Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de inauguração do Estádio Aquático Olímpico e entrega de Unidades Móveis de Suporte Avançado de Vida - Rio de Janeiro/RJ

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de inauguração do Estádio Aquático Olímpico e entrega de Unidades Móveis de Suporte Avançado de Vida - Rio de Janeiro/RJ

por Portal Planalto publicado 08/04/2016 00h00, última modificação 08/04/2016 13h47

Rio de Janeiro, 08 de abril de 2016

Eu queria iniciar cumprimentando nosso governador em exercício, Francisco Dornelles, e queria dizer que o nosso querido governador Francisco Dornelles, além de ser uma figura histórica no nosso País, com uma grande experiência acumulada ao longo de anos de vida pública, com uma dedicação inconteste ao País, ao seu estado Minas Gerais, ao Rio de Janeiro e aos demais estados dessa Federação, foi também um atleta da natação, vice-campeão pelo Tijuca Tênis Clube… de polo aquático? De polo aquático. E nós, portanto, aqui estamos muito bem acompanhados, nós temos essa sustentação, esse background que é o nosso governador Francisco Dornelles.

Queria, também, saudar o governador Pezão, que está em licença;

Cumprimentar os ministros… 1953, governador, eu estava nascida, sim, o senhor falou que eu não estava nascida, mas eu estava; em 1953 eu estava bem nascida.

Bom, eu queria cumprimentar também o nosso ministro interino do Esporte, Ricardo Leyser; cumprimentar o nosso ministro da Saúde, Marcelo Castro; cumprimentar o Celso Pansera, da Ciência, Tecnologia e Inovação,

Queria cumprimentar o nosso o prefeito Eduardo Paes, que tem imenso orgulho dessa cidade, e que, sem dúvida nenhuma, é um dos construtores, tanto no sentido de obras, mas também no sentido da engenharia necessária para se fazer um complexo evento como a Olimpíadas e as Paralimpíadas. Então, Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, segundo ele, a maior e a melhor e a mais bonita capital da galáxia.

 

Cumprimentar o nosso presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman. Eu acredito que o sucesso desta Olimpíadas e desta Paralimpíada se deve à feliz coincidência histórica de ter certas pessoas na condução desse processo. Sem sombra de dúvida, acredito que, sem a iniciativa, sem a capacidade de gerar consensos, de dialogar, sem a energia do Nuzman, nós também não teríamos chegado a este ponto em que chegamos hoje;

Queria cumprimentar o deputado federal Altineu Côrtes;

Cumprimentar o almirante de esquadra Ademir Sobrinho, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas;

Cumprimentar, também, a nossa presidente da Caixa Econômica, Miriam Belchior;

Os secretários estaduais: Leonardo Espindola, da Casa Civil; Luiz Antônio Júnior, secretário de Estado da Saúde; e Marco Antônio Cabral, secretário de Esporte, Lazer e Juventude;

Quero cumprimentar o senhor Marcelo Pedroso, presidente da Autoridade Pública Olímpica;

Cumprimentar o senhor Joaquim Monteiro de Carvalho, presidente da Empresa Olímpica Municipal;

Cumprimentar Bernard Rajzman, membro do Comitê Olímpico Internacional; por meio dele eu cumprimento os atletas, técnicos e profissionais dos esportes aqui presentes;

Quero cumprimentar, também, o senhor Coaracy Nunes, presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos;

Quero fazer uma saudação especial aos operários que construíram esse estádio;

Cumprimentar as senhoras cinegrafistas, as senhoras fotógrafas, os senhores fotógrafos, os senhores cinegrafistas; as senhoras e os senhores jornalistas. Eu estou cumprimentando as fotógrafas e as cinegrafistas porque eu detectei que aqui, hoje, nós temos algumas fotógrafas e cinegrafistas, o que não é - as fotógrafas até são - mas as cinegrafistas, geralmente, não são mulheres, como eu detectei que há mulheres aqui, eu queria dirigir um cumprimento especial a elas;

Queria cumprimentar, também, todos aqueles do governo federal que contribuem para que as Olimpíadas sejam um sucesso e as Paralimpíadas também.

 Daqui a 25 dias, a tocha olímpica vai chegar ao Brasil. A tocha olímpica vai passar por 329 cidades de todo o País: do Norte ao Sul, do Leste a Oeste; nós teremos nessas 329 cidades a participação do Brasil, dos seus habitantes, da sua população de homens e mulheres que, na Amazônia, na Caatinga, no Pantanal, na Mata Atlântica, no Cerrado, enfim, em todos os cantos do nosso País, vão carregar com orgulho a tocha olímpica. E, com ela, a gente começa a ter consciência de quão próximos estão os Jogos Olímpicos. Daí a importância desse ato aqui, muito bem registrado pelo nosso prefeito, onde se evidencia a entrega das principais obras preparatórias para garantir uma infraestrutura adequada à nossa Olimpíada e nossa Paralimpíada.

