Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de entrega do XXVIII Prêmio Jovem Cientista – Segurança Alimentar e Nutricional - Brasília/DF

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de entrega do XXVIII Prêmio Jovem Cientista – Segurança Alimentar e Nutricional - Brasília/DF

por Portal Planalto publicado 15/09/2015 15h15, última modificação 16/09/2015 16h05

Palácio do Planalto-DF, 15 de setembro de 2015

 

 

Eu queria iniciar cumprimentando os estudantes, os pesquisadores, os representantes das instituições de ensino agraciados com o Prêmio Jovem Cientista em suas diferentes categorias.

Cumprimento, na categoria mestre e doutor, a Bárbara Rita Cardoso, a Camila Maranha Paes de Carvalho, a Fernanda Garcia dos Santos,

Na categoria estudante do ensino superior, cumprimento o Deloan Edberto Mattos Perini, o Davi Benedito Oliveira, a Camila Ramponi Rodrigues de Godoi,

Na categoria estudante do ensino médio, cumprimento a Joana Meneguzzo Pascoali, o Moisés Lopes Rodrigues e a Bruna Marquezan Maran,

Também cumprimento os representantes das instituições de ensino agraciadas com o Prêmio Mérito Institucional, o professor Walquer Cavalcanti Maia Júnior, da Escola Estadual da Educação Profissional Joaquim Nogueira,

Aproveito também para cumprimentar o senhor governador do Ceará, aqui presente,

A professora Roselaine Neckel, reitora da Universidade Federal de Santa Catarina,

E cumprimento também, na categoria Mérito Científico, o doutro Franco Maria Lajolo, pesquisador a Universidade de São Paulo,

Queria cumprimentar os ministros de estado aqui presentes cumprimentando o ministro Aldo Rebelo, da Ciência, Tecnologia e Inovação,

Cumprimento os representantes das entidades parceiras: o presidente da Fundação Roberto Marinho e vice-presidente de responsabilidade social do grupo Globo, José Roberto Marinho; a vice-presidente do Instituto Gerdau, a Beatriz Gerdau; e o vice-presidente de assuntos corporativos da BG do Brasil, o Paulo Macedo,

Cumprimento os senadores aqui presentes: José Pimentel, líder do governo no Congresso, e Vanessa Grazziotin,

Cumprimento os deputados federais Afonso Mota, Davidson Magalhães,  Domingos Neto, Expedito Neto, JHC, Mauro Pereira, Wadson Ribeiro,

Cumprimento o nosso querido presidente da Capes, Carlos Nobre,

Cumprimento as senhoras e os senhores reitores, professores e orientadores,

Queridos alunos do Programa Jovem Aprendiz Legal,

Senhores jornalistas, senhores fotógrafos e senhores cinegrafistas.

 

Essa cerimônia entrega… é o 28º Prêmio Jovem Aprendiz [Cientista] que se transforma mais uma vez em uma homenagem aos jovens, aos professores e às instituições que se dedicam à essa questão tão importante que é a questão da ciência.

Acredito que foi a Bárbara Cardoso que usou várias vezes a expressão “A ciência para transformar o mundo”. De fato a ciência transforma o mundo. E é por isso que nós devemos dar tanta atenção no Brasil à questão da ciência, da tecnologia e da inovação, porque ela transforma o mundo.

Em um país pacífico, como é o nosso, em um país que pretende cada vez mais se desenvolver considerando a capacidade de distribuir seu desenvolvimento com a sua população, transformar o mundo significa, necessariamente, levar a cada uma das pessoas as melhores condições de vida. E é isso que a ciência faz, né, Aldo, desde a Arca de Noé.

E nós sabemos que a Bárbara, a Camila Carvalho, a Fernanda, o Deloan, o Davi, a Camila Godoi, a Joana, o Moisés e a Bruna estão, na verdade, semeando ideias inovadoras. E simbolicamente representando, para os olhos do Brasil, o papel que a juventude engajada em uma trajetória de construção de conhecimento pode fazer pelo nosso país, transformá-lo. Vocês, como milhares de outros brasileiros que se dedicam à essa área, têm de receber as nossas congratulações, os nossos parabéns.

Nós sabemos que o Brasil tem de fazer um grande esforço no sentido de construir as bases para que mais jovens, mais mulheres, mais homens se transformem nos cientistas que vão desenvolver o nosso país. E eu queria fazer uma justa homenagem ao professor-doutor Franco Maria Lajolo, da Universidade de São Paulo, premiado na categoria Mérito Científico. Por meio dele, eu parabenizo todos os educadores que adotam a prática pedagógica, reflexiva, transformadora que é a única que consegue levar as pessoas a expressar o seu potencial com o apoio, sem dúvida nenhuma, com inspiração e também instigando ao desenvolvimento e à superação de desafios.

