Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na cerimônia de entrega do XXVI Prêmio Jovem Cientista

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na cerimônia de entrega do XXVI Prêmio Jovem Cientista

por Portal do Planalto publicado 18/12/2012 13h42, última modificação 04/07/2014 20h13

 

Brasília-DF, 18 de dezembro de 2012

 

Eu queria cumprimentar a todos, e começar saudando o Rodrigo Gonçalves Dias, por intermédio de quem cumprimento todas as instituições e os jovens cientistas agraciados com este prêmio.

Cumprimentar o vice-presidente da República, Michel Temer,

Os senhores ministros e a senhora ministra: Marco Antonio Raupp, da Ciência, Tecnologia e Inovação; José Elito, do Gabinete de Segurança Institucional; e Helena Chagas, da Secretaria de Comunicação Social.       

Cumprimentar os senhores chefes e as senhoras chefes de missões diplomáticas acreditados junto ao meu governo,

Cumprimentar a senadora Ângela Portela,

A deputada Rosane Ferreira,

Cumprimentar os deputados Daniel Almeida e João Arruda,

Dirigir um cumprimento especial ao presidente do CNPq, Glaucius Oliva,

Cumprimentar o presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho,

Cumprimentar a Beatriz Bier Johannpeter, vice-presidente do Instituto Gerdau,

Cumprimentar o presidente da GE para América Latina, Reinaldo Garcia,

Senhoras e senhores reitores, pesquisadores e professores universitários,

Meus caros alunos, professores dos Centros de Ensino Médio Integrado à Educação Profissional do Gama e de Samambaia.

Senhoras e senhores jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas,

Senhoras e senhores,

 

Os prêmios que hoje entregamos representam o reconhecimento da importância da pesquisa científica para a construção de um Brasil mais desenvolvido. 

A dedicação, o talento e a curiosidade de vocês, de cada um, contribuem para a ampliação dos seus próprios horizontes, sem sombra de dúvida, mas também constrói um futuro melhor para nosso país.

Nesta 26ª edição, o Prêmio Jovem Cientista tratou do tema da Inovação Tecnológica nos Esportes, em linha com os grandes eventos que o Brasil irá sediar – a Copa do Mundo, [20]14 e também as Olimpíadas de [20]16, bem como a Copa das Confederações, no ano que vem.

Sem sombra de dúvida, no mundo, tanto o esporte de alto desempenho quanto a indústria do esporte, ela necessita da ciência e do desenvolvimento tecnológico para dar seus passos. Nenhum país que conseguiu ter um grande desempenho nos jogos, sejam eles futebol ou Jogos Olímpicos, abriu mão da ciência e da tecnologia para atingir os seus objetivos.

Por isso, eu queria cumprimentar o MCTI e o CPNq pela escolha de inovação tecnológica nos esporte nesse ano. Ele está, sem dúvida, como eu disse, em linha com esses acontecimentos e com as necessidades do país. Cada um de vocês que deram sua contribuição sobre esse tema, e o grande número de trabalhos apresentados, dois mil e setenta, mostra que houve uma mobilização e que ela surtiu resultados. O elevado nível dos trabalhos inscritos demonstra o talento da nossa juventude.

Parabenizo a todos, a todos os jovens que apresentaram projetos de pesquisa científica nas categorias graduado, ensino superior e ensino médio. Mas, parabenizo em especial a cada um que se destacou e que recebeu o merecido prêmio. Que permaneçam em vocês a tenacidade, persistência e esse olhar curioso que desvenda aquilo que pesquisa. Sejam bem vindos à comunidade científica, que receberá os classificados em primeiro lugar na próxima reunião anual da SBPC, em 2013.

Parabenizo, também, os professores que orientaram e despertaram em cada um de vocês a curiosidade e a capacidade criativa. Espero que essa curiosidade, essa capacidade criativa, essa necessidade de fazer perguntas e construir respostas, permaneçam com vocês ao longo da vida. Espero que os educadores que deram essa contribuição ao país, continuem a fazê-lo.

E homenageio a todos na figura do doutor Luiz Fernando Martins Kruel, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O Brasil sabe que o futuro das nossas crianças, dos nossos jovens depende dos educadores. Educadores que instiguem nas nossas crianças e nas nossas juventudes, um olhar crítico que procure a experimentação, que procure a inovação e que olhe também, sem preconceito, para todos os nossos cidadãos.

