Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na cerimônia de anúncio de investimentos do PAC2 Copa

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na cerimônia de anúncio de investimentos do PAC2 Copa

por Portal do Planalto publicado 16/09/2011 14h36, última modificação 04/07/2014 20h07
Presidenta Dilma afirmou que investir em infraestrutura é uma maneira de dizer ‘não’ à crise internacional e um ‘sonoro sim’ ao crescimento e à melhoria de vida da população

Belo Horizonte-MG, 16 de setembro de 2011

 

Eu queria primeiro cumprimentar, aqui, todas mineiras e os mineiros aqui presentes,

E cumprimentar também o nosso querido governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia,

Dirigir um cumprimento muito especial ao nosso rei, ao nosso rei Pelé, embaixador extraordinário [honorário] do Brasil para a Copa de 2014, e dizer que nós estamos aqui – nos mil dias – com um especialista em mil, especialista pelos seus 1.283 gols. E nós todos aqui vamos convir que um especialista em mil dá muito orgulho para o nosso país.

Queria cumprimentar também meus ministros e ministras: Fernando Pimentel, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; o meu querido ministro Orlando Silva, do Esporte, que tem a função de coordenar todas as atividades do governo ligadas à Copa do Mundo de 2014,

Queria também cumprimentar a ministra Helena Chagas, da Comunicação Social,

E dirigir um cumprimento também ao vice-governador de Minas Gerais, senhor Alberto Pinto Coelho, presidente estadual do Comitê Gestor da Copa,

Cumprimentar o nosso senador Clésio Andrade,

Os deputados federais Carlos Melles, Bilac Pinto, Gabriel Guimarães, João Moraes, Reginaldo Lopes, Walter Tosta, Weliton Prado,

Dirigir um cumprimento todo especial ao prefeito de Belo Horizonte, nosso anfitrião no dia de hoje, juntamente com o governador Anastasia e, sobretudo, um grande parceiro e um prefeito extraordinário no que se refere à sua capacidade de gestão e articulação, o nosso querido Marcio Araújo de Lacerda,

Queria cumprimentar também as prefeitas e os prefeitos: de Betim, Maria do Carmo Lara; de Ibirité, Laércio Marinho Dias; de Ribeirão das Neves, Walace Ventura; de Santa Luzia, Gilberto Dorneles; de Sabará, William Borges,

Cumprimentar também o vice-prefeito de Belo Horizonte, Roberto Carvalho,

O vereador Léo Burguês de Castro, presidente da Câmara Municipal, por meio de quem eu cumprimento os senhores vereadores e todos as lideranças políticas locais,

Queria cumprimentar também o prefeito Rogério Avelar, prefeito de Lagoa Santa e presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte,

Queria cumprimentar as senhoras jornalistas, os senhores jornalistas, os fotógrafos e os cinegrafistas.

Senhoras e senhores,

Nós começamos hoje a contagem regressiva dos mil dias para a Copa do Mundo de 2014. Nós sabemos que essa Copa do Mundo se dá em um momento muito importante para o Brasil, quando nós atingimos, enquanto país, um momento de transformação muito importante. Uma transformação cuja característica – e que nós mais nos orgulhamos – é o fato dele ter incluído mais de 40 milhões de brasileiros, elevando-os à condição de classe média. Esse é um desafio que nós estamos continuando, através de vários programas, entre eles o Brasil sem Miséria.

Mas uma Copa do Mundo, ela é um momento também de afirmação do país, de afirmação da sua capacidade de organizar, talvez, um dos maiores eventos hoje, não só porque o Brasil é um permanente apaixonado pelo futebol, mas hoje – até com a contribuição do nosso rei Pelé – um evento internacional. Se teve alguém responsável – para várias gerações de jovens, crianças e adultos no mundo – para levá-los a gostar e admirar o futebol, é o nosso querido Pelé. Um brasileiro com um talento excepcional, com uma capacidade física fantástica e com um talento extraordinário que apaixonou o mundo em várias jogadas.

E esse grande atleta, talvez, não só o maior atleta do século XX, mas seguramente dos últimos tempos e do momento atual, este grande atleta se soma na sua dimensão – não só nacional, mas internacional – a um país que também cresce e que conquista o mundo. Por isso, eu acredito que este é um momento muito especial.

É também um momento especial porque eu estive lá no Mineirão e lá eu vi a imensa e a extraordinária obra feita pelo governo do estado e a prefeitura, no sentido de viabilizar, com a parceria de empresários privados, um estádio em um prazo excepcional, que vai atender não só a Copa do Mundo, mas a Copa das Confederações. É, de fato, um dos estádios com um tempo de resolução dos mais extraordinários do Brasil.

Eu queria também destacar a obra que eu vi no viaduto ali, que passa pelo viaduto Abraão Caram, que vai dar lá no estádio, também uma obra bastante avançada, e também o Boulevard sobre o Arrudas [ribeirão Arrudas].

Mas eu vim aqui hoje para fazer um anúncio, e é um anúncio que eu considero dos mais importantes. Eu reconheço o esforço do prefeito Marcio Lacerda e do governador Anastasia para que isso fosse viável. Eu me refiro aqui ao Metrô, ampliação da Linha 1 e... (aplausos). Então, voltando, Metrô... ampliação da Linha 1 e a [implantação das] Linhas 2 e 3. Além disso, estão previstos 11 terminais, passando por sete municípios – Sabará, Ribeirão das Neves, Vespasiano, Contagem, Santa Luzia, Ibirité e Sarzedo.  E nós fizemos um grande esforço no sentido de viabilizar essa obra, por isso o governo federal está colocando [R$] 1 bilhão do seu orçamento. Portanto, é dinheiro do Orçamento Geral da União. Está colocando, também, de financiamento, à disposição da Prefeitura e do governo estadual, [R$] 770 milhões [recursos de financiamento para o Metrô]. Nesses 11 terminais serão mais [R$] 135 milhões de financiamento; e também, hoje, no Complexo da Lagoinha, mais 128 milhões [de financiamento].

