Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de inauguração da 29ª Festa Nacional da Uva e 23ª Feira Agroindustrial

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de inauguração da 29ª Festa Nacional da Uva e 23ª Feira Agroindustrial

por Portal do Planalto publicado 16/02/2012 19h13, última modificação 07/07/2014 10h52
A Festa Nacional da Uva 2012 tem como tema “Uva, Cor, Ação – A Safra da Vida na Magia das Cores”, homenageando os 80 anos de sua criação, 40 anos da primeira transmissão em TV em cores no Brasil e o ano da Itália no país

Caxias do Sul-RS, 16 de fevereiro de 2012

 

Eu queria pedir licença para o governador Tarso Genro para quebrar o protocolo, e eu queria iniciar cumprimentando as soberanas da Festa da Uva: as princesas Aline Casagrande e Kelin Zanette, e a rainha Roberta Weber Toscano, que conferem brilho especial a esta festa, com simpatia, elegância e muita beleza. E também às senhoras embaixatrizes aqui presentes – senhoritas embaixatrizes.

Queria cumprimentar o nosso governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, parceiro em todas as atividades, ações e iniciativas que levam o Brasil a crescer porque levam o Rio Grande a crescer.

Cumprimentar o nosso presidente da Festa Nacional da Uva, o senhor Gelson Palavro,

Os ministros de Estado que me acompanham: Mendes Ribeiro Filho, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; ministro Gastão Vieira, do Turismo; ministro Afonso Florence, do Desenvolvimento Agrário.

Queria cumprimentar também o deputado Alexandre Postal, presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul,

O desembargador Marcelo Bandeira Pereira, presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul,

Os senadores Ana Amélia Lemos e o senador Paulo Paim, que me disse que tinha nascido aqui.

O senhor Germano Rigotto, ex-governador do Rio Grande do Sul,

O deputados federal Pepe Vargas, em nome de quem eu cumprimento todos os demais deputados federais aqui presentes.

Queria cumprimentar o prefeito de Caxias, senhor José Ivo Sartori, que hoje me recebe aqui nesta cidade que é um exemplo para o Brasil.

Queria também cumprimentar, através do Sartori, a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul e, também, a Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste.

As senhoras e os senhores deputados estaduais, secretários de governo estaduais e municipais, e vereadores aqui presentes.

Senhoras e senhores dirigentes das Federações de Indústria e Comércio, dos sindicatos patronais e dos sindicatos dos trabalhadores.

Senhoras e senhores expositores e participantes da Festa da Uva e da Feira Agroindustrial de Caxias do Sul.

Também saúdo as senhoras e senhores dirigentes sindicais aqui presentes e os representantes das associações de moradores e os representantes dos trabalhadores da agricultura. Cumprimento os senhores jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.

Senhoras e senhores,

 

No dia 19 de dezembro eu recebi no Palácio do Planalto tanto o nosso querido prefeito como as princesas e a rainha da Festa da Uva, bem como, o senhor Gelson Palavro, presidente da Festa Nacional da Uva, acompanhados pelo deputado Pepe Vargas.

Eles foram lá no Palácio do Planalto me convidar para esta Festa da Uva. Este convite eu fiz questão (falha no áudio) participar da abertura que é uma das mais tradicionais festas da agricultura e da agroindústria brasileira.

E também abro aqui um parênteses para dizer por que eu considero que este país complexo tem realidades diversas. Muitas delas são extremamente auspiciosas, mostram um país crescendo, mostram um país pujante, um país com uma capacidade, de fato, de se transformar numa das maiores economias do mundo a cada dia que passa.

Mas Caxias tem um significado especial e é sempre muito importante valorizar o que aqui foi construído e conquistado ao longo dos anos. Aos 80 anos desta Festa da Uva, eu acredito que nós vivemos aqui um momento de respeito ao povo de Caxias do Sul e a todos os imigrantes que fizeram uma parte extraordinária do nosso país. As suas raízes, aos seus fundadores, homens e mulheres corajosos, que vieram fazer a vida nesse novo mundo que nós, hoje, temos responsabilidade de construir. E aqui na Serra Gaúcha enfrentaram o paredão dessa serra e foram capazes de, dando o máximo de si, construir com suas famílias, seus filhos uma das regiões mais prósperas no nosso país.

Esta Festa da Uva é também, por isso mesmo, a celebração do pioneirismo. Porque aqui nós sabemos que, há quarenta anos atrás, foi transmitido o primeiro programa a cores da TV brasileira. Essa combinação de tradição e pioneirismo, o fato de que aqui nós temos um dos maiores pólos metais-mecânicos do país, o fato de sabermos que empresas de Caxias, hoje, estão presentes na China - são empresas que têm um caráter multinacional -, tudo isso contribui, junto com esse imenso potencial agrícola, que transforma aqui a nossa uva em vinho, faz com que eu tenha, de fato, o dever de participar da abertura dessa Festa da Uva como uma forma de reconhecimento do governo brasileiro a todos esses modernos pioneiros no sentido, não mais de terem vindo de fora, mas pioneiros no sentido de estarem construindo esse país, esse país do futuro que todos nós somos responsáveis, por, a cada dia, garantir que seja o país que nossos netos e nossos filhos devem e merecem viver.

