Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na cerimônia de entrega do Prêmio Finep de Inovação 2011

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na cerimônia de entrega do Prêmio Finep de Inovação 2011

por Portal do Planalto publicado 15/12/2011 14h11, última modificação 04/07/2014 20h09
O Prêmio Finep de Inovação foi criado para reconhecer talentos na área da inovação, oriundos de empresas, instituições científicas e tecnológicas, públicas e privadas, e inventores brasileiros com ações desenvolvidas no Brasil e aplicadas no país ou no exterior

Palácio do Planalto, 15 de dezembro de 2011

 

Eu queria cumprimentar aqui, em especial, os ganhadores do Prêmio da Finep, e dizer para vocês que este é um momento muito importante, e nós vimos aqui o entusiasmo dos ganhadores, o que só valoriza este Prêmio. Então, eu inicio cumprimentando cada um e, em especial, cumprimentando também o nosso querido Josué e, em nome dele, lembrando com saudade do vice-presidente José Alencar.

Queria cumprimentar o vice-presidente da República, Michel Temer,

O senador José Sarney, presidente do Senado Federal,

Cumprimentar os ministros e as ministras de Estado: Gleisi Hoffmann, Aloizio Mercadante, Ruy Nogueira, Alessandro Teixeira, Paulo Bernardo, Gastão Vieira, José Elito Siqueira, Ideli Salvatti, Helena Chagas e Luiz Sérgio.

Queria cumprimentar o vice-presidente da Comissão Europeia, Antonio Trajani,

Cumprimentar os senhores embaixadores acreditados junto ao meu governo,

Cumprimentar os senhores senadores José Pimentel, Luiz Henrique, Eduardo Suplicy,

Cumprimentar os deputados federais Sibá Machado, Jesus Rodrigues, Ariosto Holanda, Edson Silva e Newton Lima,

Cumprimentar o presidente da Finep, senhor Glauco Arbix,

Cumprimentar o senhor Vladimir Jesus Trava Airoldi, vencedor nacional da categoria Inventor Inovador,

Cumprimentar cada um dos senhores e senhoras representantes das empresas e entidades premiadas: Paulo Roberto Freire, pela Universidade Federal de Pernambuco; Melchiades da Cunha Neto, pela Scitech-Produtos Médicos; Guilherme Godofredo Bernard, pela Reason Tecnologia; Josineide Barbosa Malheiros, pela Associação dos Trabalhadores Agroextrativistas da Ilha das Cinzas; Milton Oscar Castella, pela WEG Equipamentos Elétricos; Frederico Fleury Curado, pela Embraer; Paulo Coutinho, pela Braskem S.A.; Nelson Rozental, pela BRZ Investimentos; Marcus Uchoa Regueira, pela FIR Capital Partners; Álvaro Gonçalves, pelo Grupo Stratus.

Cumprimentar os jornalistas aqui presentes, os fotógrafos e os cinegrafistas,

Senhoras e senhores,

O Prêmio Finep que entregamos hoje é nosso reconhecimento da importância da inovação na agenda do governo e dentro de uma estratégia de desenvolvimento do país. Este Prêmio, ele exalta a inovação como base dos avanços necessários à era do conhecimento.

Este Prêmio mostra a importância que nós atribuímos à inovação, tanto nos setores empresariais como também no setor de pesquisa e desenvolvimento de ciência e tecnologia dos centros de pesquisa espalhados por este Brasil. Ele se insere num esforço que estamos fazendo no sentido de ter um país mais rico e mais forte, com maior capacidade de competir, com maior capacidade de agregar valor, de inovar e de dar um salto fundamental em direção a um país grande potência.

Com este Prêmio, o governo brasileiro estimula e reconhece pessoas, empresas e instituições que criaram e adotaram inovações que resultam e resultaram em processos novos, em produtos novos e em novos serviços.

Alguns poucos foram escolhidos, mas eu presto aqui homenagem a todos os inscritos, aos 400 deste ano, assim como aos quase seis mil que até hoje o Prêmio teve como participantes. Premiados e participantes formam o contingente dos brasileiros que sabem fazer a diferença. A todos, os meus parabéns! Este contingente é um contingente de vanguarda no Brasil.

Há mais de 14 anos a Finep reconhece ideias e práticas inovadoras por meio deste Prêmio. Embora um prêmio já tradicional, em poucos momentos como este ele foi tão importante e tão oportuna é a homenagem que ele representa. O atual cenário econômico internacional que todos vocês, sem dúvida, acompanham exige de nós mais competitividade e exige de nós, neste momento em que os mercados dos países desenvolvidos e mesmo dos países emergentes se reduzem e todas as empresas se voltam em busca de mercados significativos, exige de nós capacidade de competir, e a agregação de valor e a inovação serão, talvez, dos maiores instrumentos da próxima década e dos próximos anos.

Para enfrentar este desafio, tanto do cenário internacional como o nosso próprio desafio, que é cada vez mais nos tornarmos, de fato, o Brasil – quinta economia ou quarta economia ou sexta economia, seja o ranking que estivermos – um país cada vez mais forte, nós precisamos enfrentar este desafio, e, para enfrentar, nós vamos ter de criar, inventar e inovar.

