Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de inauguração do Campus Osório e formatura do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec)

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de inauguração do Campus Osório e formatura do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec)

por Portal do Planalto publicado 09/08/2013 16h25, última modificação 04/07/2014 20h17

Osório-RS, 09 de agosto de 2013


Eu queria iniciar dirigindo um cumprimento especial aos formandos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego (Pronatec). Pedir uma salva de palmas para eles que se formam hoje e que merecem todo o nosso reconhecimento.

Quero também cumprimentar os alunos e os professores do Campus Osório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul.

Dirigir um cumprimento especial ao nosso governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro.

Cumprimentar o prefeito de Osório, Eduardo Aluísio Cardoso Abrahão e senhora Zoraia Guadalupe Abrahão.

Cumprimentar nossa reitora do Campus Osório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, a reitora Cláudia Schiedeck Soares de Souza, e cumprimentá-la também pelas palavras.

Agradecer e cumprimentar todos os professores do Instituto.

Queria cumprimentar também os ministros que me acompanham nessa viagem ao Rio Grande do Sul: o ministro Aloizio Mercadante, da Educação; o ministro Pepe Vargas, do Desenvolvimento Agrário, e a ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos.

Queria cumprimentar os deputados federais aqui presentes: Alceu Moreira, Dionilso Marcon; Henrique Fontana; Manuela d’Ávila; Mendes Ribeiro. Um cumprimento especial ao Mendes Ribeiro, meu ex-ministro da Agricultura; o deputado Paulo Ferreira, o deputado Renato Molling; o deputado Ronaldo Zulque e o deputado Vieirinha da Cunha. O Vieira da Cunha, eu chamo de Vieirinha por compulsão - comecei chamando de Vieirinha, vai ser difícil, né Vieira?

Queria cumprimentar o secretário estadual do Trabalho e Desenvolvimento Social, Luís Augusto Lara.

Cumprimentar o vereador Rossano Teixeira, presidente da Câmara dos Vereadores.

Cumprimentar o diretor do Campus Osório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, o Roberto Saouaya.

Queria saudar os prefeitos e as prefeitas municipais aqui presentes: de Mampituba, o prefeito Dirceu Selau; de Tramandaí, o prefeito Edegar Rapach; de Terra de Areia, Joelcir Jacob; de Arroio do Sal, Luciano Pinto; de Capivari do Sul, Marco Antônio Cardoso; de Torres, a Nílvia Pinto; de Palmares do Sul, Paulo Lang; de Imbé, o Pierre Emerim; e de Viamão, o Valdir Bonatto.   Queria cumprimentar os parceiros do Sistema S: o Leonardo Schreiner, presidente nacional do Conselho do Senac, e o José Paulo da Rosa, diretor regional do Senac.

Queria cumprimentar a Márcia Cristina, que falou em nome dos formandos, e a Maria Elisabete da Cruz, que teve sua carteira de trabalho assinada. Ao cumprimentá-la, cumprimento todos aqueles que estão participando desta formatura, inclusive também os parentes e amigos.

Cumprimentar os professores, técnicos e profissionais de educação aqui presentes.

Dirigir um cumprimento aos senhores jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.

Antes de começar o meu discurso, eu queria fazer uma homenagem a um gaúcho de Osório, que eu tive a honra de conviver – pai do Romildinho –, o Romildo Bolzan. Peço a ele uma salva de palmas. Romildinho, eu sou da época do Romildão.

Eu queria iniciar dizendo para vocês, primeiro: acho que para vocês, que estão tendo essa formatura hoje, hoje é um momento de conquista e, portanto, é um momento que, com certeza, eu tenho de começar por vocês. É um momento de conquista pessoal dos estudantes do Pronatec que se formam em várias profissões hoje aqui.

E eu queria dizer que eu começo falando de vocês porque nós todos aqui presentes temos de ter muito orgulho de vocês. São, uma grande parte, mulheres – também tem vários homens presentes –, mas eu queria saudar e dizer o seguinte: essa é uma opção correta que vocês fizeram, uma opção por fazer um curso, por se especializar, por se aprimorar. E aqui são vários cursos que foram feitos, todos eles em parceria entre o governo federal e o Sistema S, o Senac.

