Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de inauguração do Complexo Esportivo Cultural Otávio Mangabeira - Arena Fonte Nova

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de inauguração do Complexo Esportivo Cultural Otávio Mangabeira - Arena Fonte Nova

por Portal do Planalto publicado 05/04/2013 14h00, última modificação 04/07/2014 20h15

Salvador - BA, 05 de abril de 2013

 

Eu queria desejar bom dia a todas as mulheres baianas, soteropolitanas e a todos os companheiros homens também.

Eu vou iniciar quebrando o protocolo e cumprimentando primeiro os trabalhadores e as trabalhadoras que construíram esta nova Fonte Nova. E cumprimentar a Isabel da Cruz Souza que aqui falou para nós de uma forma tão bonita.

Queria cumprimentar também meu parceiro de governo – porque nós somos parceiros, nós trabalhamos juntos. Porque o governo federal e o governo aqui da Bahia, juntos, juntos também com a prefeitura, somos capazes de fazer muito mais e muito melhor. E nós temos uma responsabilidade perante o povo que nos elegeu. Eu tenho consciência da importância (falha no áudio) dos baianos e dos soteropolitanos na minha eleição. Eu devo a vocês e por isso eu me sinto presidenta de todos os brasileiros, de todos os baianos e de todos soteropolitanos.

Queria cumprimentar também o Antonio Carlos Magalhães Neto, prefeito de Salvador. E queria dizer que essa parceira governo federal, governo estadual e governo municipal, ela ultrapassa as divisões políticas, porque ela se dá em torno aos interesses da população (falha no áudio) e da Bahia.

Cumprimentar o ex-governador da Bahia, Waldir Pires – meu companheiro Waldir Pires.

Cumprimentar os ministros de Estado que me acompanham aqui, hoje, nessa visita – que eu me sinto muito feliz de fazer nessa inauguração desse estádio, que é um orgulho para todos nós -, os ministros Aldo Rebelo, do Esporte; José Eduardo Cardozo, da Justiça; César Borges, dos Transportes; Aguinaldo Ribeiro, das Cidades; Helena Chagas, da Comunicação Social; Luiza Bairros, da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial.

O vice-governador da Bahia, Otto Alencar;

O presidente Marcelo Nilo, da Assembleia Legislativa;

Os senadores Lídice da Mata e Walter Pinheiro;

Os deputados federais (falha no áudio); Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, arcebispo da Arquidiocese de São Salvador da Bahia;

A secretária-executiva do Ministério do Planejamento, que representa aqui a ministra, Eva Chiavon.

Queria dirigir um cumprimento especial ao Luiz Fernandes, coordenador-geral do grupo executivo da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014.

Cumprimentar o presidente do Complexo Esportivo e Cultural Otávio Mangabeira – Arena Fonte Nova,  Frank Alcântara.

Cumprimentar o senhor Marcelo Odebrecht, diretor-presidente da Odebrecht SA.

Cumprimentar o senhor José Adelmário Pinheiro Filho, Léo Pinheiro, presidente da OAS;

O senhor Adalberto Souza Galvão, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada da Bahia.

Cumprimentar a Lucimar de Freitas, primeira operária mulher do Complexo Esportivo Cultural Otávio Mangabeira.

Queria cumprimentar todos os atletas aqui presentes. Cumprimentando todos eles eu saúdo os atletas que vão participar da Copa das Confederações.

Queria cumprimentar o desembargador Mario Alberto Hirs, presidente do Tribunal de Justiça.

Queria cumprimentar também as senhoras e os senhores jornalistas, os fotógrafos e os cinegrafistas.

