Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de formatura do Pronatec - Feira de Santana/BA

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de formatura do Pronatec - Feira de Santana/BA

por Portal Planalto publicado 29/04/2014 19h10, última modificação 04/07/2014 20h22

Feira de Santana-BA, 29 de abril de 2014

 

 

Parabéns, meus parabéns a todos os formandos e formandas. E muito boa tarde.

Eu vou iniciar cumprimentando aqui a Leomara. A Leomara, oradora da turma, e a Cleide, que fez o juramento. As duas representam e foram escolhidas por vocês como oradora e como juramentista. E eu quero dirigir, então, a cada um de vocês e a cada uma, quero dirigir os meus votos de parabéns e o reconhecimento de que cada um e que cada uma é um vitorioso.

Queria também cumprimentar aqueles que deram apoio a vocês, que deram suporte, que deram aquela palavra amiga, que deram sustentação à decisão de fazer um curso. Primeiro, os pais, as mães, os irmãos, os cunhados, os maridos, namorados, noivos, enfim, a todos os parentes e a família de vocês, que deram suporte.

Quero cumprimentar também os professores e as professoras. Sem os professores e as professoras, esse curso não seria o curso de sucesso que foi e que trouxe vocês até aqui.

E, para iniciar mesmo, eu quero dizer que eu tenho imenso orgulho de vir numa formatura do Pronatec. Tenho orgulho e, sobretudo, tenho alegria, porque esse é um dos programas do meu governo mais importantes, que mais mexe com a vida das pessoas, que dá mais oportunidade.

E daí, eu queria cumprimentar o governador Jaques Wagner, porque ele tem participado, tem contribuído para o sucesso desse programa. Aliás, o estado da Bahia é um dos que mais cursos do Pronatec fez. Agradeço ao governador Jaques Wagner e, também, aqui em Feira de Santana, agradeço ao prefeito José Ronaldo de Carvalho.

            Queria cumprimentar também a nossa combativa primeira-dama, a Fátima Mendonça.

            Cumprimentar os ministros de Estado que me acompanham: a Tereza Campello, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, e o ministro Paim, da Educação. Os dois, a Tereza e o Paim, eles são responsáveis pelo sucesso do Pronatec.

E hoje nós nos encontramos aqui também com outros ministros que me acompanham, porque eu estive, de manhã, comemorando o programa de cisternas e todo o investimento que a gente faz aqui na estratégia de convivência com a seca. Queria cumprimentar o ministro da Integração, Francisco Teixeira; o ministro Miguel Rossetto, do Desenvolvimento Agrário; e depois nós vamos sair daqui e vamos lá fazer a entrega das chaves do programa Minha Casa Minha Vida com o ministro das Cidades, Gilberto Occhi.

Cumprimentar também um grande parceiro nosso, o vice-governador Otto Alencar. O Otto tem sido incansável no desenvolvimento de todos os programas do governo federal aqui no estado da Bahia.

Queria dirigir um cumprimento especial ao deputado federal Rui Costa. O Rui Costa, quando era secretário, até há poucos dias, secretário da Casa Civil do governador Jaques Wagner, nos ajudou a implantar aqui não só os programas de sustentação do desenvolvimento social como é esse, mas também todos os investimentos do governo aqui no estado.

Cumprimentar também o César Lisboa, secretário estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza.

Cumprimentar o nosso vereador, o Justiniano Oliveira França, presidente da Câmara Municipal.

E aí eu falo para vocês uma coisa. Nenhum programa, desse tamanho que é o Pronatec, daria certo sem a força conjunta dos nossos parceiros. Quem são os nossos parceiros? Eu cumprimento o Senac, na pessoa da Liana Brandão. Cumprimento o Instituto Federal da Bahia, na pessoa do Carlos Bruni. Cumprimento o Senai e a Federação das Indústrias do Estado da Bahia, na pessoa do Edson Virgínio Correia,

            Queria saudar os nossos jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.