Então, hoje nós estamos aqui, no Centro Olímpico Aquático, no Estádio Aquático, entregando essa obra, que é uma obra fantástica. Uma das coisas que nós podemos atestar, nós todos que estamos aqui, é que, de fato, sopra uma brisa aqui dentro, viu, Eduardo? Você tem toda razão. Sopra uma brisa, uma ventilação bastante adequada.

Mas nós já entregamos, como o prefeito disse, o handebol, a Arena 1,2,3, se eu não me engano; também entregamos, lá no Parque Deodoro, infelizmente eu não pude vir, mas nós já entregamos as principais instalações e muito pouco falta a ser entregue. Queria destacar, também, que todo o sistema de energia que a União ficou responsável, juntamente com o estado e o município, também está entregue. Enfim, nós temos a segurança em dia, e isso significa também um grande acúmulo que nós tivemos durante a Copa, quando tivemos 12 Centros de Comando e Controle.

A segurança estando em dia significa que nós teremos essa Paralimpíada e essa Olimpíada da mesma forma que tivemos a Copa, com paz e tranquilidade, o que é muito importante para garantir para todos aqueles turistas e atletas do resto do mundo e do Brasil que venham participar das Olimpíadas que ela será, sem sombra de dúvida, um evento em que as pessoas vão poder fazer aquilo que se faz em uma olimpíada, que é o congraçamento pela paz, pela união dos povos, pelo diálogo e pela tolerância entre as diferenças que existem entre todos nós, mas que uma paralimpíada e uma olimpíada mostram que temos um laço muito forte, que é o laço do esporte. Esse laço do esporte é uma união entre povos, entre diferentes etnias, entre diferentes convicções religiosas. Portanto, é muito importante que isso ocorra.

Ademais, nós estamos hoje aqui entregando uma infraestrutura importante para o bom acontecimento dessas Olimpíadas e dessas Paralimpíadas, que são as 146 ambulâncias. Essas 146 ambulâncias constituem, também, uma retaguarda de garantia de atendimento de urgência, rápido, eficiente, para eventos, dos eventos complexos aos eventos de saúde mais simples, e isso também é muito importante.

E aí eu chego em uma questão que acho que nós estamos... É algo que o prefeito disse, e que eu concordo, acho que nós estamos construindo um benchmark, uma referência, uma relação de qualidade nesta Olimpíada, que é o fato de que ela foi feita com a participação, primeiro, com a parceria, uma parceria entre o governo federal, o governo do estado e a prefeitura; foi feita com a participação do setor privado. Então, essa é uma característica forte dessa Olimpíada e dessa Paralimpíada. Parceria é a palavra.

A segunda característica é o fato de termos feito e termos encarado esse desafio dentro do prazo, com qualidade e baixo custo. Eu acho que essa é a segunda característica.

E a terceira característica é o legado, o que fica para a população do Rio de Janeiro. Ficam escolas, estruturas esportivas, estruturas de habitação e fica, também, uma infraestrutura que é muito significativa: BRT, metrô, e acho que também os VLTs e toda a beleza que hoje a cidade devolve para a população com toda aquela zona, ali, do porto… Eu ia falar do cais, mas ali do porto. E, sobretudo - eu acho que é uma homenagem ao Rio de Janeiro - aquela obra-prima do Calatrava, aquela obra que é o Museu do Amanhã. A obra-prima do Calatrava, que tem a ver com a beleza dessa cidade, ela honra essa beleza natural do Rio.

O legado é, também… Ele vai também se expressar em equipamentos. Um desses equipamentos são as ambulâncias. As ambulâncias, obviamente, um tanto de ambulâncias vão ficar para a cidade do Rio de Janeiro. Mas é importante que o resto da população brasileira perceba que também ela vai se beneficiar com isso, uma vez que essas ambulâncias serão distribuídas pelos outros estados da Federação. Então, essas características tornam as Olimpíadas e as Paralimpíadas Rio 2016 uma referência daqui para a frente.

Eu fiquei extremamente impactada com uma informação dada aqui pelo prefeito: que todas as nossas arenas e estádios têm um valor equivalente ao valor do estádio no qual se realizou… Um único estádio, no qual se realizou a abertura e as principais competições da Copa do Mundo em Londres… Da Copa do Mundo, não, da Olimpíada em Londres.

E eu quero dizer para vocês que isso é, de fato, extremamente importante. Porque nós no Brasil não podemos ceder… eu acho que, hoje no Brasil, tem um certo clima que eu não chamo de mau humor, eu chamo de “quanto pior, melhor”. Acho que um clima de “quanto pior, melhor” não interessa ao País; ele não interessa à necessária estabilidade econômica e política do País. Se nós somos capazes de fazer uma Olimpíada, se nós somos capazes de fazer uma Paralimpíada, nós somos capazes de fazer, também, o nosso País voltar a crescer.

Para isso um elemento é fundamental: o elemento da convergência, o elemento do diálogo e o elemento da parceria,. Daí porque eu digo que esse é um momento especial, é um símbolo e um exemplo para o Brasil do que é possível fazer quando pessoas de bem se unem em prol do bem do povo brasileiro.

Muito Obrigada.