Mas eu queria fazer uma reflexão sobre o que nós assistimos aqui hoje e o tema de segurança alimentar nutricional que esse Prêmio Jovem Cientista coloca. O Brasil tem necessidades simultânea de dois grandes eixos: um eixo é o eixo da inclusão social, da garantia que nos levou a festejar no ano passado a saída do Brasil do mapa da fome, que foi não um trabalho de um dia, mas um grande esforço no sentido de elevar o padrão de vida de milhões de brasileiros que saíram da pobreza e outros tantos foram para a classe média.

O programa responsável por isso, uma parte dele, pelo menos, é formada pelo Bolsa Família. A outra foi formada pela ampliação das oportunidades para um conjunto de brasileiros em várias áreas, e esse processo que nos levou à saída do mapa da fome mostra algo que nós dissemos: o fim da miséria é apenas um começo. Um começo que exige melhor educação, que exige necessariamente um aumento de produtividade no nosso país. E aí, a ciência e a tecnologia são o caminho e a inspiração para que nós possamos chegar a esse novo patamar.

Eu acredito que o Brasil tem todas as condições e sou extremamente otimista no que se refere a superação das dificuldades que nós temos enfrentados. Sou otimista porque nesses últimos anos nós acumulamos um grande arsenal para reagir. O Brasil está passando por alguns problemas, é verdade, mas ele é mais forte e maior do que esses problemas. Se não vejamos, nós temos uma agricultura avançada, nós temos uma agricultura familiar, somos um dos poucos países do mundo que têm uma agricultura familiar em crescimento, em expansão, e não em retração ou em paralisia. Nós temos toda uma política de inclusão de empreendedores, universalizamos praticamente o Simples e incluímos mais de cinco milhões de microempreendedores individuais. Nós temos conquistas que nós não vamos deixar atrás. Nós vamos fazer os nossos ajustes e vamos seguir em frente.

E eu queria falar da importância desse prêmio como símbolo. Nós temos, por exemplo, a pesquisa da Bárbara, que encontrou indicativos que a Castanha do Pará, alguns chamam de Castanha do Brasil, pode auxiliar na prevenção do Mal de Alzheimer. Nós sabemos o que isso pode significar de melhoria de vida e também de avanço tecnológico no combate a essa doença. O Deloan desenvolveu sua proposta de produção orgânica de alimentos em cidades de pequeno porte. Lá em Erechim, ele transforma terrenos vazios em hortas comunitárias que vão fornecer alimentos de qualidade. A Joana montou algo que é um exemplar de proteção ao consumidor, que é a detecção no leite, através de uma fita, da contaminação ou não, e o Moisés deu uma destinação sustentável as carcaças de peixes que de outra forma contaminariam o meio ambiente. Com esses exemplos, o que nós vemos é o seguinte, nós vemos uma serie de iniciativas. Umas maiores outras menores, mas todas apontando em uma direção. Qual direção que todas essas iniciativas apontam? Elas apontam para uma direção de trabalho comum. De trabalho comum feito pelos referidos estudantes ou formados já, com seus respectivos professores, orientadores. Um trabalho de equipe, de cooperação, feito também dentro de suas instituições e mostrou aqui algo que tenho que homenagear, mostrou aqui uma escola de formação profissional de Fortaleza, no Ceará, ganhando um prêmio que, eu acredito, honraria qualquer escola desse país. Porque destaco o Ceará, porque no nosso processo de inclusão nós também percebemos a importância de desenvolvimento do Nordeste. Eu vi também uma escola na Fronteira Sul, do Rio Grande do Sul, tendo participado aqui do prêmio. Ambos os processos fazem parte da determinação com que nós buscamos a interiorização de universidades e a regionalização do desenvolvimento. Quero dizer que nós vamos continuar buscando isso e só posso dizer que tenho certeza que esse país é muito maior do que os pessimistas de plantão querem fazer crer. Esse País tem capacidade criativa e, sobretudo, quando estamos juntos somos capazes de superar desafios e dificuldades. Agora, nós temos de nos dedicar de corpo e alma a construir a trajetória para o País voltar a crescer. Podem ter certeza, podem continuar estudando, pesquisando, inventando, inovando, que vocês estarão construindo esse caminho junto conosco;

Muito obrigado e parabéns.