 

Antes de qualquer coisa, eu quero, mais uma vez, cumprimentar vocês. E aí, eu vou saudar aqui os cursos que foram feitos. Queria pedir para vocês, quando eu chamasse pelo curso, se levantassem. Primeiro, à minha direita e atrás, os formandos do Senai. Formandos do Senai, por favor, levantem-se. Parabéns para vocês. Queria chamar o Instituto Federal da Bahia, os formandos do Instituto Federal da Bahia, por favor levantem-se. Agora, queria chamar os formandos do Senac, por favor, formandos do Senac. Agradeço a cada um de vocês, primeiro o esforço e a dedicação.

Eu estou aqui hoje, em Feira de Santana, que é berço de uma mulher extremamente lutadora, Maria Quitéria. Uma mulher que é a heroína da independência do nosso país. Uma mulher que fugiu de casa, se vestiu como homem para lutar pelo Brasil. A Maria Quitéria representa a força e a determinação do povo brasileiro. E aí, queria homenagear, ao homenagear a Maria Quitéria, queria homenagear a cada uma das mulheres formandas e a cada um dos homens formandos, que também, nos tempos modernos, tiveram de lutar para fazer esse curso.

Estar aqui, em Feira de Santana, ver a luta de vocês que, com garra, tenacidade, jovens, adultos, mulheres, homens, todos abriram mão do seu tempo livre, tiveram de fazer um esforço para estudar. Mas isso é extremamente vantajoso para o Brasil. É vantajoso para cada um de vocês, mas eu asseguro para vocês que é uma grande vantagem para o Brasil, porque nós precisamos de assegurar que todos os brasileiros, todas as brasileiras, tenham uma melhoria da sua qualificação profissional, da sua qualificação e da sua capacitação técnica para que o Brasil, de fato, se transforme num grande país, numa grande nação.

Cada passo que vocês dão é uma porta que se abre para o futuro do país, uma porta que se abre para a esperança. Esperança, primeiro, porque um curso de capacitação permite que as pessoas melhorem de vida, mas é uma porta para o país, porque também garante que a nossa população, a nossa maior riqueza, vai ter outra qualidade e, portanto, vai agregar valor aos produtos, vai melhorar a economia, nós vamos poder continuar a crescer sempre.

Então, hoje é o dia da gente celebrar a vitória de vocês. Esse dia é um dia que vocês não vão esquecer, porque o primeiro passo para um curso de profissionalização a gente nunca esquece. O governador, aqui, falou do primeiro passo que ele deu, no curso para ele se formar como caldeireiro, não é, governador? Mas eu quero dar um outro exemplo para vocês. Teve um outro brasileiro que teve dois diplomas, um deles foi um diploma no curso técnico, aí, no caso desse brasileiro, o Senai. O outro diploma foi de presidente da república. É o nosso Lula, que formou no Senai e, depois, se formou como presidente da república. Porque quando a gente é empossado presidente, a gente recebe um diploma, como vocês, nesse processo de vocês. O meu diploma é o diploma da escolha de todos os brasileiros e de todas as brasileiras que me transforma em presidenta de todos os brasileiros e me obriga a olhar para aqueles que mais precisam, para... olhar para quem é necessário olhar mais de perto.

E aí eu quero dizer para vocês o seguinte. Se o esforço é de vocês, se o apoio é das suas famílias e dos professores, o que um governo tem de fazer? Um governo tem de assegurar que as oportunidades que vocês anseiam, demandam, precisam, essas oportunidades ocorram. E aí como é que fica a história do Pronatec? O Pronatec é um programa que tem a ambição de ser um programa e um caminho, um caminho de oportunidade para todos os brasileiros que queiram se formar no ensino técnico ou se formar na sua capacitação profissional.

Daí, o que é que acontece? A gente sabia que um curso dessa dimensão, ele não podia ser pago porque se ele fosse pago, teria uma barreira na entrada. Ali na porta do Pronatec teria uma barreira: só pode entrar quem tem dinheiro para pagar um curso. Bom, por isso o governo federal pegou o dinheiro dos impostos que todos vocês pagam, que todos nós dessa sala pagamos, e destinou para aqueles que mais precisam e de quem o Brasil mais precisa. E aí colocamos lá 14 bilhões de reais, e o curso passou a ser gratuito, a gente assegura o acesso de todo mundo que queira estudar, ao curso. Acabou aquela história que tinha de pagar.