Nós contamos com os educadores para fomentar o desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil, mas também contamos com eles para dar sustentabilidade a todo o esforço de elevar, de superar a pobreza no nosso país. Só a educação será o caminho dos jovens e das crianças para um futuro sustentável e permanente de saída da pobreza.

Aproveito para reconhecer o belíssimo trabalho realizado pelo Centro Educacional Adalberto Vale – de Manaus, do nosso Amazonas – e pela Universidade de São Paulo. Essas instituições foram as que mais inscreveram trabalhos científicos, trabalhos com mérito.

Senhoras e senhores aqui presentes,

Nós sabemos que o Brasil possui um grande potencial para produzir conhecimento científico, conhecimento tecnológico, inovação. Nós temos pesquisadores e cientistas qualificados. Nós temos instrumento particular: a pesquisa científica com as nossas empresas, com nosso mundo empresarial.

Nós temos também jovens entusiasmados, jovens inquietos, jovens que buscam o caminho da criação. Jovens inteligentes e ansiosos por novas perspectivas de vida.

Nós estamos diante da oportunidade de dar o grande salto na qualidade da inovação e da ciência no nosso país. Salto fundamental para elevar a competitividade da nossa economia, mas, como eu disse, também para assegurar que o Brasil tenha, de fato, nestas décadas – na década que nós estamos vivendo e nas décadas seguintes -, condições para, de fato, se tornar uma grande nação de classe média.

Sem ciência, tecnologia e inovação, nós não seremos essa nação desenvolvida e não seremos esse país que sepultou, em definitivo, a pobreza extrema e a pobreza.

Para tanto, temos feito nosso esforço. Vamos investir e continuar a investir cada vez mais em educação, cada vez mais em ciência e tecnologia e a estimular ações inovadoras.

Nós estamos tomando uma série de iniciativas, como é o caso do Pronatec – o nosso programa de formação profissional. Nós estamos, com esse programa, mudando a qualidade do ensino médio e também assegurando a formação dos nossos professores, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria.

Estamos ampliando o acesso ao ensino superior, por meio da expansão da nossa rede federal de universidades e do ProUni e do nosso financiamento do Fies.

Com o Ciência sem Fronteiras, estamos estimulando a formação de nossos jovens, dando-lhes a oportunidade de estudar nas melhores universidades do mundo.

Apoiamos investimentos em inovação nas empresas aqui instaladas, por meio de linhas de financiamento do BNDES e da Finep. Temos programas de apoio à constituição de empresas inovadoras. Aprendemos que o poder de compra do Estado organiza, articula e dá impulso à geração de tecnologia e inovação no Brasil, e vamos e estamos usando esse instrumento.

Esses são apenas alguns exemplos de ações do governo que estão aliadas ao esforço, cada vez maior, da comunidade acadêmica, da sociedade civil e do setor empresarial.

Este prêmio, Prêmio Jovem Cientista, desde que foi criado, trouxe inúmeras contribuições para o Brasil. Milhares de trabalhados, desde a sua criação, foram publicados.

Falo de trabalhos que permitiram, por exemplo, melhores ações na área da saúde pública, que contribuíram para o desenvolvimento tecnológico, de nossa indústria e de nossa agricultura, e também de estudos voltados à proteção do meio ambiente. Falo dos trabalhos também que pesquisaram energias renováveis.

Quero parabenizar por isso o CNPq que a quase três décadas promove essa premiação. E parabenizo de forma especial os parceiros nessa iniciativa extraordinária para o Brasil: a Fundação Roberto Marinho, a General Electric e o Grupo Gerdau. Essa parceria permite que nós tenhamos esse incentivo, esse extraordinário incentivo para a juventude do nosso país. Premiar o trabalho, a dedicação desses jovens é reconhecer a importância do estudo e da ciência para a vida do nosso país. Sem ela, nós não seremos uma nação desenvolvida.

Parabéns aos organizadores do Prêmio Jovem Cientista por sua competência em ampla visão de futuro. Parabéns a todos os participantes, em especial aos vencedores. Saibam que o país conta com todos vocês para que possamos construir juntos uma nação mais justa, mais desenvolvida e voltada para os interesses do nosso povo.

Muito obrigada.

 

Ouça a íntegra do discurso (13min08s) da Presidenta Dilma.