Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de outorga da Ordem Nacional do Mérito a educadoras brasileiras

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de outorga da Ordem Nacional do Mérito a educadoras brasileiras

por Portal do Planalto publicado 21/03/2011 18h08, última modificação 04/07/2014 20h05
As onze educadoras brasileiras agraciadas foram selecionadas por todo o Brasil por sua história ligada à Educação no país

 

Palácio do Planalto, 21 de março de 2011

 

Muito bom dia a todos.

Queria cumprimentar o senador Sarney, presidente do Senado e chanceler da Ordem Nacional do Mérito,

Eu queria dirigir uma saudação especial às 11 educadoras agraciadas com a Ordem Nacional do Mérito, seus familiares, seus amigos,

E queria também cumprimentar os ministros aqui presentes: Antonio Palocci, da Casa Civil; Eduardo Cardozo, da Justiça; Fernando Haddad, da Educação; Ana de Hollanda, da Cultura; Miriam Belchior, do Planejamento; o general Elito, do Gabinete de Segurança Institucional; Luiz Sérgio, da Secretaria de Relações Institucionais; a nossa querida Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; Ideli Salvatti, da Pesca; Iriny Lopes, da Secretaria de Políticas para as Mulheres; Maria do Rosário, da Secretaria dos Direitos Humanos,

Dirigir um cumprimento especial ao senador Cristovam Buarque, ex-ministro da Educação e um grande lutador pela qualidade da educação no Brasil,

Queria cumprimentar a deputada federal Fátima Bezerra,

Os representantes dos setores de Educação e Pesquisa,

Ao cumprimentá-los, cumprimento, em nome do Jorge [cumprimento o Jorge], presidente da Capes,

Queria cumprimentar cada um dos senhores e das senhoras jornalistas,

Senhoras e senhores,

Para mim, este é um momento muito especial e me sinto muito comovida por estar aqui hoje homenageando todas as mulheres que desempenham papel decisivo na construção do nosso país, na construção de um futuro para o nosso país. Mas, sobretudo, queria cumprimentar as 11 companheiras professoras que, aqui presentes, estão demonstrando como é importante para o nosso país pessoas que dedicam a sua vida, o seu esforço e, de uma forma extremamente generosa, contribuem para que o nosso país cresça e se desenvolva.

Nós sabemos que na construção de uma sociedade justa, de uma sociedade formada por pessoas com valores e com ética, é importante a educação. E aí essa sociedade só pode ser construída se juntos, governo e o conjunto da sociedade, passarmos a valorizar a educação como algo que faz parte do coração do próprio sentido de nacionalidade que nós devemos ter.

Eu falo dessas educadoras brasileiras, aqui representadas pelas onze companheiras professoras, que são as verdadeiras construtoras do nosso futuro porque constroem a possibilidade de jovens e crianças serem cidadãos e cidadãs íntegros e integrais.

A professora e o professor, a educadora é o personagem fundamental do projeto de desenvolvimento que começou no nosso país com o governo do presidente Lula, e por isso meu governo coloca a valorização do professor e da escola, a formação das crianças e da juventude no alto das suas prioridades mais estratégicas.

É a primeira vez que a Ordem Nacional do Mérito, criada em 1946, condecora educadoras brasileiras. Trata-se, hoje, de uma dupla homenagem. É uma homenagem à educadora, mas também é uma homenagem à mulher brasileira neste mês – desculpe – neste mês em que é comemorado o Dia Internacional da Mulher.

Tem sido uma longa trajetória de mulheres dedicadas à educação, e a nossa sociedade tem de tomar consciência disso. Quando a maioria das mulheres ainda estava restrita a viver dentro de casa, personagens como Nísia Ferreira [Floresta], Helena Antipoff ou Cecília Meireles ensinavam, dirigiam os primeiros colégios para meninas e escreviam livros pioneiros em defesa dos direitos femininos. Essas brasileiras superaram preconceitos e abriram caminhos para dar à mulher, no Brasil, o espaço a que ela tem direito como profissional e como cidadã.

É impressionante o quanto avançamos, desde então. Hoje, na educação básica, as mulheres são maioria quase absoluta. Dos mais de 1 milhão e 900 mil professores e professoras que atuam nessa área, no Brasil, é importante saber que 1 milhão e 600 mil são mulheres, ou seja, 81%. São a maioria avassaladora das educadoras e das professoras.

O mesmo acontece nas direções das escolas. A presença feminina é predominante. Mais de 85% das escolas públicas de educação básica no Brasil são dirigidas por mulheres. Por isso que nas mãos delas está o futuro dos nossos jovens e das nossas crianças. Daí por que valorizar essa profissão é algo fundamental para qualquer projeto de desenvolvimento do nosso país como um país igualitário, como um país que faz a inclusão social.

Eu tenho certeza de que hoje, aqui, nós estamos fazendo um ato e um gesto simbólicos para o conjunto do Brasil, porque nada mais fundamental do que essas mulheres brasileiras que saíram de suas casas e foram educar os filhos do nosso país. Daí por que valorizar a mulher professora é também valorizar o professor e o próprio país.

Outro dado significativo é a proporção, hoje, de mulheres que estão no ensino superior. As mulheres representam hoje cerca de 60% do total de estudantes que concluem curso superior no Brasil. Na pós-graduação, do total de mulheres bolsistas da Capes, as mulheres também já constituem a maioria. Mais da metade, hoje, das mulheres que são bolsistas são... aliás, das pessoas que são bolsistas são mulheres.