Mas, se é um curso pago com o dinheiro dos impostos arrecadados da população brasileira, não pode ser um curso qualquer, tem de ser o melhor curso disponível no Brasil, com a melhor qualidade possível, com melhores professores. Aí nós fomos procurar os nossos parceiros, e achamos os nossos parceiros. O Sistema S é um dos nossos parceiros, por isso eu cumprimentei o Senai e o Senac. Em outros estados do Brasil, eu cumprimento ainda o Serviço Nacional de Transporte e o Serviço Nacional da Agricultura, que são os nossos parceiros: Senai, Senac, Senar e Senat.

E o governo federal também construiu, como contou aqui o ministro Paim e o próprio governador Jaques Wagner, com as suas parcerias que são os institutos federais de educação que nós criamos, construímos, expandimos e espalhamos pelo interior do país. Porque, eu não sei se vocês sabem, era proibido de fazer, o governo federal estava proibidinho de fazer escola técnica. Quando, em 2005, era ministra do Lula, ministra-chefe da Casa Civil, e naquela época nós lutamos para mudar uma lei que proibia que a gente gastasse com escola técnica. Vejam que absurdo, alguém proibir um governo de colocar dinheiro naquilo que é a riqueza e o patrimônio de um povo: a educação.

Bem, então, para garantir a qualidade, nós juntamos as escolas estaduais aqui do estado, com os institutos federais e com o Sistema S. Então, a primeira coisa foi que tinha de ser gratuito; a segunda coisa, tinha de ser muito bom, de muito boa qualidade, com bons professores, com ótima experiência nessa área. Mas tinha uma terceira coisa: tinha de ter diversidade, ou seja, não podia dar um curso só. Não podia formar só um auxiliar administrativo, ou não podia só formar um encanador, ou um eletricista predial. Tinha de adaptar e tornar variados os cursos, porque a pessoa e o mercado pode estar procurando uma camareira de hotel, o outro pode estar procurando um garçom, o outro pode estar procurando um operador de máquina. Enfim, toda a variedade tinha de se encaixar às necessidades e aos desejos, demandas e ambições que cada um de vocês e cada uma de vocês tem. E é isso que torna o Pronatec esse sucesso.

Mas nenhuma dessas características substitui a primeira característica, a mais importante, aquela que, de fato, garante o sucesso do Pronatec, que é o esforço de cada uma das mulheres aqui presentes, de cada um dos homens aqui presentes, de cada um dos adultos e de cada um dos jovens. É esse esforço de vocês que faz a diferença. É esse esforço de vocês que deu certo.

E aí eu quero falar uma coisa. Quando nós lançamos, lá atrás, e falamos que o Brasil ia ter o maior programa de ensino técnico da sua história, com oito milhões de matrículas até o final de 2014, ninguém deixa de lembrar do que aconteceu. Algumas pessoas disseram “não vai dar certo, não vai dar certo”, porque tem muita gente que tem boa intenção, mas tem aqueles pessimistas que não querem entender que o povo brasileiro é capaz de superar desafios, é capaz de agarrar as oportunidades com as duas mãos.

Por isso, eu disse que a primeira condição para o Pronatec dar certo é o fato de que vocês foram lá, com garra, com determinação, como o nosso povo diz “ralaram”, assistiram as aulas e agora estão aqui com o diploma. Quero dizer que vocês são aqueles brasileiros que são capazes de transformar cada dia o nosso país e fazer com que o nosso país seja do tamanho dos sonhos de cada um de nós. É isso que transforma o Pronatec.

Eu tenho estado em muitas formaturas, e eu gosto muito do juramento. Nesse juramento vocês juram por vocês, juram pelas suas famílias, pela sua comunidade, e juram pelo Brasil. Agora, aqui, eu vou propor uma saudação, aquilo que vocês transformaram num sucesso. Vou propor uma homenagem de vocês ao próprio Pronatec. Viva o Pronatec! Viva!

 

Ouça a íntegra (22min45s) do discurso da Presidenta Dilma Rousseff