Não tenhamos dúvida: o Brasil só vai conseguir usufruir verdadeiramente dos frutos da era de prosperidade que podemos, devemos e estamos construindo se investir, metódica e sistematicamente, em educação, em pesquisa, em tecnologia, e se for capaz de traduzir tal investimento em conhecimento e em inovação – novos processos, novos produtos, novos serviços.

Não falta vontade política e não falta decisão firme do nosso governo de investir em inovação. É prioridade, para nós, qualificar os brasileiros para uma era de desenvolvimento sustentada pelo avanço científico e pela inovação.

Eu tenho dito que o Brasil tem de enfrentar, simultaneamente, dois grandes desafios: o desafio de combater a miséria e de elevar o nosso país à condição de classe média, simultaneamente com o desafio de sermos capazes de criar tecnologia avançada e sermos capazes de inovar.

Por isso, nós ampliamos, com o Brasil Maior – o Programa Brasil Maior – os recursos que a Finep utiliza e fizemos isso para que a Finep tenha condições de apoiar a inovação das empresas, com taxas de juros subsidiadas, sim. Estamos trabalhando para aprimorar o marco legal da inovação no Brasil, em especial para utilizar o poder de compra do Estado brasileiro, para estimular a geração de tecnologia em nosso país. Adotamos medidas para estimular o aumento do investimento privado em pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação. Queremos que o Brasil seja capaz de absorver, criar e transformar o que há de mais avançado em tecnologia no mundo.

Por isso estamos investindo tanto no nosso programa de bolsas de estudo nas melhores universidades do mundo, concedidas pelo Programa Ciência sem Fronteiras. Por isso estamos investindo tanto na criação de mais cursos tecnológicos, na abertura de novos cursos superiores, na interiorização do ensino técnico, médio e superior, e na formação de brasileiros e de brasileiras da creche à pós-graduação.

Os brasileiros e as brasileiras e os cidadãos que hoje estão sendo homenageados pela Finep, assim como todos os que participaram no concurso, serão vanguarda no nosso desenvolvimento. A cada um deles, pelo esforço, pela inovação, nós devemos não só a nossa homenagem, mas o reconhecimento de que são um exemplo para as gerações de brasileiros que entram nessa atividade, que é a atividade de formação educacional, de empreendimento numa atividade de inovação e criação.

Por isso, eu quero dizer para vocês: nós temos de reforçar as duas pernas deste modelo. E, como vocês sabem, essas duas pernas são educação, educar e inovar, que têm de se transformar em imperativos nacionais, têm de se transformar em exigências presentes na agenda de cada um de nós – trabalhadores, empresários, estudantes, pesquisadores, professores.

O Brasil nunca precisou tanto de inventores e de criadores, porque a educação e a inovação são agora, claramente, neste momento em que superamos muitas das nossas dificuldades, neste momento em que se abre para nós um caminho sustentável de crescimento, educação e inovação são elementos essenciais na construção desse caminho e no fato de este caminho se transformar num caminho sustentável, em que nós começamos, no presente, construindo o futuro.

Nós inovamos, muitas vezes, para além do que foi reconhecido neste Prêmio, porque o Brasil, como sociedade, inovou também. Inovou ao construir uma sociedade democrática, inovou ao ser capaz de construir uma sociedade em que as instituições estão plenamente equilibradas, as instituições são estáveis. Inovou quando também mudou sua trajetória e passou a crescer distribuindo renda e tornando o país estável politicamente. E acredito que nós, sobretudo... todos nós inovamos ao decidirmos que o Brasil não podia mais ser um país estagnado economicamente, com um futuro incerto, desigual e injusto com o seu povo.

Eu quero dizer para vocês que hoje o Brasil está em outro patamar e em outro caminho. Nós não conquistamos tudo o que queremos. Por isso temos de persistir e temos de perceber que ainda muito falta para ser feito. Dependemos hoje, ainda mais, de nossa própria capacidade. Conquistamos um patamar de autoestima e, portanto, somos hoje plenamente capazes de inventar, de criar, de inovar.

E é isso que estamos celebrando hoje, é isso que homenageamos quando entregamos o Prêmio ao Paulo Roberto; quando entregamos o Prêmio ao Melchiades Neto; quando entregamos o Prêmio ao Guilherme Bernard; à Josineide Barbosa; ao Milton Oscar Castella; ao Frederico Fleury Curado; ao Paulo Coutinho; ao Nelson Rozental; ao Marcus Uchoa Regueira; ao Álvaro Gonçalves.

É isso que temos certeza que o Brasil continuará fazendo nos próximos anos. Celebramos aqui a capacidade inovativa desses brasileiros e brasileira, e a certeza de que continuaremos avançando na construção de um Brasil que cresce, que inova e que distribui renda.

Tenho certeza que, com a força de vocês, o nosso país será, sem dúvida, um grande sucesso e poderá receber, ele também, o Prêmio Finep.

 

Ouça a íntegra do discurso (15min29s) da presidenta Dilma