Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de formatura de alunos do Pronatec Brasil Sem Miséria - Uberlândia/MG

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de formatura de alunos do Pronatec Brasil Sem Miséria - Uberlândia/MG

por Portal do Planalto publicado 13/09/2013 15h51, última modificação 04/07/2014 20h18

Uberlândia-MG, 13 de setembro de 2013

 

Eu queria, primeiro, desejar um bom dia aqui a todos os moradores de Uberlândia e da região do Triângulo Mineiro.

Vou começar cumprimentando a Fernanda Beatriz Costa, que fez o juramento, e a Cibele Brito, oradora das turmas, e cumprimentando a cada uma das formandas e dos formandos.

E, aí – me dá aí o meu papelzinho. Ele assentou no meu papelzinho. Sumiram com o papel! Obrigada. O meu papel é para fazer o seguinte: eu quero cumprimentar o pessoal azul claro do Senac; o pessoal aí de vermelho do Senai; o pessoal de camisa branca da Escola Técnica de Saúde; o pessoal azul marinho aqui do Sest/Senat; o pessoal de branco do Instituto Federal do Triângulo Mineiro; e o pessoal com a camisa colorida, ali assim, que é o pessoal dos Sem Terra e dos assentados.

Eu quero cumprimentar cada um de vocês aqui presentes, cidadãos e cidadãs brasileiras aqui desta terra, do Triângulo Mineiro.

E saudar o prefeito de Uberlândia, o meu querido Gilmar Machado e a primeira-dama Rosângela Paniago. E, ao saudá-lo, eu saúdo todos os prefeitos da região.

E quero dizer, viu Gilmar, que essa escolha sua por “Uberlândia, uma cidade educadora” é uma escolha muito importante e fantástica para o Brasil. O Gilmar mostra uma coisa que as cidades tinham de ser, as cidades tinham de ser locais educadores, que nada é mais importante para a educação no nosso país. Parabéns, Gilmar.

Gostaria de cumprimentar, aqui, as ministras e os ministros de Estado que me acompanham hoje.

A ministra Tereza Campello, que é uma uberlandense. Ela pode não ter nascido aqui, mas, às vezes, a gente também, além dos lugares em que a gente nasce, a gente tem lugares, assim como tem filhos adotivos, tem cidades adotivas.

Queria cumprimentar a Helena Chagas, da Secretaria de Comunicação Social.

E queria cumprimentar, aqui, um ministro mineiro que vocês conhecem, o nosso querido Fernando Pimentel, que é ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, portanto, ele é ministro do emprego.

Queria cumprimentar o deputado federal Weliton Prado.

Os deputados estaduais, o Adelmo Leão, o Elismar Prado, o Deiró Marra, o Tenente Lúcio e o Leonídio Bouças.

Queria cumprimentar também o doutor Elmiro Santos Rezende, reitor da Universidade Federal de Uberlândia.

O Pronatec é daqueles programas que o governo federal tem mais orgulho, e um programa desse tamanho nós fazemos com parcerias e eu queria cumprimentar os parceiros.

Cumprimentar o Olavo Machado Júnior, presidente da Fiemg.

Cumprimentar o presidente do Sistema Fecomercio de Minas Gerais, Sesc/Senac, o Lázaro Luiz Gonzaga.

Cumprimentar a Roseana de Medeiros, diretora da unidade Sest/Senat de Uberlândia.

Cumprimentar o diretor da Escola Técnica de Saúde, Noriel Viana Pereira.

Cumprimentar os senhores presidentes de associações de municípios de Minas Gerais, e ao cumprimentar a cada um deles eu cumprimento os prefeitos e prefeitas que integram a associação.

O doutor Lucas, da Associação dos Municípios do Alto Paranaíba e prefeito de Patrocínio;

O doutor Jeová, da Associação dos Municípios do Alto Araxá - Ampla e prefeito de Araxá.

O Márcio Reinaldo, da Associação dos Municípios do Alto do Rio das Velhas, região da grande Belo Horizonte, e prefeito de Sete Lagoas.

O Paulo Piau, da Associação dos Municípios do Vale do Rio Grande e prefeito de Uberaba.

Queridos formandos Edson Monteiro da Silva, o Daniel Galo e a Irlene, que tiveram as suas carteiras assinadas.

Queria dar um cumprimento todo especial para aqueles que são, de fato, os grandes agentes desse programa, que são os professores, que tiveram com vocês nesse tempo e que para vocês transferiram os seus conhecimentos. Aos professores, minha saudação muito especial.