Esses números, eles demonstram, de forma muito clara, que estamos assistindo a um movimento histórico, não uma saga privada ou particular, que é muito importante e que a gente tem de valorizar, mas nós estamos assistindo a um movimento histórico. Estamos [assistindo a] um salto coletivo da mulher brasileira para se qualificar no mais alto nível e passar a participar, de igual para igual, no processo de desenvolvimento de nossa sociedade.

Isso dá à mulher professora uma grande responsabilidade e – vocês podem ter certeza – para nós, do governo, um imenso valor. E coloca também um grande desafio: a responsabilidade de garantir um país com melhores oportunidades e com melhor educação, e a responsabilidade, junto conosco, de assegurar uma educação, cada vez mais, de melhor qualidade.

Esse desafio e essa responsabilidade, o meu governo vai compartilhar com cada uma das professoras deste país, aqui representadas pelas nossas companheiras, por estas onze valorosas e corajosas mulheres que fazem jus à medalha do Mérito Nacional [da Ordem Nacional do Mérito].

As professoras que estão recebendo esta distinção se destacaram, cada uma, nos diferentes níveis da educação e nas diferentes realidades em que atuam nas diversas regiões do país. Elas representam, com as suas diferentes trajetórias, os esforços que vêm sendo desenvolvidos na área do ensino.

Para as crianças com deficiência, em escolas regulares, eu homenageio a Maria Teresa Eglér Mantoan. Para todos aqueles jovens e adultos do programa Brasil Alfabetizado, nós todos aqui e eu homenageamos a Marta Carneiro da Silva. Para todos os indígenas do nosso país, nossos povos originários, eu homenageio a Gilda Kuitá pela educação indígena. Para todos aqueles e aquelas que são crianças e jovens que estão em áreas de risco e que têm, na educação, um caminho para sua superação, eu vou homenagear aqui a Osana Morais e a Rutinéia Costa. Por todos os nossos jovens e crianças da educação fundamental, vou homenagear a Rita de Cássia Faria Farret. Pela inovação em matéria de educação infantil, a Maria Auxiliadora de Oliveira. Pela educação profissional e tecnológica, eu vou homenagear a Aurina Santana. E, Aurina, nos próximos dias nós vamos estar lançando um programa de grande significado na educação profissional, que é o grande... um dos grandes desafios do nosso país, e queria te convidar, antecipadamente, para o lançamento. Para os avanços da educação na região Norte, eu quero homenagear a Maria de Fátima Libanio da Silva.

Nós todos aqui sabemos que a formação de professores, a garantia de condições adequadas de trabalho e a remuneração para os profissionais da educação são os eixos aglutinadores que foram manifestos na minha campanha, mas também no Plano Nacional de Educação, que o então presidente Lula lançou e ao qual eu tenho integral adesão, que está hoje em tramitação no Congresso. Esse Plano, ele corresponde ao anseio do conjunto da sociedade brasileira pela democratização do acesso à educação. O Plano é fruto das conferências nacionais e contempla investimentos em todos os níveis, da educação infantil à pós-graduação.

As educadoras aqui homenageadas sabem o quanto é preciso melhorar a qualidade do ensino, em especial do ensino fundamental. Sabem da urgência em aumentar as vagas na educação infantil e no ensino médio, e é nisso que estamos trabalhando. Vamos oferecer milhares de vagas para que um número muito maior de jovens receba formação educacional e profissional de qualidade.

O desenvolvimento, como sabemos, é também uma construção própria de cada povo. É algo que não se copia, não se terceiriza e não se delega. É responsabilidade de cada um dos brasileiros e das brasileiras, professores, familiares, governo e sociedade.

Estou convencida de que a educação pública de qualidade é o alicerce insubstituível dessa obra soberana e democrática que estamos desenvolvendo conjuntamente. A escola pública de qualidade é o espaço em que devem ser corrigidas as desigualdades, em benefício das nossas crianças e dos nossos jovens.

É por isso que acredito que a universidade tem que dialogar com a educação de base, propiciando-lhe professores bem preparados. Estes, por sua vez, formarão melhores alunos para o ingresso no ensino superior. Acredito também que nesse processo não há nada mais importante do que a missão que cada professora exerce todos os dias na sala de aula.

Por causa disso, eu homenageio a última das professoras na minha lista. Em nome da educação étnico-racial do Brasil, que tem por missão elevar e tirar da pobreza também milhões de jovens, homenageio a Petronilha Beatriz Gonçalves.

É com essas educadoras e graças à sua contínua educação que nós poderemos mudar o nosso país. Ao render esta justa homenagem a essas educadoras, eu também celebro todas as mulheres brasileiras neste mês, que é o mês do Dia Internacional da Mulher e que nós transformamos no mês da mulher brasileira no Brasil.

Aí, por último, eu queria dizer a vocês que este ato, estas medalhas, elas significam o reconhecimento e o agradecimento do país a cada uma de vocês e a cada uma das professoras e também dos professores, porque nós não temos por que deixar os nossos queridos companheiros fora desta homenagem. Estendemos a eles, aos milhões de professores deste país, a nossa sincera homenagem. Muito obrigada a cada um e um beijo no coração de cada uma.

 

Ouça a íntegra do discurso (18min01s) da Presidenta Dilma.