Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de formatura de alunos do Pronatec - Novo Hamburgo/RS

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de formatura de alunos do Pronatec - Novo Hamburgo/RS

por Portal do Planalto publicado 11/10/2013 11h40, última modificação 04/07/2014 20h18

Novo Hamburgo-RS, 11 de outubro de 2013

 

Obrigada, viu? Vocês dois estão entusiasmados aí.

Eu queria cumprimentar o Charles Luiz, que falou em nome de todos os formandos aqui, hoje. E também a Ana Gabriela, que prestou um juramento, um juramento muito bonito.

Queria cumprimentar também a todos os familiares dos formandos do Pronatec.

Mas queria, sobretudo, cumprimentar os homens e as mulheres trabalhadores, que hoje recebem esse diploma. Meus parabéns a cada um de vocês. Hoje o dia é de vocês.

Queria, também, agradecer as palavras e cumprimentar o nosso governador em exercício do Rio Grande do Sul, Beto Grill,

Queria agradecer a calorosa recepção que o prefeito de Novo Hamburgo, o meu querido Luis Lauermann e a senhora Jorgia Seibel nos deram aqui, hoje, a mim e à minha comitiva. Muito obrigada, viu, prefeito?

Queria cumprimentar os ministros que me acompanham hoje, aqui: o ministro da Educação, Aloizio Mercadante; os dois ministros gaúchos, o Pepe Vargas, do Desenvolvimento Agrário, e a Maria do Rosário, da Secretaria dos Direitos Humanos.

Cumprimentar a Helena Chagas, secretária de Comunicação Social [ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social],

Queria dirigir um cumprimento, também, aos deputados federais aqui presentes: o Ronaldo Zulke, o Renato Molling, o Marcon, o Henrique Fontana e o Assis Melo.

Cumprimentar o presidente da Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo, o vereador Antônio Lucas,

O ex-prefeito de Novo Hamburgo, Tarcísio Zimmermann,

Um cumprimento especial à Carla Comerlato, reitora do Instituto Federal Farroupilha,

Queria cumprimentar os dirigentes das entidades parceiras, porque esse Programa, o Pronatec, é um programa em parceria.

Queria cumprimentar o Luiz Carlos Bohn, do Sistema Fecomércio,

O José Zortéa, do Senai,

Gilberto Petri, que representa aqui a nossa Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul,

Queria dirigir um cumprimento especial, mas muito especial mesmo, porque além de hoje ser o dia dos formandos, é também o dia de satisfação, eu tenho certeza, de cada um dos professores e das professoras. Quero saudar todos os professores e professoras responsáveis pelos cursos de cada um de vocês.

Eu queria dirigir também uma saudação especial aos agricultores familiares que nos acompanham neste evento, ao pessoal da Fetraf,

Queria também cumprimentar aqui o pessoal da Ubes, eu vi o pessoal da UJS,

Agora, eu queria dirigir também um cumprimento muito especial aos nossos queridos companheiros catadores da Associação CataVida. Esse cumprimento é do coração porque, no fim do ano, eu sempre faço uma cerimônia muito importante com vocês. É uma cerimônia de congraçamento com os catadores, lá em São Paulo. Geralmente ela é em São Paulo, agora, se vocês organizassem, vocês podiam fazer um rodízio.

Queria cumprimentar aqui os senhores jornalistas, as senhoras jornalistas, os fotógrafos e os cinegrafistas.

Vocês sabem que, em linha reta, em linha reta, a distância entre Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, e Ceará-Mirim, Rio Grande do Norte é de 3.200 km. Além da brasilidade, une esses dois estados, que estão em extremos opostos do país, um ponto de conexão: vocês, formandos do Pronatec.

A última formatura do Pronatec que eu estive foi lá em Ceará-Mirim: 4.200 formandos. Nesse longo caminho que vai aqui de Novo Hamburgo até Ceará-Mirim, lá no Rio Grande do Norte, você tem uma porção de estados, uma imensa diversidade cultural, uma diversidade econômica também, diversidade de sotaques. Mas é muito importante que entre esses dois estados extremos do Brasil tenha a unidade básica na educação. E eu me orgulho muito, como eu me orgulhei lá, de estar aqui hoje, nessa formatura.

O Pronatec, ele é um momento importante para o Brasil. O Pronatec, que o Programa Nacional de Ensino Técnico e Emprego, ele tem um objetivo fundamental, que é melhorar a vida de cada brasileiro e de cada brasileira que quer estudar, se capacitar para o trabalho, ganhar um salário melhor para si e para sua família. Mas ele é um programa, além de ser um programa para cada uma das pessoas que está aqui, como era um programa para cada um dos potiguares que estavam lá no Rio Grande do Norte, ele é um programa para o Brasil. E ele é um programa para o Brasil porque o Brasil só vai ser grande se seu povo for grande. O Brasil só vai crescer se seu povo crescer com ele. O Brasil só vai ter realizadas as suas potencialidades se cada um dos homens e das mulheres deste país realizar plenamente seu potencial.