Cumprimentar os senhores e as senhoras jornalistas aqui da região, os senhores fotógrafos e os senhores cinegrafistas.

Meus queridos amigos e minhas queridas amigas,

 

Hoje é uma sexta-feira 13. Eu quero dizer para vocês que nós estamos provando, aqui, que uma sexta-feira 13 é um dia de alegria e sorte. Alegria e sorte! Alegria para os 2.634 formandos, porque é uma alegria sempre que na vida a gente encara um caminho novo. E há momentos na vida que a gente muda o caminho. Vocês, hoje, estão no momento da vida em que vocês estão olhando e ali na frente tem um caminho. Esse caminho é um caminho que vocês, com a força de vocês, com a dedicação de vocês, que ninguém pode dar a vocês, que vocês conquistaram, e é esse o grande, mas o imenso valor desse caminho. Caminho que a gente constrói é caminho que a gente tem responsabilidade por ele.

Então eu desejo a vocês esse momento de alegria, eu vou dizer, de plenitude, porque a gente agarra, tem hora que a gente agarra a vida com a mão, a gente pega com as duas mãos e fala: “Bom, essa é minha, essa vida é minha e eu vou traçar ela”. Vocês estão diante, então, desse caminho de alegria. E estão também diante de um caminho de sorte. Sabe para quem é a sorte? Para nós que não formamos, porque vocês trazem a sorte para o Brasil. Porque é com o trabalho de vocês, com a formatura de vocês e com a capacitação de vocês que esse país vai para frente. Sem vocês, esse país não vai para frente. Alegria para vocês, sorte para o Brasil. Vocês dão sorte para o Brasil. E é isso que nós, aqui, estamos construindo juntos, aqui, hoje, diante desse novo caminho.

Eu sei que aqui tem os 2.634 cidadãos e cidadãs. É importante, sem desmerecer os cidadãos, que sejam as cidadãs também que tenham oportunidade, porque 70% dos alunos desses cursos nossos do Pronatec são mulheres. Os meninos têm tanta importância quanto as meninas, e eu sempre disse que é. É, sabe por quê? Uma vez uma moça me disse o seguinte: “Tá certo, nós mulheres somos mães, porque não tem homem na Terra, nessa Terra, que não tenha uma mãe. Então, na verdade, está tudo em casa e em família”. Então, a importância das mulheres é uma coisa que beneficia todos os homens também. Então 70% desse curso são de mulheres. E é a hora e a vez da gente – eu vi aqui as meninas estão muito alegres e mostrando que tem de ter força. É isso aí! Essa força sempre. Tem de ter força e tem de ir à luta. Nós mulheres temos de ir à luta!

Por isso, eu fico muito feliz de estar aqui quando esses horizontes estão sendo abertos. Nós oferecemos o Pronatec porque nós olhamos e pensamos o seguinte: o governo federal tem de ter responsabilidade, primeiro, com as pessoas. Nós não podemos dar importância sem focar nas pessoas. Não é possível você só querer o prédio, fazer a ponte – é importante –, fazer a escola. É importante ver como é que fica a vida da pessoa.

Focar na pessoa significa entender que neste país tem de ter uma prioridade. A primeira prioridade deste país só pode ser sua população. Primeiro, nós temos de dar oportunidade para a nossa população. Sem isso, o país não cresce. Sem isso, cada um de nós, das nossas famílias, nossos filhos e nossos netos não viverão num país do qual terão orgulho. Por isso, nós damos imensa importância, por isso eu estou aqui nessa formatura, por isso essa formatura tem um significado especial.

Aliás, eu vou dar um exemplo para vocês. Vou falar uma história de uma pessoa que vocês conhecem, que dizia que tinha orgulho de ter tido dois diplomas na vida: o primeiro foi no Senai, o segundo foi de presidente da República. Estou falando do Lula. E ele colocava os dois diplomas com a mesma importância, porque os dois diplomas significaram abertura nos caminhos que ele trilhou na vida. Ele nunca teria recebido o segundo diploma se não tivesse também tido acesso ao primeiro. Por isso, esse diploma de hoje abre o caminho de vocês. Eu tenho certeza que o que vocês vão fazer daqui para frente é aproveitar essa oportunidade, e sempre que passar outra na frente de vocês, vocês vão pegar com as duas mãos. É esse o grande juramento que vocês devem fazer aqui perante seus colegas, suas famílias, seus amigos, mas, sobretudo, perante a si mesmos.

