forças Armadas para assumir a dimensão internacional que pretende

Palácio do Planalto, 19 de dezembro de 2011

 

Senhor Michel Temer, vice-presidente da República,

Embaixador Celso Amorim, ministro da Defesa,

General de Exército José Elito Carvalho Siqueira, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional,

Senhora Maria das Graças Cintra Siqueira,

Queria cumprimentar também o Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, comandante da Marinha, e a senhora Sheila Royo Soares de Moura,

O general Enzo Martins Peri, comandante do Exército,

O brigadeiro Juniti Saito, comandante da Aeronáutica, e a senhora Vera Regina Saito,

O general de Exército José Carlos De Nardi, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, e a senhora Ercília Romari de Carvalho De Nardi,

Senador José Pimentel,

Deputados federais Cândido Vaccarezza e José Mentor,

Senhores oficiais-generais,

Senhoras e senhores,

Cumprimento aqui todos os oficiais-generais promovidos e os familiares e amigos que acompanharam suas trajetórias até aqui.

Ao fazer opção por servir o país, os senhores assumiram o nobre compromisso de servir a pátria. Forjaram, em função desse compromisso, um pacto indissolúvel com a sociedade brasileira de garantir a soberania nacional, os poderes constitucionais e a democracia. Promovidos oficiais-generais, tenho certeza de que honrarão, de forma ainda mais intensa, esse pacto.

O Brasil de hoje conta com Forças Armadas capacitadas profissionalmente, voltadas ao cumprimento de suas contribuições constitucionais, demonstrando maturidade institucional que foi alcançada, ao longo da nossa história, por nosso país.

Nossos soldados reconhecem seu papel como partícipes de uma política de Estado – a política de defesa –, que deve guardar perfeita coerência com as aspirações do povo brasileiro traduzidas por seus representantes democraticamente eleitos.

O Brasil justo e solidário que estamos construindo juntos jamais prescindirá de seus homens e mulheres servindo às Forças Armadas, de seus patriotas. O país com o qual sonhamos precisará, cada vez mais, de Forças Armadas equipadas e qualificadas para o cumprimento de suas atribuições. Um país que pretende ter dimensão internacional tem de ter, nas suas Forças Armadas, um exemplo da sua capacidade e da sua competência.

Senhores generais,

Uma política de defesa assertiva é necessária ao desenvolvimento econômico e também para uma política externa soberana. Para construir uma grande nação é fundamental dispor de capacidade na defesa dos interesses pelos mais diversos meios, notadamente os dissuasórios.

O Brasil é um país pacífico que possui relações baseadas na cooperação e no diálogo com as demais nações, especialmente com os nossos vizinhos, com quem mantemos, há mais de 140 anos, relações amigáveis e pacíficas. Sem sombra de dúvida, esse é um valor importantíssimo quando se vê um mundo em que várias regiões estão hoje vivendo momentos muito conflituosos.

Nós também avançamos muito na área de defesa nos últimos anos, mas, sem dúvida, muito ainda precisa ser feito. É imprescindível diminuir nossas vulnerabilidades, modernizar os meios operativos, integrar, cada vez mais, as três Forças, aprimorar a capacidade institucional do Ministério da Defesa.

Por isso, prosseguiremos com os projetos prioritários de aparelhamento das Forças sem deixar de valorizar os homens e as mulheres que tornam esses projetos possíveis.

Precisamos, em especial – como eu disse –, avançar na construção de uma visão, cada vez mais integrada, do preparo e do emprego das Forças Armadas. Os equipamentos não são um fim em si mesmos, mas são importantes componentes de um sistema que garanta o máximo de eficiência e de interoperabilidade.

Senhoras e senhores,

Política e economia sempre caminham juntas. Como consignado na Estratégia Nacional de Defesa, defesa e desenvolvimento reforçam-se mutuamente. Para o Brasil é importantíssimo uma Indústria Nacional de Defesa que seja capaz de criar aqui tecnologia própria e, ao mesmo tempo, permitir que aqui se crie toda uma cadeia de agregação de valor.

Saibam os senhores oficiais-generais que têm, em mim, uma comandante sempre disposta a contribuir para o grande destino da nação brasileira que estamos construindo juntos.

Parabéns a todos e muito sucesso nas suas novas missões! Parabéns às suas senhoras aqui presentes! Parabéns às suas famílias!

Feliz Natal e um próspero Ano Novo para nós todos!

Muito obrigada.

 

Ouça a íntegra do discurso (06min49s) da presidenta Dilma