Vocês sabem que nós, ao fazermos o Pronatec, nós procuramos justamente qualificar ao máximo os nossos cursos, tanto através dos Institutos Federais Tecnológicos, como é esse aqui de Osório, esse Campus de Osório. Como também através de parceria com o Sistema S. E isso porque nós queríamos a qualidade dos cursos do Pronatec. E construímos o Pronatec baseado em três eixos: O primeiro eixo é a formação complementar – ou alguns falam suplementar - do ensino médio. Transformar o ensino médio brasileiro em ensino médio com profissionalização associado; o segundo é a formação de trabalhadores em geral, que é o caso dos senhores. Um curso um pouco mais curto do que o ensino médio, mas um curso importantíssimo para o Brasil; e o terceiro é um curso que eu também considero muito importante, que é o chamado Pronatec, Programa Brasil sem Miséria, que é dado para as pessoas, especificamente, que estão cadastradas no Bolsa Família e querem uma profissão e que são importantíssimas para o país também.

Hoje, aqui, nós estamos formando o curso técnico profissionalizante, que é o de vocês. Então, estamos formando vendedores, manicures, auxiliares de recursos humanos, auxiliares administrativos, padeiros, confeiteiros, montadores de computador, recepcionistas, auxiliar de crédito e cobrança, cursos de informática, curso de inglês. Eu considero que o Brasil, nessa área de serviços, precisa muito também de formação profissional. O Pronatec forma em várias áreas: forma tanto na área de serviços e comércio quanto na área industrial, quanto também na área agrícola, do agronegócio. Em todas elas, o que nós buscamos? A capacitação profissional dos senhores. E essa capacitação, ela é fundamental para o Brasil. Nós precisamos de ter uma ênfase na educação por todos os motivos. Hoje eu vou falar de um dos motivos que é a chamada competitividade da economia brasileira. Por que é importante que na área de serviço, que é hoje uma das que mais cresce - e isso não é característica do Brasil, isso é característico do mundo – por que nós temos de dar essa relevância e essa importância para a formação de serviços porque nós temos sempre de procurar aumentar, tanto a competitividade, mas, sobretudo, a produtividade da nossa economia, e a gente sabe que um profissional melhor formado, ele é um profissional que vai ser capaz de, primeiro, atender melhor a nossa população, mas vai também produzir mais valor, vai ser capaz de ter um salário melhor. Tudo isso vai contribuir para o crescimento do Brasil.

Por isso, eu quero dizer que, além de um dia de festa para vocês, para a família de vocês, é um dia de festa para nós, e eu queria dizer uma coisa para vocês: eu acho que a gente não pode parar de estudar. Estudar é algo que vocês vão ter de buscar sempre, porque sempre que você tiver um curso, fizer uma especialização, você melhora a sua capacidade. E é aquilo que se falou aqui.

Outro dia, um brasileiro que tem uma grande capacidade poética, e ele faz belíssimos raps, o Gog, disse o seguinte: “da arquitetura da vida, a melhor arquitetura é aquela da educação, é aquela que é a obra mais perene que cada um de nós pode ter para si mesmo”. A gente sabe que é um gosto ver este Instituto muito bem construído, com ótimos equipamentos. Agora, este Instituto, ele foi construído para construir essa arquitetura de cada um de nós, que é a educação.

Por isso, eu queria saudar vocês, cumprimentar e dizer: comemorem porque hoje vocês conquistaram mais uma meta na vida de vocês. O presidente Lula dizia para mim uma coisa muito importante. Me dizia o seguinte: “eu tive dois diplomas na minha vida, e desses dois diplomas eu me orgulho dos dois. O primeiro foi um diploma de torneiro mecânico do Senai, e o segundo foi o diploma de presidente da República”. Vocês vejam que são dois diplomas que caracterizam a vida de uma pessoa.

E aí, então, eu quero saudar a todos e dizer que muito me orgulho de estar aqui também inaugurando o campus de Osório. A reitora lembrou um fato que eu considero muito importante. A reitora lembrou o fato de que nós tivemos, no passado, uma lei que impedia o governo federal de investir num instituto desses. Na época em que o ministro Tarso era o ministro da Educação e eu era ministra-chefe da Casa Civil do governo do presidente Lula, era, no início, quando nós chegamos no governo, era proibido fazer um instituto como esse, o governo federal não podia fazer, não, era proibido por lei. Nós tivemos de ir na Justiça derrubar essa proibição para poder investir em ensino técnico profissionalizante no Brasil.

