Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na cerimônia de abertura da 30ª Festa da Uva 2014 - Caxias do Sul/RS

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, na cerimônia de abertura da 30ª Festa da Uva 2014 - Caxias do Sul/RS

por Portal Planalto publicado 20/02/2014 18h21, última modificação 07/07/2014 10h53

 

Caxias do Sul-RS, 20 de fevereiro de 2014

 

Oi, boa tarde a todos e a todas. Eu te dou o autógrafo, pode deixar. Vou escrever um autógrafo bonito para você, pode esperar.

Eu quero, primeiro, dirigir um cumprimento muito caloroso e homenagear aqui o senhor Edson Nespolo, presidente da 30ª Festa da Uva.

Queria, também, cumprimentar a Cristina Nespolo, a rainha Giovana Crosa e as princesas Gabrielle e Karina.

Também cumprimentar as senhoras embaixadoras, ali na plateia.

Em ano de Copa do Mundo, nós temos que homenagear um técnico do calibre do nosso Luiz Felipe Scolari. Mais uma vez, eu acho que nós devemos aplaudi-lo. Ele tem o nosso apoio, mas, sobretudo, o nosso coração e a nossa torcida.

Queria cumprimentar e agradecer essa parceria fantástica que, desde 2011, nós estabelecemos com o governador do Rio Grande do Sul, o nosso Tarso Genro.

Cumprimentar os ministros de Estado que me acompanham aqui neste momento histórico, que é a 30ª Festa Nacional da Uva, começando pelo nosso ex-prefeito de Caxias, ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas; pelo ministro do Turismo, o maranhense Gastão Vieira; o nosso ministro gaúcho, Henrique Paim, da Educação; o nosso ministro Aguinaldo Ribeiro, do Ministério das Cidades, da Paraíba; o ministro da Secretaria de Comunicação Social, o paranaense Thomas Traumann; e a nossa querida, eu deixei ela para o fim, mas a nossa querida ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário. Gaúcha, como todos sabem.

Queria dirigir um cumprimento ao embaixador da República Italiana no Brasil, Raffaele Trombetta.

Ao presidente da Assembleia Legislativa do estado do Rio Grande do Sul, deputado Gilmar Sossella. Em nome dele, eu cumprimento todos os deputados estaduais aqui presentes.

Queria dirigir um cumprimento especial, agradecer a recepção fraterna, a parceria, ao nosso prefeito de Caxias do Sul, Alceu Barbosa, e à sua esposa, primeira-dama, Alexandra Baldisserotto. Por meio do casal, eu cumprimento todos os prefeitos e as prefeitas aqui presentes.

Cumprimentar o nosso querido caxiense, senador Paulo Paim.

Cumprimentar o ex-governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto.

Os deputados federais aqui presentes: Alceu Moreira, Assis Melo, Elvino Bohn Gass, Henrique Fontana, Jerônimo Goergen, Marco Maia e Vieira da Cunha.

Cumprimentar o presidente da Câmara Municipal de Caxias do Sul, vereador Gustavo Toigo.

Queria cumprimentar as senhoras e os senhores dirigentes das federações de indústria e de comércio aqui presentes.

Cumprimentar as senhoras e senhores expositores e participantes da 30ª Feira da Uva e da 24ª Feira Agroindustrial de Caxias do Sul.

Cumprimentar as senhoras e os senhores dirigentes sindicais, representantes de trabalhadores da agricultura familiar e produtores.

Cumprimentar as senhoras e os senhores jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.

 

Ao receber o convite para participar, aqui, da 30ª edição da Festa da Uva, eu acredito que todos que foram convidados tiveram a mesma atenção chamada, mas, o que despertou o meu interesse foi também esse título escolhido para esta 30ª edição da Festa da Uva, que é “Na Alegria da Diversidade”.

De fato, o Brasil é um país que se orgulha de possuir uma diversidade étnica e cultural. Essa diversidade étnica e cultural nos engrandece e também nos torna um povo alegre. Um povo que constitui uma nação, uma nação rica em multiplicidade e em diversidade, uma nação rica no respeito a hábitos, costumes e tradições porque convive com eles. Convive e isso implica, também, em uma enorme capacidade de conviver com o outro, que deve nos orgulhar muito.

É muito importante que este país seja capaz de se olhar no espelho e de se afirmar. É um país generoso. Eu sou presidenta da República e filha de imigrante. O senador Paim é um representante digno dessa grande raça que nos conforma, que veio da África. Aqui em Caxias do Sul, nos orgulha essa população generosa e trabalhadora, alegre, de italianos, de alemães, de poloneses, e, sobretudo, é um marco para o Brasil ter aqui o Monumento Nacional do Imigrante, que hoje o prefeito, de forma generosa – e eu queria agradecê-lo –, me conduziu para visitar.

Nós estamos construindo um país que respeita a diferença. Queria dizer para vocês que a Copa do Mundo é um momento especial, onde os povos se encontram, se encontram para uma disputa lúdica, para uma disputa em que a marca deve ser o convívio harmonioso entre diferentes nações.