Meus amigos e minhas amigas aqui da Bahia, eu tenho uma palavra para sintetizar o impacto desse estádio quando eu cheguei aqui, me aproximei e vi esta construção. Esta construção que é única e que mostra, sem dúvida, o  espírito e a criatividade do povo dessa terra. A palavra é orgulho. Dá muito orgulho como Presidenta da República, de olhar para esse estádio e ver que nós estamos superando, superando as expectativas. De fato nós somos o país conhecido como sendo insuperável ali naquele campo. Mas nós estamos mostrando que nós somos também um país insuperável fora do campo. Nós somos capazes, e os senhores trabalhadores por isso merecem a nossa homenagem, os senhores empresários também, e o governador e o prefeito. Nós somos capazes de mostrar que o Brasil dará uma imensa qualidade à Copa das Confederações, à Copa do Mundo e às Olimpíadas, nas disputas futebolísticas. Não é qualquer país que tem essa qualidade e essa beleza nos seus estádios.

Eu queria dizer que eu já participei de duas inaugurações: uma em Fortaleza e outra em Belo Horizonte. E todas as duas honram o Brasil.

Mas queria dizer uma coisa muito especial aqui desta Arena Fonte Nova. Eu me refiro a algo que foi bastante, mas bastante enfatizado pelo governador, que é essa ferradura. Esta ferradura dá uma atitude, um perfil e uma cara especial a este estádio. Mostra esta que é uma das características maiores desse povo, que é a criatividade. Um estádio que tem um momento especial em que ele se vira e se volta para  nossa querida – pra mim, querida, porque me lembra minha infância - Fonte do Tororó, onde eu fui beber água. E lá, estão os orixás dessa terra. Um estádio que se volta para esse orgulho do nosso sincretismo, da nossa cultura e da nossa diversidade.

Eu quero dizer para vocês que também eu fico muito feliz porque me observaram uma coisa: esse bairro, que é o bairro de Nazaré, ele tem aqui construída toda essa capacidade imensa do Brasil de conviver com a diversidade. Aqui nós temos a igreja de Nossa Senhora de Nazaré e também igrejas católicas seculares. Eu falei igreja de Nossa Senhora de Nazaré, mas eu falei errado, é a igreja do Santíssimo Sacramento, a igreja de Sant’Ana e o convento de Nossa Senhora do Desterro, e na avenida principal, que é a Joana Angélica, nós temos sedes da Sinagoga e do Centro Cultural Islâmico da Bahia. Eu estou dizendo isso porque nós vivemos um país diferente do mundo, um país em que todas as etnias, todos os credos religiosos, todas as filiações conseguem viver em paz. Da mesma forma, o Bahia e o Vitória.

E tudo isso, somado com essa obra que encanta qualquer brasileiro que aqui chega e que é o respeito aos nossos orixás, à religião que caracteriza uma parte importante do nosso país, que flutuam sobre as águas do Tororó, tudo isso torna esse momento especial, porque esse estádio vai valorizar todo esse entorno, valorizar para os moradores aqui de Salvador, valorizar para todos os turistas que vivem e aproveitam esta maravilhosa cidade.

Eu quero dizer para vocês que eu lamento não estar aqui daqui a dois dias, eu lamento porque aqui é um espaço que, de fato, quando a gente imagina o que vai ser os gritos de gol, nós esperamos que não dê zero a zero no próximo domingo só para a gente ter esse gostinho antecipado da Copa das Confederações quando, eu espero, que o Brasil vai mostrar no campo que é capaz.

Essa é a primeira arena multiuso. Eu acredito que o Brasil, nesta Copa, está dando um passo importante para transformar a preparação para a Copa também num legado para a população. Uma arena multiuso que pode ser usada para shows, para espetáculos, para obras culturais, é muito importante. Eu fiquei muito impressionada quando me destacaram que essa obra, ela tem todas as observações necessárias e exigências para ser considerada como uma obra sustentável porque, aqui, foram usados todos os princípios de sustentabilidade, uso de energia, materiais, e eu falo da sustentabilidade porque eu acho que esse é um diferencial desse estádio.