Então, eu estou muito feliz porque hoje eu estou aqui anunciando [R$] 2,13 bilhões, sendo que [R$] 1 bilhão – desses R$ 2 [2,13] bilhões – é Orçamento Geral da União.

Por que eu estou feliz? Porque eu acredito, como o meu Ministro das Cidades já falou, que aqui nesta região, que é uma região das mais importantes do Brasil, está em curso um projeto muito importante, quando a gente considera a questão da mobilidade urbana. Aqui está em curso uma ligação – metrô, BRT, sistema viário, melhorias nos trajetos, enfim –, um conjunto de obras que montam... se você somar esses [R$] 2,13 milhões [R$ 2,13 bilhões] de hoje, mais [R$] 1,446 bilhão da matriz da Copa, chega a [R$] 3 bilhões e 400 ... [R$] 3,459 bilhões.

E aí não é o número que é importante. O que é importante é a qualidade da proposta feita pelo estado e pelo município, abrangendo o conjunto dos municípios, também, da Grande Belo Horizonte. É um projeto que tem por objetivo – eu acho que é isso o que nós temos de destacar – a melhoria da vida das pessoas porque, obviamente, todos aqueles belo-horizontinos e grande belo-horizontinos – mineiros e brasileiros – que ficam e passam uma parte dos seus dias dentro do transporte, o que eles querem é mais conforto, mais segurança e mais rapidez. E eu acredito que o projeto apresentado ao governo federal pela Prefeitura e pelo estado contemplam essas três qualidades. Por isso eu fico muito feliz de estar aqui hoje.

No avião, nós vínhamos conversando com o Pelé, com o Ministro das Cidades, com o nosso ministro Orlando, que estávamos vendo justamente que aqui em Belo Horizonte – pela primeira vez, desde que Belo Horizonte foi fundada – tem um investimento tão concentrado, porque a parte do estado e do município eu não estou falando aqui. Mas tem a parte do estado e do município, que é muito importante. Eu acredito que, se somar as duas partes, nós vamos chegar por volta de quase uns 6 bilhões de investimento aqui nesta região. E por isso eu posso dizer que, talvez, nesse período concentrado, em Belo Horizonte nunca houve, nem aqui nesta região, um investimento deste porte, somando as nossas iniciativas.

Hoje, neste dia que nós estamos contando mil dias para a Copa, ver de um lado uma obra do porte de todas essas da Copa, de mobilidade urbana, já liberadas – que é o BRT da Antônio Carlos e da Pedro II, a Central de Controle de Tráfego, o Boulevard Arrudas, o BRT Cristiano Machado, Via 210, Via 710, o BRT da área central e corredor Pedro II –, ver tudo isso já em andamento e, ao mesmo tempo, constatar que nós temos um horizonte de investimento em que está presente o metrô, a ampliação da via [Linha] 1 e construção... e efetivação das [Linhas] 2 e 3, permite que eu diga para vocês que continuar investindo pesadamente em obras de infraestrutura é parte da nossa estratégia para garantir que o Brasil mantenha o desenvolvimento em ritmo adequado.

Investir em infraestrutura é uma maneira de dizer não à crise internacional que afeta os países da Zona do Euro e os Estados Unidos; é uma maneira de dizer não a todas aquelas tentativas passadas de, sempre que havia crise, nos levar para a redução do ritmo de crescimento; e é uma maneira de dizer um sonoro sim ao crescimento, à melhoria de vida das nossas cidades e das populações urbanas.

Eu aproveito o dia de hoje para duas coisas. Primeiro, para cumprimentar cada um dos prefeitos das 12 cidades da Copa, das 12 cidades que, pelo Brasil afora, estão fazendo um esforço enorme para construir seus estádios e fazer suas obras de mobilidade urbana; e também os senhores governadores.

Mas eu quero também concentrar esta cerimônia para que Belo Horizonte e Minas Gerais tenham, de fato, não só um legado da Copa mas tenham, de fato, uma estrutura de transporte à altura da importância do estado de Minas Gerais. Sem dúvida, o Metrô de Belo Horizonte faz parte da nossa estratégia para que o Brasil continue crescendo.

Eu queria dizer que eu fico muito feliz porque, de fato, eu me comprometi – no dia 21 de dezembro de 2012 – a voltar aqui e assistir ao Pelé fazer um gol. Porque o Pelé queria que eu fizesse um gol, mas a minha habilidade não é essa, é a dele. Então, assistirei ao Pelé fazendo um gol.

E dizer outra coisa: às vezes há coincidências fantásticas na vida. Então, vim eu... tirante o Orlando, a gente tira o Orlando. Mas viemos eu e o Pelé aqui para comemorar os mil dias. Dois mineiros: um de Belo Horizonte e o outro de Três Corações, tricordiano, ali, o nosso Pelé.

Esse metrô, que não é uma obra específica da Copa, mas é uma obra – como tantas outras ligadas à Copa – para Belo Horizonte, ele nasce sob bons auspícios, os auspícios destes mil dias e de um grande especialista em mil.

Por isso, eu agradeço a todos vocês e desejo ao nosso querido Anastasia e ao Márcio Lacerda muito trabalho, para a gente fazer com que esse metrô fique à disposição dos mineiros o mais rápido possível. O que nós pudermos ajudar, Márcio, o que nós pudermos ajudar, Anastasia, nós ajudaremos.

Um abraço a todos.

Ouça a íntegra do discurso (19min16s) da Presidenta Dilma