E nós, nesta Copa do Mundo, teremos afirmação de dois importantes posicionamentos para a realização dela no Brasil. É uma Copa da paz e uma Copa que, de fato, contempla a questão da alegria na diversidade, porque é uma Copa contra o racismo. São esses dois temas, junto com o fato de nós sermos um país de campeões, craques, nós temos dois técnicos campeões, e não é à toa que nós aplaudimos, com o coração, o Luiz Felipe Scolari. Mas nós temos, sobretudo, esse valor da nossa diversidade que nós devemos expressar em todos os momentos para o mundo. Somos um país que vive em paz com seus vizinhos há 140 anos.

Por isso, eu fico muito feliz de estar aqui, nesse momento, nesta edição da Feira [Festa] Nacional da Uva, pois nós estamos, aqui, reconhecendo e respeitando as diferenças que unem a sociedade brasileira, e queremos construir uma sociedade cada vez mais harmoniosa, com oportunidade para todos os brasileiros, todos os gaúchos e todos os caxienses.

Ao longo de nossa história, a receptividade que o nosso povo teve para com os imigrantes vindos de todas as partes do mundo, até por que cada um, à sua forma, era um imigrante, exceto as nossas populações indígenas, é uma das nossas marcas. E por isso eu queria saudar os sobrenomes de italianos e alemães que a rainha Giovana e as princesas Gabrielle e Karina carregam e honram, e que são parte importante da nossa história.

Aliás, é interessantíssimo o fato de que a primeira Festa da Uva, em 1931, foi idealizada por um descendente de portugueses, nascido em Rio Pardo, o senhor Joaquim Pedro Lisboa. Então, ao celebrar a diversidade, esta edição da Festa da Uva honra o idealizador da sua primeira edição. Diversidade que se aprofundou e transformou Caxias nessa metrópole regional e multicultural que dá grande contribuição econômica ao nosso país. Portanto, eu quero dizer a vocês que, para mim, mais uma vez, é um prazer estar aqui. É a minha terceira presença nessa festa que reverencia a tradição e homenageia as raízes de Caxias do Sul. Fico muito feliz, mais uma vez, de estar aqui.

Hoje, Caxias do Sul é um centro importante, que veio se desenvolvendo ao longo do tempo, na produção de uva e de vinho no Brasil. Hoje, Caxias e toda a região da Serra gaúcha são referência na vitivinicultura, e os vinhos e sucos aqui produzidos vêm ganhando, a cada ano, qualidade e reconhecimento dentro e fora do Brasil. Hoje, Caxias e a toda a Serra Gaúcha se diversificaram, transformando-se, também, em um pólo de indústria metal-mecânica, de indústria moveleira, de plástico, do vestuário e da indústria de alimentação. O Rio Grande, por essa contribuição de Caxias, se tornou o maior produtor de uva do Brasil. Quase 90% dos estabelecimentos que produzem uva no estado são propriedades familiares, o que mostra o vigor, o potencial e o horizonte de desenvolvimento de produção de renda que as propriedades familiares têm. Por isso, poucos momentos são tão adequados para reafirmar o compromisso do meu governo com os produtores de uva e de vinho brasileiros, como essa Festa Nacional da Uva. Por isso poucos momentos também são tão adequados para reafirmar o meu compromisso com a economia de Caxias e da região.

Faço questão de repetir aqui, hoje, o que disse em 2012, quando estive aqui nessa mesma feira e nessa mesma festa. Vocês têm uma presidenta parceira da produção agrícola-industrial desta região e que tem muito orgulho de vir participar desta Festa Nacional da Uva.

Eu gostaria de dar alguns exemplos da parceria que o meu governo tem com esses segmentos e com esta região, como o volume crescente de crédito alocado a cada ano para o setor da vitivinícola. Trata-se de crédito a baixo custo, com prazos adequados, que beneficia produtores, cooperativas e beneficia também as indústrias. Outros exemplos são as linhas do Pronaf, para compra de equipamentos agrícolas, as linhas de financiamento do Programa de Sustentação do Investimento, financiamento com prazos adequados e taxas de juros bem baixas. As linhas, também do Pronaf, que financiam a agroindústria, especialmente para as cooperativas, que aqui nesta região são muito fortes. Quero destacar a publicação no Diário Oficial de hoje do novo preço mínimo de R$ 0,63 por quilo de uva, que irá vigorar ao longo deste ano, e que conforme acordado com o setor, é 10% superior ao vigente até agora. Este ano nós vamos colocar mais cedo os instrumentos de política agrícola que facilitam o escoamento dos estoques de sucos e vinhos para que o apoio à comercialização da uva chegue efetivamente aos agricultores e suas cooperativas no momento que vocês mais precisam.