Cada vez que eu venho a Caxias, e eu já vim muitas vezes – vim como secretária de Energia do Estado do Rio Grande do Sul, do governo Olívio Dutra – eu constato a força da identidade cultural, da pujança empreendedora, a capacidade de trabalhar e a capacidade de progredir dos homens e mulheres daqui. Eu estive aqui quando era uma questão essencial para Caxias ter um sistema de energia elétrica que não falhasse. Daí a importância de todas as linhas de transmissão que aqui foram construídas. Talvez, do Rio Grande do Sul, tenha sido Caxias uma das cidades que primeiro recebeu gás natural. Por isso, como cidadã brasileira e como Presidente da República, eu me orgulho muito de Caxias, me orgulho da qualidade das uvas, me orgulho da qualidade dos vinhos, e dos muitos produtos da agricultura, da agricultura familiar, da agroindústria, das muitas empresas que produzem máquinas agrícolas, que produzem ônibus. Enfim, das muitas empresas aqui da região que como eu disse tem dimensão internacional.

Minhas amigas e meus amigos aqui de Caxias do Sul.

A região da Serra Gaúcha está próxima das melhores condições geoclimáticas para produzir os melhores vinhos do mundo. Aqui, no entanto, as chuvas costumam ser excessivas na época que antecede a colheita, período muito importante para maturação das uvas. Por essa razão, os viticultores da Serra Gaúcha são verdadeiros heróis, obstinados, enfrentam os percalços da natureza, extraem da terra o que de melhor ela pode entregar aos seres humanos. Investem com trabalho árduo, mas também com tecnologia. Investem e a cada dia melhoram a qualidade dos nossos vinhos.

Eu quero aqui, então, neste dia, reafirmar o compromisso do governo federal com os viticultores da Serra Gaúcha. Vocês têm, podem ter certeza uma parceira, Presidenta, da produção agrícola, da produção industrial dessa região.

Nós avançamos muito. Temos ainda muito que avançar, mas hoje nós podemos celebrar o preço mínimo de R$ 0,57 por quilo de uva, quase 10% do que vigorou no ano passado.  Foi proposto por um acordo setorial, o que é algo muito importante porque é importante que os produtores, que os agentes que lidam com a realidade sejam ouvidos e sejam escutados, no sentido de realizar seus pleitos.

Implantamos o selo fiscal, antiga demanda dos produtores. Continuaremos oferecendo apoio à comercialização por meio do Programa de Escoamento da Produção. Não iremos ficar inertes diante da necessidade, não só de investir mais e buscar mais produtividade, mas no sentido de combater todas as práticas comerciais predatórias. Podem ter certeza que o governo brasileiro se encarregará de tomar todas as providências que estão previstas pela Organização Mundial do Comércio no que se refere a essas práticas comerciais assimétricas e danosas, incluindo aí, conforme me comunicou o Ministério da Indústria e Comércio e Relações Internacionais [Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior], as salvaguardas.

Aproveito, também, para me dirigir aos produtores industriais deste que é o segundo maior pólo metal-mecânico do país. Nós temos uma grande oportunidade, não só hoje, de produzir para o mercado interno, mas também de exportar.

Quero dizer a vocês que nós saberemos tomar todas as medidas necessárias para que nesse ambiente de intensa concorrência, que a própria crise internacional obriga a todos os países que não são responsáveis pela crise, nem tampouco vivem em crise, mas que a crise obriga-nos a conviver com essa intensa concorrência, uma vez que os mercados internacionais desenvolvidos estão num processo ou de estagnação ou de recessão, nós sabemos que o nosso mercado, por ser um mercado grande, é cobiçado por todos.

Desde o Plano Brasil Maior, nós olhamos esta questão e reforçamos a nossa competitividade, tanto no que se refere a cada setor como no que se refere à competitividade sistêmica do Brasil.

Por isso, vocês podem ter certeza que iremos este ano aprofundar medidas tributárias de estímulo à produção e à exportação. Crédito em condições mais adequadas, estímulo à inovação e à formação de mão de obra e adoção, como eu disse, de medidas de defesa comercial. Nós temos certeza que o Brasil será um dos poucos países neste cenário internacional que vivemos a ter uma taxa de crescimento significativa.

A nossa meta é crescer 4,5% este ano. E isso nós iremos buscar com uma combinação de investimento público e investimento privado, de sistemático monitoramento e melhoria da gestão do setor público, e também de apoio e de garantia de condições mais adequadas para produção do setor privado.

Meu objetivo maior é garantir que o Brasil continue crescendo e gerando cada vez mais oportunidades para todos os brasileiros e brasileiras. Para isso, nós vamos mobilizar todos os instrumentos à nossa disposição, mas, é importante dizer, valorizaremos sempre a força, a tradição, pioneirismo, capacidade de inovação da nossa agricultura, da nossa indústria e de nossos prestadores de serviço.

Esta festa, aqui no Rio Grande do Sul, aqui em Caxias do Sul, mostra que podemos e devemos estar otimistas. Desejo a todos uma excelente Festa Nacional da Uva. Que nesta véspera de carnaval e neste início de ano, do ano de 2012, possamos brindar vindimas cada vez melhores. Viva o bravo povo de Caxias, o povo gaúcho e o Brasil. Um beijo no coração.

 

Ouça a íntegra do discurso (17min25s) da Presidenta Dilma