Eu tenho sempre o hábito de comparecer aos aniversários e trazer presentes, eu estou chegando atrasada ao aniversário, aqui. Salvador está fazendo, aliás, fez, se eu não me engano no dia 29 de março, 474 anos. Salvador é uma jovem senhora de 474 anos e, por isso, o governador Jaques Wagner anunciou uma obra que eu acredito que é fundamental para os trabalhadores e as trabalhadoras, para os moradores, os professores, os comerciantes, para todos os que moram e vivem aqui nessa cidade, que é o chamado Projeto Vias Estruturantes, formado por dois corredores, com faixa exclusiva de ônibus, que vão interligar o trecho urbano da BR 324 com a Avenida Paralela.

Nós, de fato, vamos investir R$ 1 bilhão nesses dois corredores e vamos interconectar ônibus urbanos e metrô. E a boa notícia é que nós sempre nos esforçamos junto com o governo da Bahia para resolver de vez a questão da Linha 1 do metrô, da Linha 2 do metrô e de uma estrutura de transporte coletivo urbano que faça jus ao tamanho de Salvador e a sua importância dentro do país. E, agora, tanto o prefeito quanto o governador chegaram a um acordo e isso vai contribuir para ampliar, sobretudo, a capacidade de transporte público aqui no estado, especificamente em Salvador. Depois de 12 anos de tentativas, esse projeto chega a um bom resultado. Serão, portanto, um conjunto de ações para beneficiar aqui a economia da região e a população.

Eu quero dizer para vocês que o Brasil é um país, hoje, em 2013, radicalmente diferente daquele país que viveu, enfrentou a Copa do Mundo de 50. Somos uma nação, hoje, com democracia consolidada, naquela época à nossa frente ainda teriam anos horríveis de fechamento e ditadura. Hoje, não. Somos uma democracia consolidada, uma democracia que cresce e diferentemente do passado, quando cresce compartilha os frutos desse crescimento com a população e o seu povo, com todos os cidadãos e cidadãs desse país. Uma democracia que respeita a diversidade, que é contra a discriminação, discriminação que atinge negros, mulheres, um país que sabe que se é capaz de lutar pela superação da pobreza tem de lutar pela superação de todas as formas de discriminação. Eu sempre destaco, quando me refiro à discriminação, a questão do acesso das populações marginalizadas, e aí, aqui sempre vou enfatizar o problema das cotas raciais e sociais às universidades.

Queria dizer que esse país só é respeitado no cenário internacional porque ele se respeita e, por isso, talvez sejamos o país que melhor utilizou o crescimento econômico para elevar o padrão de vida de sua população. Essa obra é uma obra de respeito à população de Salvador e de respeito ao Brasil, porque receber a Copa das Confederações, a Copa do Mundo, as Olimpíadas, é algo que honra a todos nós brasileiros. Eu tenho certeza que nesse ano e no ano que vem nós vamos dar um show, um show de bola, também fora das nossas quatro linhas, daí a importância desse estádio.

Queria cumprimentar todos os soteropolitanos, todos os baianos, e dizer que nós - acabar dizendo o que eu comecei no início - que nós todos, diante desse estádio, temos de olhar e falar “sim, a Arena Fonte Nova, ela é mais uma contribuição, é mais uma parte da construção do nosso orgulho nacional”. Aqui, nós teremos muitas alegrias juntos, como a vida é difícil, sei que também teremos de enfrentar algumas dificuldades juntos porque não se ganha todas, mas eu tenho certeza que o resultado final é aquele que faz com que cresça os sonhos das mulheres e dos homens, porque eles começam [a] se transformar em realidade. Eu queria dizer a vocês que, mais uma vez, eu fico muito feliz de estar aqui na Bahia. Eu me sinto em casa aqui na Bahia e me sinto, sobretudo, irmanada com esse povo tão maravilhoso e que expressa, de uma forma toda especial, a força, a alegria, a determinação e a competência do povo brasileiro.

Muito obrigada.

 

Ouça a íntegra do discurso (20min38s) da Presidenta Dilma