Quero dizer a vocês que aqui estão formandos de 32 municípios de Minas Gerais. A lista é grande, mas é justo que eu nomeie cada um dos municípios. Então vou começar. São municípios de: Uberlândia, Abadia dos Dourados, Água Comprida, Araguari, Araxá, Campina Verde, Campo Florido, Campos Altos, Canápolis, Carmo do Paranaíba, Cascalho Rico, Coromandel – Coromandel está forte, hein? – Cruzeiro da Fortaleza, Delta, Estrela do Sul, Guimarânia, Gurinhatã, Grupiara, Ituiutaba, Iturama, Lagoa Formosa, Monte Alegre de Minas, Monte Carmelo, Nova Ponte, Patos de Minas, Patrocínio, Presidente Olegário, Rio Paranaíba, São Gotardo, Serra do Salitre, Tupaciguara, Uberaba. Olha, gente, cada um desses 32 municípios são diferentes em tamanho da população e atividade, mas tem em comum, agora, uma coisa: têm formandos do Pronatec Brasil Sem Miséria. Antes desse programa, é improvável que em alguns municípios tivesse cursos de formação técnica. Mas agora nós sabemos que terão cursos de formação técnica, profissionalizantes em todos os municípios que nós pudermos chegar.

E aí vou dizer uma coisa para vocês que é muito importante: nós aprovamos no Congresso Nacional uma lei, uma lei importantíssima, porque essa lei, ela faz o seguinte. É como se fosse uma herança que alguém deixasse pra nós. Essa lei aprova que, da riqueza do petróleo no Brasil, os royalties da parte do governo federal e tudo que nós arrecadarmos com os leilões do chamado pré-sal vão para a educação, 50% do Fundo Social.

O que isso significa? Significa que nós todos aqui podemos ter certeza que nos próximos 30 a 40 anos, vamos botar de 30 a 50 anos, o Brasil terá dinheiro para gastar em educação. Porque gastar em educação é investir na pessoa. Gastar significa o seguinte: primeiro, pagar bem aos professores. Ninguém vai ter educação de qualidade desde a creche até a pós-graduação se não pagar aos professores um salário decente, um salário digno.

Mandaram aqui dizer que faltou Dourado... Douradoquara. Faltou. Faltou Sacramento? Faltou Sacramento. Faltou mais alguma coisa? Não faltou mais nada. Então a parte das cidades está encerrada. Continuando minha conversa.

Não haverá, gente, não haverá como nós conseguirmos dar educação de qualidade, para qualquer nível se não tiver professor qualificado, se não tiver professor bem pago, se a sociedade não valorizar a profissão de professor. Então, por isso a gente precisa de recurso.

Além disso, para vocês terem uma ideia, a educação é importante desde a creche à pós-graduação. Então, eu vou começar da creche. Por que é importante na creche? Porque... Não é por causa só que as mulheres precisam trabalhar e não tem onde deixar seus filhos não. É por causa das crianças. É sabido que do zero aos três anos de idade, a criança forma a sua capacidade de aprender.

Quanto mais estimulada ela é, maior a capacidade de aprendizado que ela vai desenvolver ao longo de toda a vida. Por isso, se a gente for capaz de dar creche de qualidade para as crianças, nós estimularemos as crianças, nós daremos acesso a todas as crianças, aos brasileirinhos e às brasileirinhas, nós vamos dar acesso a tudo que estimula eles: a jogos, acesso aos primeiros livros, as historinhas, acesso a estímulos manuais, porque isso vai fazer diferença ao longo da vida. As crianças ricas têm acesso a isso. Nós queremos que todas as crianças brasileiras tenham. Nós não queremos que a desigualdade comece lá embaixo. Nós queremos dar oportunidades. Então, tem de botar dinheiro em creche. A creche, neste país, tem de ser creche de padrão internacional. Por isso que tem de investir na creche.

Outra coisa também que é sabida e que temos de tratar: nós temos de tratar de uma coisa seriíssima, que é a alfabetização na idade certa. As crianças até os oito anos, todas as crianças deste país, têm que saber as quatro operações de forma, óbvio, que é simples, têm de saber ler e interpretar um texto, também simples.

Eu não sei se vocês sabem, mas não é assim hoje. Em alguns estados da nossa Federação, 35% das crianças aos oito anos não sabem ler e escrever de forma simples nem fazer as quatro operações. Para isso nós vamos ter de investir, botar dinheiro, qualificar professor. Professora alfabetizadora nós temos de tratar como sendo uma das pessoas mais importantes deste país, porque alfabetiza o futuro do país.