Gostaria, ainda, de informar que será publicado no Diário Oficial de amanhã, sexta-feira, 21 de fevereiro, o decreto que regulamenta a chamada Lei do Vinho. Esse decreto foi discutido e acordado com as principais entidades do setor e atualiza a nossa legislação, adequando-a aos padrões do Mercosul. Essa tem sido nossa prática: aprimorar a cada safra os instrumentos de apoio à produção agropecuária brasileira e à sua comercialização. Nossa tarefa, que cumprimos com zelo, é oferecer aos dedicados e competentes agricultores de nosso país, o apoio que precisam para continuar batendo recordes de produção e garantindo o abastecimento e a segurança alimentar de nossa população.

Queridos amigos e amigas desta feira nacional,

O fato é que, nesse momento, aproveitando essa oportunidade, em uma feira agroindustrial, realizada nessa cidade que abriga o segundo pólo metal-mecânico do Brasil, eu não poderia deixar de dirigir algumas palavras aos produtores industriais. Uma decisão de meu governo é estratégica para a indústria da região. Estratégica, necessária e imprescindível: dar preferência à indústria nacional nas compras governamentais. Isso vale para as máquinas e equipamentos agrícolas que são financiados pelo Plano Safra, que neste ano de [20]13 e [20]14 envolve R$ 157 bilhões. Vale para os 23 mil ônibus do programa Caminho da Escola demandados pelo governo federal de 2011 a 2013, que servirão para o transporte escolar e para os ônibus que, em 2014, ainda serão comprados. Vale para os veículos adquiridos pelas Forças Armadas brasileiras, que trouxeram uma quantidade significativa de pedidos para a indústria da região. Vale para as 18 mil máquinas, retroescavadeiras, motoniveladoras, pás-carregadeiras, caminhões-pipa e caçamba, que estamos doando para os 5.061 municípios com até 50 mil habitantes, que foram, de fato, uma parte dirigidas para aqui, para a região. Os resultados desses e de outros... de outras iniciativas beneficiaram várias empresas aqui e geraram o que é mais importante, emprego e renda no Brasil, e não os desviaram para outros países. E isso resultou em linhas de produção com altíssimo nível de ocupação, em carteiras de encomendas expressivas e em emprego e renda para os nossos trabalhadores.

Estou certa que as indústrias de Caxias do Sul reconhecem o extraordinário potencial dessa escolha que fizemos em favor da indústria e do emprego dos brasileiros. Essa estratégia, que se mostrou extremamente bem-sucedida no caso da indústria naval e de petróleo e gás, continuará sendo adotada, até porque queremos ir além do estímulo à produção. Queremos transformar a política industrial de compras governamentais em instrumento cada vez mais poderoso em favor da incorporação de novas tecnologias e da geração de inovação aqui no Brasil.

É importante destacar, ainda, que as empresas aqui da região se beneficiam e se beneficiarão do programa Inovar-Auto, que incide sobre a cadeia produtiva da indústria automobilística. Refiro-me aos setores de autopeças, de implementos rodoviários e também às empresas fabricantes de ônibus.

Mas, senhoras e senhores, sobretudo, eu quero dizer que hoje Caxias do Sul está de parabéns. Parabéns porque, junto com esta Festa Nacional da Uva, recebe um novo campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul. O campus de Caxias do Sul terá capacidade para 1.400 alunos nos cursos técnicos em plásticos, em química e fabricação mecânica, nos cursos superiores de tecnologia em processos metalúrgicos, e licenciatura em matemática, e também nos cursos de soldagem, desenho mecânico e inglês instrumental. Tudo isso para potencializar ainda mais a vocação empreendedora altamente produtiva aqui da Serra Gaúcha, em especial de Caxias.

Nós compartilhamos com vocês a consciência da importância da capacitação profissional continuada. Por isso, agradeço também a parceria com o Pronatec... aliás, a parceria feita pelo Pronatec, pelos representantes aqui da indústria, especialmente da Fiergs. Agradeço ao Müller por isso.

Essa parceria que o governo empreendeu, utilizando seus institutos federais e o sistema S, atingiu a marca de 5,8 milhões de brasileiros. O Rio Grande é o terceiro estado brasileiro, e o governador Tarso Genro está de parabéns, com o maior número de matrículas, que já somam 380 mil, nesse grande esforço de capacitação dos jovens, das mulheres e dos trabalhadores deste nosso país. Só na região, aqui na grande Caxias, são mais de 34 mil formandos, sendo que só o município de Caxias responde por 18 mil matrículas.

Meus amigos e minhas amigas,

Acredito que a ideia e o espírito desta Feira Nacional e desta Festa Nacional da Uva são um só, além da alegria na diversidade, é vamos em frente. Vamos em frente porque o nosso futuro será cada vez mais de bons frutos, como é aqui a produção de uva. Que nossa diversidade étnica e cultural seja sempre a tônica da nossa vitalidade e do nosso desenvolvimento e da nossa alegria. Muito sucesso para todos vocês que participam desta 30ª Festa Nacional da Uva e da 24ª Feira Agroindustrial.

Muito obrigada a todos, foi um prazer estar aqui.

 

Ouça a íntegra (26min57s) do discurso da Presidenta Dilma