E eu garanto para vocês uma coisa. Nós temos várias ações, que são muito importantes. Por exemplo, eu acho que o Minha Casa, Minha Vida é muito importante. Eu acho que ter acesso à casa própria é algo que toda família deseja. Mas eu tenho certeza de uma coisa: o caminho mais importante de todos para o Brasil é a educação.

E quero dizer a vocês, hoje vocês deram um passo, um passo na vida de vocês. É um grande passo, e eu queria pedir para vocês: sempre que vocês tiverem oportunidade, deem um novo passo, deem um novo passo, procurem um curso, se aperfeiçoem mais. O Pronatec vai estar de portas abertas para vocês.

Hoje eu vim aqui como Presidenta da República participar desta formatura porque eu estou testemunhando, eu sou testemunha da vitória de cada um de vocês, do esforço que vocês fizeram e do resultado que vocês alcançaram. Eu sou testemunha desse passo, e queria dizer que essa é o tipo da festa boa. É uma festa de formatura de 1.152 gaúchos e gaúchas. Gaúchos e gaúchas que vêm de 22 municípios do nosso estado. A lista de municípios é longa, mas eu trouxe ela aqui para recitar, e se faltar, tenham a bondade de gritar quando eu acabar os nomes que eu, porventura, não tenha falado.

Eu quero homenagear os formandos de Novo Hamburgo, Alvorada, Bom Princípio, Cachoeira do Sul, Camaquã, Campo Bom, Canoas, Charqueadas, Esteio, Farroupilha, Feliz, Gravataí, Guaíba, Linha Nova, Montenegro, Pareci Novo, Passo da Areia, Sapucaia do Sul, Triunfo, Venâncio Aires, Viamão e Porto Alegre. São Leopoldo. Faltou outro? Vocês desculpem aí, então ajuda, né? Bom, aí você manda um bilhetinho, viu, porque não está dando para escutar, não.

Vamos continuar, gente: Dois Irmãos, São Sebastião do Caí. Agora deu.

E esse curso para 1.152 gaúchos, ele é um curso que tem três características importantes. Primeiro, ele é um curso de qualidade, porque nossos parceiros são de qualidade, é o que há de melhor no Brasil em matéria de ensino profissionalizante. E aí eu agradeço o Sistema S: o Senai, o Senac e o Senat; agradeço os Institutos Federais e as Escolas Técnicas Estaduais.

E quero dizer para vocês que tem uma segunda característica: é o fato de que nós temos 22 diferentes tipos de cursos aqui hoje. Essa diversidade que abrange um leque grande de alternativas e de diferentes oportunidades, ela é muito importante, porque o que as pessoas querem nem sempre são os mesmos cursos. Aqui nós temos, hoje, formandos no curso de mecânica de automóveis leves, mecânica de motores ciclo ottos, gente como o nosso orador, que se formou, o Luiz, que se formou em operador de empilhadeira, operador de retroescavadeira, agente de inspeção de qualidade, recepcionista de eventos, auxiliar de administração, auxiliar de padaria e confeitaria, enfim, uma gama de cursos dos mais variados.

Agora, a grande característica desses cursos, eu quero dizer para vocês, é a terceira que eu vou falar: é o fato de que vocês tiveram garra. Porque, no Brasil, é importante a gente registrar isso: as pessoas, quando têm oportunidade, elas vão, elas fazem e elas conseguem. Conseguem tanto um primeiro emprego, conseguem melhorar de emprego, conseguem evoluir na sua carreira. Por isso, mais uma vez, a todos vocês meus mais sinceros parabéns.

Cada uma das pessoas aqui, ao fazer esse curso, sonhou um sonho próprio. Eu desejo para todos vocês que esse sonho se realize, e desejo também para o Brasil. Como eu disse, no início, depende... o crescimento do Brasil depende, mas depende muito, de termos um país, cada vez, com brasileiros e brasileiras melhor formados.

No final deste mês, o Pronatec vai completar dois anos, dois anos de existência. Nós chegamos a [falha no áudio] jovens e trabalhadores, e vamos chegar aos oito milhões, que era nossa meta, no final do ano que vem.

