Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de celebração do início da produção de petróleo da OGX

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de celebração do início da produção de petróleo da OGX

por Portal do Planalto publicado 26/04/2012 20h18, última modificação 04/07/2014 20h11
"Estou certa que a OGX tem uma grande colaboração a dar no que se refere a obter tecnologias de última geração para o Brasil", disse a Presidenta

 

São João da Barra-RJ, 26 de abril de 2012

 

Queria cumprimentar o deputado Paulo Melo, presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. E, por falar em Rio de Janeiro, hoje, eu e o governador Sérgio Cabral participamos de um ato importantíssimo, que foi a comemoração de uma meta, para além do que nós esperávamos, de redução da pobreza extrema no Rio de Janeiro, de tirar da pobreza 1 milhão e 500 mil brasileiros e brasileiras. Foi um momento muito especial, e agora eu estou aqui. E queria dizer que me sinto muito honrada por este dia em que estou participando de dois eventos simbólicos do Brasil de hoje: um na área social e, o outro, na área da economia.

Queria cumprimentar os deputados federais Paulo Feijó, Anthony Garotinho.

Queria cumprimentar também a senhora Carla Maria Machado dos Santos, prefeita de São João da Barra, por intermédio de quem cumprimento todos as prefeitas e prefeitos aqui presentes.

Cumprimentar também a prefeita Rosinha Garotinho,

O senhor Humberto de Freitas, diretor-executivo de Logística da Vale,

Todos os diretores e funcionários do Grupo EBX,

Todos os trabalhadores e representantes dos movimentos de trabalhadores.

Cumprimentar também os senhores jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.

Mas como eu estava dizendo para vocês, eu estive nesses dois momentos especiais aqui, em uma agenda, no Rio de Janeiro. Vou começar por agora.

Eu acredito que o Brasil é um país, hoje, suficientemente complexo, suficientemente diversificado e que necessitava de uma empresa do porte da do Grupo EBX e, no caso do óleo e do petróleo, no que se refere ao óleo e ao petróleo, Eike, do Grupo OGX. Eu acho que uma empresa privada de petróleo tem todo sentido no Brasil, sobretudo pelo fato de que aqui nós temos uma empresa privada nacional de petróleo.

Muitas outras empresas atuam no Brasil, mas eu queria destacar um elemento diferenciado, no que refere à EBX, que é o seu caráter de um empresário nacional, uma pessoa nascida aqui, que pelo seu esforço e também, pelo exemplo do seu pai, chegou a ser um dos empresários mais importantes do país no setor produtivo.

E aqui eu queria também destacar uma trajetória, uma história deste país, uma história do nosso Brasil, aqui representada pelo ex-ministro, ex-presidente da Vale Eliezer Batista. O Brasil teve brasileiros preocupados com o seu desenvolvimento e, sem sombra de dúvida, Eliezer Batista é um deles, que olhou com outros olhos para a questão da mineração, quando ainda não se tinha esse boom das commodities, quando ainda o preço do minério de ferro não era o que é hoje. E, além disso, um brasileiro que percebeu que o mundo iria exigir de nós um compromisso com uma abertura maior, com uma relação melhor do ponto de vista da configuração dos interesses brasileiros e também de interesses de outros países que estavam, naquele momento, surgindo como grandes potências, como era o caso do Japão.

Sobretudo, o que o Eliezer Batista demonstra é que nós podemos e devemos ter empreendedores públicos e privados. O Eliezer foi um empreendedor público da melhor qualidade, um homem que nos orgulha, como muitos empreendedores públicos que formaram a Petrobras orgulham a todos os brasileiros e permite que nós tenhamos a certeza de que o nosso país, na área de petróleo, tem um grande poder e uma grande força de soberania.

E aí eu queria destacar o Eike Batista. Eu acredito que o Eike é um tipo especial de empreendedor. É uma pessoa que delimita o seu sonho de uma forma extremamente ambiciosa e busca cumpri-lo e busca realizá-lo. Esse fato é algo que os brasileiros têm de ter... têm de, primeiro, prestar muita atenção, e depois têm de ter muito orgulho, porque o que nós vemos aqui é a possibilidade que quem tem capacidade de trabalho, quem busca as melhores práticas, quem quer a tecnologia de última geração e quem, de fato, percebe os interesses do seu país é capaz de fazer, tanto o primeiro óleo de uma empresa privada nacional de petróleo, como toda a realização desse porto integrado, dessa verdadeira relação porto-indústria, posto os diferentes segmentos industriais que aqui têm lugar, merece o nosso respeito e merece, da parte do governo, vocês podem ter certeza, toda a atenção e todo o suporte.

Acredito que não há, não pode haver concorrência, no nosso espírito, entre duas grandes empresas, como é o caso da Petrobras e da OGX. Ambas se situam em patamares diversos, agora, ambas podem ganhar muito com uma parceria entre elas.

Estou certa que a OGX tem uma grande contribuição na produção de petróleo offshore no Brasil. Estou certa que a OGX tem uma grande colaboração a dar no que se refere a obter tecnologias de última geração para o Brasil. E estou certa que, sem sombra de dúvida, a Petrobras já provou isso ao abrir os caminhos do pré-sal, nós temos, hoje, a possibilidade, pela quantidade de recursos que nós temos nessa área de contar com a participação tanto da OGX como de empresas privadas internacionais.

Obviamente, nós sabemos o que a Petrobras representa para o Brasil. Obviamente nós sabemos, como nós sabemos o que a Vale representa hoje para o Brasil. E sabemos também que outras empresas, na área de mineração vão atuar nesse cenário extremamente promissor para o nosso país.

Nós não seremos o que poderemos ser: um país que, ao mesmo tempo – e aí eu venho para o primeiro evento de hoje – ao mesmo tempo em que combate e resgata a pobreza, um país que ao mesmo tempo faz um imenso esforço para elevar à condição de classe média milhões e milhões de pessoas, este mesmo país tem de, simultaneamente, se preocupar com incorporar tecnologias de ponta, construir o melhor porto do mundo, no que se refere à logística. Esse país tem de olhar suas ferrovias e integrá-la nos diferentes modais. Esse país tem um desafio logístico a enfrentar.

Esse país também tem um desafio que é buscar a formação a formação dos seus jovens, a formação dos brasileiros e das brasileiras,no sentido que nós sabemos que o século XXI é o século do conhecimento. E sem que incorporar ciência e tecnologia, sem que inovar e transformar a nossa área industrial, os nossos serviços, a extração e a produção das nossas commodities, nós não seremos o que poderemos ser.

Eu tenho certeza que empresários, como o Eike Batista, empresas, como a Vale aqui presente, vão nesse grande desafio participar como parceira no setor produtivo, no setor de serviços, no setor financeiro para que o nosso país possa, de fato, não é ser a 6ª economia do mundo, é ser a 6ª sociedade do mundo no que se refere à qualidade de vida da nossa população.

Eu parabenizo, eu parabenizo a todos. Espero que em um momento muito próximo possamos celebrar o início das atividades do Porto de Açu, como hoje celebramos o primeiro óleo. Espero que as parcerias feitas entre a EBX e a OGX e os diferentes segmentos do país sejam as mais produtivas possíveis.

Finalmente, eu cumprimento a prefeita pelo que nos fez hoje, pela determinação em transformar São João da Barra em um município à altura do que vai ser realizado aqui. Pela determinação da prefeita, pela simpatia e, sobretudo, prefeita, por nos ter recebido com tanto calor, com tanta fraternidade.

Muito obrigada, prefeita.

 

Ouça a íntegra do discurso (12min18s) da Presidenta Dilma