Aqui nós temos um instituto que tem a capacidade de formar tanto tecnólogos quanto o ensino técnico de nível médio, quanto também dar apoio e suporte para a formação profissional dos trabalhadores do nosso país. Então vocês percebem que não é uma instituição qualquer, é uma instituição estratégica para este país virar um grande país como nós todos queremos. Nós queremos, como muito bem disse o governador Tarso, um país que, quando cresce, significa que a população do país melhorou de vida, porque esse é o sinônimo de crescimento. O sinônimo de crescimento não é uma medida econômica, cresceu fisicamente o Produto Interno Bruto, não é isso. Tem de crescer a qualidade de vida da população, tem de melhorar os serviços públicos para que haja também melhoria de vida na renda, no emprego, na qualidade do trabalho de cada um dos brasileiros e das brasileiras.

Então, eu fico muito feliz de estar aqui hoje, porque esse é um dos caminhos do nosso futuro e do nosso presente. E vocês percorreram ele, vários estudantes que eu vi aqui estão percorrendo ele nos laboratórios importantíssimos que este Instituto tem.

Eu tenho uma grande alegria de estar aqui em Osório, entregando esse campus aos gaúchos e às gaúchas. Aqui em Osório, que o Romildinho me disse uma vez que era a terra dos bons ventos, quando nós estávamos inaugurando o Parque Eólico aqui, de Osório, que eu tenho muito orgulho de ter iniciado a minha vida na Secretaria de Energia, Minas e Comunicação do Estado do Rio Grande do Sul, medindo o vento aqui. Tem um assessor meu, que deve estar aqui, que era responsável por subir no poste e botar o medidor de vento, para a gente ver, Romildinho, onde que a gente ia botar as torres, ou se tinha viabilidade. E hoje a gente olha aqui, daqui, sentada, eu estava vendo as pás girando, as pás das usinas eólicas girando ali, ao longe. Então, fico muito feliz de estar aqui, também, por isso.

E queria dizer para vocês que, nos últimos anos, nós conseguimos várias conquistas nesta área, justamente nesta área do ensino profissional. Nós fizemos um grande empenho para que a gente tivesse uma qualidade de ensino profissional no Brasil que fosse compatível com as necessidades das pessoas, com a necessidade das empresas e com a necessidade do mercado de trabalho, e hoje eu tenho o orgulho de ter quatro milhões... diziam que a gente não conseguiria fazer, mas nós temos hoje, já, dos oito milhões, nós já temos, em menos de dois anos de funcionamento, nós temos, já, quatro milhões de vagas no Pronatec, na formação profissional.

Queria dizer também para vocês que o Brasil... hoje eu tive o prazer de chegar aqui ao Rio Grande do Sul para dois dias. Nós vamos hoje fazer justamente este... entregar justamente este Instituto Federal de Tecnologia. Amanhã nós iremos participar do início de um projeto que há muitos anos está parado no Rio Grande do Sul, e quem morava em Porto Alegre, como eu, sabia disso, que é o aeromóvel, que ficava parado justamente ali, ali na altura da... na altura daquela escola... não do Gasômetro... ficava mais para cá, né? No Gasômetro, tá bom. Ali no Parobé, eu lembro dele é no Parobé, não é no Gasômetro. Eu lembro dele parado na frente do Parobé, e ele ficou parado, eu acho que ficou parado uns 20 anos ali. Amanhã nós vamos inaugurar o aeromóvel. O aeromóvel vai funcionar do aeroporto ao Trensurb, e eu fico muito feliz de estar lá vendo isso ocorrer.

E além disso, eu queria dizer para vocês que o governo federal está tendo um esforço... fazendo um esforço muito grande nessa questão da educação, com os royalties do petróleo, e eu tenho dito que esse é um dos compromissos do meu governo e uma das prioridades do meu governo: assegurar recursos para investir em educação.