Vocês sabem as características do Pronatec? 70% dos alunos do Pronatec são jovens até 29 anos. E 60% são mulheres. É interessante o fato de que o Rio Grande do Sul é um dos estados com maior número de formandos, em especial em um dos três tipos do Pronatec, que é o Pronatec Brasil Sem Miséria, que são um milhão de vagas. Mas o Rio Grande também é recordista em Pronatec, proporcionalmente, em Pronatec formação profissional. E eu queria dizer para vocês uma coisa. Muitas vezes as pessoas dizem assim: “o Pronatec é um curso de graça.” Ele é de graça, sim, para quem? Para os estudantes do Pronatec, porque um dever do Estado brasileiro é assegurar aos estudantes o Pronatec, o acesso integral, sem diferenciação de renda, a uma boa formação profissional. Nós garantimos o transporte, garantimos a alimentação, garantimos as apostilas, garantimos os laboratórios e garantimos os cursos. O governo federal está usando R$ 14 bilhões até o final de 2014 para o Pronatec, e quero dizer para vocês que esse curso, no que depender de nós, irá continuar. Por que é que vai continuar? No que depender de nós vai continuar por um motivo simplíssimo. Porque nós aprovamos, no Congresso Nacional, uma fonte para a Educação, para a Educação, principalmente para o ensino básico. Portanto, vai haver recursos de onde? Dos royalties do petróleo. Dos royalties do petróleo para a educação. E aí, sim, nós podemos dizer que o petróleo é nosso passaporte para o futuro, porque nós vamos utilizar os recursos de uma riqueza que um dia acaba para apostar numa riqueza eterna que é a educação.

Essa é a nossa aposta, e a aposta é a seguinte: 75% de todos os royalties que são atribuídos ao governo federal, mais metade de todo o Fundo Social do pré-sal, nós vamos gastar em educação. Aí você pode me perguntar. Vamos supor que ele, ali, que quer tirar uma foto comigo, me pergunte, vamos supor. Ele vai me perguntar assim: “Ah é, é? E quanto que é isso em dinheiro?” E eu vou dizer para vocês, para vocês terem uma ideia: os royalties, a parte dos royalties do governo federal, em 10 anos, dá R$ 112 bilhões. Isso é conta exata, porque já existe essa riqueza. Então, R$ 112 bilhões. Durante dez anos se distribui, mas não é aí só. Se fosse só isso não tinha muito dinheiro. No dia 21 de outubro nós vamos licitar o Campo de Libra. Todos os recursos que o governo federal, e são muitos porque o regime é de partilha, portanto, a parte... tem uma parte grande do dinheiro do petróleo que sair do Campo de Libra é do governo federal. 50% disso será destinado, 75% para a Educação, 25% para a Saúde. Esse é um dinheiro muito grande, porque... o cálculo, a gente não sabe precisamente se sai de lá. Sabe-se só que é um grande campo. Mas sai algo, em 35 anos, entre R$ 300 bilhões a R$ 700 bilhões de reais. Portanto, o Brasil fundou as condições para ter educação de qualidade. Porque, para ter educação de qualidade tem que gastar dinheiro em educação, tem que botar dinheiro em educação. Primeiro, botar pagando professor, porque eu nunca ouvi dizer que é possível ter educação de qualidade sem formar bem o professor e sem pagar bem a ele. Por quê? Por um motivo muito simples, por um motivo muito simples: uma pessoa é atraída para uma profissão por vocação, mas ela é atraída também porque ela tem que manter a si e a sua família, ela é atraída também pela remuneração. E nós queremos as melhores pessoas ensinando os jovens e os adultos deste país uma profissão técnica, queremos as melhores professoras e professores formando os nossos filhos, queremos os melhores professores formando nossos cientistas, formando nossos técnicos, formando aquelas pessoas que vão inovar para este país.

Por isso, eu queria dizer para vocês isso: R$ 14 bilhões é o que nós pudemos botar até agora. Nós vamos sempre propor a ampliação desse programa. Nós vamos melhorar. O ministro da Educação estava me dizendo que vai fazer uma pesquisa, mandar para vocês uma pesquisa. Vocês são uma das melhores fontes para a gente saber onde a gente tem de melhorar. Então, nós vamos perguntar para vocês: O que vocês acharam do curso? Que curso... como é que vocês sugerem? O que vocês viram que está certo e o que está errado? Isso é muito importante, porque nós vamos continuar fazendo esse curso.

E eu queria finalizar falando para vocês que o Pronatec... Eu escutei aqui um belo discurso do Luiz. Lá em Ceará-Mirim eu escutei também um belo discurso, se eu não me engano, ele chamava Marco Antônio, então, o Luiz e o Marco Antônio, na verdade, os dois dizem, você veja só, cada um em um estado diferente da Federação, os dois dizem que cada brasileiro que cresce faz o Brasil maior.

Muito obrigado.

Bom, esqueci, vocês me desculpem mas eu esqueci, e esta informação que eu tenho de dar é uma informação muito importante, que é de utilidade: o governo do estado preparou, com o Ministério do Trabalho, a Feira do Emprego, lá no lado de fora do Pavilhão. Lá vão estar as unidades móveis do Sine, oferecendo mais de cinco mil vagas de empregos para a Região Metropolitana, nas áreas de construção civil, supermercados, celulose e calçadista.

Obrigada, gente.

 

Ouça a íntegra (22min58s) do discurso da Presidenta Dilma