Nós vamos ter de garantir, nós vamos ter de garantir ensino em tempo integral, dois turnos, e no 2º turno tem que estudar Português, Matemática, uma língua e Ciências também. Nenhum país, nenhuma nação é desenvolvida sem ensino em dois turnos. Criança não pode ficar pouco tempo no colégio. Tem de ficar o tempo suficiente para ter uma qualidade de ensino que garanta que os brasileiros e brasileiras estejam no mesmo nível de desenvolvimento educacional dos países desenvolvidos. Está caindo alguma coisa ali na lateral.

Bom, continuando, aí chegamos no ensino técnico. O ensino técnico, gente, é fundamental. Para vocês terem uma ideia, nos países desenvolvidos, para cada um universitário, tem dez profissionais com especialização técnica. Muitas vezes, o salário do profissional técnico especializado, em alguns casos ultrapassa daqueles do ensino universitário. Exemplo é a Alemanha, um país que tem uma das melhores indústrias.

E aí eu quero dizer para vocês uma coisa. Vocês fizeram um primeiro treinamento. O Pronatec é tão importante que nós vamos fazer o Pronatec tornar-se um programa permanente do governo. Porque vocês só tiveram o primeiro curso, vocês vão ter outros cursos. Vocês sempre terão de melhorar sua especialização.

Não parem! Vocês não podem parar. O Brasil precisa de ensino técnico para poder competir no mundo. Nós precisamos para nós mesmos, para melhorar a nossa economia. Sem trabalhadores especializados, com empregos cada vez melhores, ganhando melhores salários, nós não seremos e não realizaremos tudo aquilo que podemos, todo nosso potencial. Por quê? Porque é sabido, é sabido isso: o mundo hoje, ele está entrando num outro momento, é a chamada economia do conhecimento. Quanto mais estudo, melhor para o país. Por isso eu comecei com a sorte e alegria. Alegria para vocês, sorte para o Brasil.

E aí eu queria dizer que as coisas... Vocês viram os vídeos. Uma das coisas que mais me comovem são as histórias humanas. O fato das pessoas, ao fazer um curso, elas mudam a forma de ver a vida, elas se relacionam diferente entre elas, além de fazer amigo, que é a coisa mais importante também que a gente leva da vida.

Por isso, eu digo para vocês que o momento em que venho no Pronatec, participo dessa diplomação, é um momento muito especial. Ser presidenta da República exige um grande compromisso com o povo deste país, mas a gente também tem alegria, e quero dizer que hoje é momento de grande alegria.

Cada vez que venho aqui e vejo uma formação, eu sei que estamos dando mais um passo. Para quê? Para que nosso país, que antes era um dos lugares mais desiguais do mundo, havia a maior desigualdade. Cada vez que eu venho numa formatura, eu sei que nós estamos garantindo que essa luta contra a desigualdade, transformar o Brasil num país sem miséria, seja irreversível. Porque nós só temos certeza que a gente, de fato, vai acabar completamente com a miséria neste país, com a pobreza, por dois caminhos: educação e emprego. Tem de ter educação e emprego para todo mundo, e de qualidade, e as mesmas oportunidades para todos os brasileiros.

Tem de acabar com aquela história antiga de que esse país podia ser rico com o povo pobre. Nós jamais podemos aceitar isso outra vez. Esse país só será rico se o seu povo for rico. País rico é país sem miséria. Não basta o PIB crescer, tem de crescer para vocês, não basta o PIB melhorar, a saúde tem de melhorar, temos de trazer mais médicos para atender a população deste país. Não basta o PIB crescer se não houver cada vez empregos de melhor qualidade. Agora, é muito importante que, com tudo isso, o PIB cresça.

Daí porque eu quero dizer para vocês, primeiro, viva vocês, parabéns para todos os formandos. Parabéns, boa sorte, que os empregos que vocês obtenham melhorem a renda das suas famílias e que isso seja o começo. Que cada vez essa renda melhore mais, que os empregos sejam melhores.

E se vocês verem, olharem e verem um curso passando assim, uma oportunidade de um curso passando, agarrem com as duas mãos, vão lá fazer. Como disse a ministra Tereza Campello: é obrigação do governo pagar. O curso custa para o governo, não custa para quem faz. Para quem faz é gratuito. É obrigação do governo federal pagar esse curso. Não é favor, é obrigação do governo federal. Não é presente, é obrigação. Um beijo para vocês!

Ouça a íntegra do discurso (29min35s) da Presidenta Dilma Rousseff