Nós sabemos que professor tem que ser bem pago no Brasil. O prefeito tem razão: se exigir dele ou exigir do governo estadual ou do governo federal que nós ampliemos e melhoremos a educação, tem uma pré-condição, não é, prefeito? Que a gente pague direito os professores, que a gente remunere os professores direito. Essa é uma pré-condição. Aí o senhor pergunta para mim: “De onde eu tiro dinheiro, presidenta?” Aí eu respondo para você: “Prefeito, nós vamos usar todos os royalties do petróleo para financiar a educação no Brasil”. Por que do Petróleo? Ah, prefeito, porque pagar a educação, no Brasil, não é só fazer prédio, é o custeio, ele tem razão, é pagar o professor e manter a qualidade e o funcionamento do curso, é ter as melhores bibliotecas, é ter os melhores laboratórios, é ter os melhores recursos humanos qualificados e valorizados, porque nós temos de atrair professor não como é hoje, mas atrair os melhores professores possíveis.

Assim sendo, por que tem de ser o dinheiro do petróleo? É porque lá tem dinheiro. Porque aquela mania que existe também, no Brasil, de falar o seguinte: “Olha, vamos gastar dinheiro nisso, agora, você não diz de onde você tira”. Nesse caso tem de onde tirar. De onde nós vamos tirar? Nós vamos tirar dos royalties do petróleo.

E aí é importante que vocês saibam por quê. Porque o Brasil é um país que, a partir deste ano, começa a explorar uma grande quantidade de petróleo quando o primeiro campo, o primeiro campo de petróleo, numa camada que é lá no fundo do oceano, chamada pré-sal começa a ser explorada. E esses campos têm muito petróleo, portanto, essa riqueza finita vai ser transformada na riqueza permanente de cada um dos brasileiros, que é ter um investimento em cada um, em cada uma, um investimento na qualidade da educação neste país. Nós vamos ter de fazer um grande esforço para melhorar a educação, para garantir melhores professores, melhores salas de aula, melhores equipamentos, utilizar a informática.

A outra coisa que eu queria dizer para vocês diz respeito também à situação do país. Vocês, nos últimos tempos, têm visto uma discussão muito forte no Brasil a respeito da inflação. Eu queria dizer para vocês: primeiro, a inflação no Brasil está completamente sob controle; a inflação de maio foi menor que a inflação de abril; a de junho, menor que a de maio; e a de julho foi das menores de todos os julhos passados no Brasil, foi 0,03.

E aí eu queria dar um outro número. É muito chato ficar falando em número, mas eu queria dar um outro número. Queria dar um número que é um número que é o mais importante, que é o número da cesta básica. A cesta básica, o valor dela é medido em 18 capitais brasileiras. Sabe quanto foi a redução do valor da cesta básica em Porto Alegre, que é onde é medido? Não tenho o de Osório, mas eu tenho o número de Porto Alegre. A cesta básica caiu –7%, ou seja, houve uma redução do valor da cesta básica medida em Porto Alegre de, no mínimo, 7%, o que mostra a redução e o controle da inflação que nós não abrimos mão de fazer.

Uma outra segunda questão que eu acho importante é saber que nós temos tido, no Brasil, uma situação muito diferente do resto do mundo. Nos primeiros seis meses deste ano, nós criamos 826 mil novas vagas. Esse número, 826 mil, equivale a quatro anos, à criação em quatro anos no último governo antes do Lula, portanto, no governo FHC, no primeiro governo FHC, durante os quatro anos, criaram menos emprego do que nós criamos em seis meses.

Por que eu digo isso? Vão falar para mim: “Ah, mas a situação naquela época era diferente”. Mas o ponto é justamente esse: a situação era diferente. É diferente, e este governo é um governo que tem compromisso com o emprego, tem compromisso com a redução da inflação e tem compromisso com o bem-estar da sua população.

Por isso, eu acabo dizendo para vocês que hoje é um dia especial, um dia em que nós comemoramos uma alteração importante no Brasil, que é o fato de que nós temos governos federal, estadual e municipal, claramente comprometidos com o caminho para o desenvolvimento e a transformação deste país num grande país de classe média, que é a educação.

Um abraço para vocês. Parabéns para os formandos e parabéns para todos vocês.

 

Ouça a íntegra (25min54s) do discurso da Presidenta Dilma.