Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante o Fórum de Diálogo Brics/África

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante o Fórum de Diálogo Brics/África

por Portal do Planalto publicado 27/03/2013 14h06, última modificação 04/07/2014 20h15

Durban-África do Sul, 27 de março de 2013

 

Queria cumprimentar os senhores presidentes Jacob Zuma, Vladimir Putin, Xi Jinping e o primeiro-ministro Manmohan Singh, integrantes do grupo Brics.

Queria cumprimentar os chefes de Estado aqui presentes, a começar de todos os presidentes e primeiros-ministros africanos que comparecem a este Fórum Brics/África.

Queria cumprimentar também o excelentíssimo senhor Hailemariam Desalegn, primeiro-ministro da Etiópia e presidente da União Africana,

Queria cumprimentar a senhora Nkosazana Dlamini Zuma, presidenta da Comissão da União Africana,

Queria cumprimentar também os ministros e outras autoridades de Estado aqui presentes,

Senhoras e senhores,

 

É com grande satisfação que reencontro agora, em Durban, muitas das lideranças com as quais estive em visitas bilaterais e encontros multilaterais, e em Malabo, na última 3ª Cúpula América do Sul-África, em fevereiro. Por isso, agradeço ao presidente Zuma a oportunidade de discutir o tema da infraestrutura, central para o desenvolvimento dos nossos países, países do Brics e países da África.

Nós temos certeza de que quando melhoramos o transporte, as comunicações, o fornecimento de energia logística, nossos países ganham em crescimento econômico e ganham também em bem-estar da sua população. Nós sabemos que na África, como na América do Sul e em várias partes do mundo, os organismos regionais têm papel primordial na expansão de projetos que contribuem para a estruturação econômica dos nossos países.

Passos importantes estão sendo dados, em particular pela iniciativa presidencial dos campeões em infraestrutura e o Programa para o Desenvolvimento da Infraestrutura na África, ambos no contexto da nova parceria para o desenvolvimento da África.

Contrastando com o cenário internacional de crise, a África vive grande dinamismo econômico. Dos dez países com maior crescimento previsto até 2015, sete são africanos. Como grupo, o Brics é o segundo maior parceiro comercial da África, e de longe aquele com maior ritmo de crescimento. O comércio Brics-África aumentou 10 vezes em uma década, tendo ultrapassado os US$ 330 bilhões em 2012.

Mas nossa parceria pode ir muito além, e vai muito além do comércio. Para o Brasil é fundamental colocar os investimentos, a cooperação técnica, a transferência de tecnologias, inclusive as tecnologias sociais, e outros instrumentos de colaboração a serviço do desenvolvimento local dos países africanos.

Nesta reunião estamos discutindo como podemos aplicar essa parceria entre os Brics e a África. Devemos construir juntos muitas pontes – marítimas, aéreas, culturais, educacionais, turísticas, de investimentos e comerciais –, que são necessárias para que haja uma maior aproximação entre nossas sociedades.

O Brasil é um país que tem compromisso com a África, porque a sua nação foi integrada por um componente africano muito forte. Aliás, nós somos o maior país de população africana fora da África. Por isso, temos tido um grande comprometimento no sentido de ampliar o nosso relacionamento.

E eu quero agradecer os enriquecedores comentários feitos pelos líderes africanos que falaram até agora, e dizer que nós temos consciência que a África é um continente com abundantes riquezas minerais, com abundantes recursos hídricos, com potencial energético e biodiversidade, além de uma cultura vibrante e um povo jovem e determinado a forjar caminhos próprios de desenvolvimento. Essa consciência é muito importante para que possamos forjar uma parceria entre iguais, uma parceria em que todos ganhem, uma parceria que seja o oposto do que fizeram em nossos continentes nos últimos séculos.

Passos significativos vêm sendo dados por grande parte de nossos países, no sentido de aproveitar todo esse potencial em setores diversos. Parceria na agricultura onde inclusive nós, o Brasil, temos essa similaridade imensa com a África, por termos feito, há alguns milhões de anos atrás, parte de um só continente; parceria na área de energia, na área de mineração. Há avanços notáveis também, eu acho, nas políticas, nas parcerias nas políticas de educação, saúde, nas políticas sociais e de segurança alimentar.

Eu acho que essa oportunidade que se apresenta hoje, diante de nós, na qual o grupo Brics está disposto a oferecer sua parcela de contribuição para a superação de todos esses desafios, é um momento estratégico. Nós temos uma experiência acumulada no enfrentamento de carências em infraestrutura, que poderá contribuir para nortear nossos esforços conjuntos.

O Brasil tem empresas brasileiras que trabalham aqui na África, no setor de construção civil. O Brasil também tem estabelecido parcerias, no sentido de financiamento, como aquela que nós assinamos entre o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o nosso BNDES, e o Banco Africano de Desenvolvimento.

Nós queremos compartilhar com os parceiros africanos a experiência de implementação de nossos programas sociais, porque até há pouco tempo o Brasil era um país cortado por uma profunda desigualdade social, programas esses que tiveram comprovado êxito na promoção da inclusão social e que abrangem desde distribuição de renda, geração de emprego e acesso a serviços públicos como eletricidade e água, e serviços básicos como saúde e educação.

Eu queria dizer que nesse sentido uma grande iniciativa foi tomada, com essa criação do Banco de Desenvolvimento dos Brics que se abre para parcerias também com países em desenvolvimento, sobretudo aqui na África. E eu queria dizer também, antes de finalizar, como nós todos estamos dispostos a seguir explorando mecanismos inovadores que permitam ampliar nossa cooperação com a África.

Eu estou certa que o século XXI é, de fato, um século em que a grande novidade será uma presença efetiva e cada vez mais robusta da África, no cenário econômico, político e cultural, no mundo. Nós, brasileiros, temos perfeita consciência da grande contribuição que tem, no nosso país, essa parcela da nossa população miscigenada, que trouxe para o Brasil não só a capacidade de ter uma relação muito otimista diante da vida, mas trouxe para o Brasil também uma grande capacidade de trabalho, uma grande determinação, e integra o fundo da nossa cultura.

Mais uma vez, eu queria agradecer e dizer que este é um momento especial. Acho que a parceria Brics-África expande a nossa capacidade de transformar o mundo.

Obrigada.

 

Ouça a íntegra do discurso (09min15s) da Presidenta Dilma