Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de Apresentação do Navio Doca Multipropósito Bahia e visita ao Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Salvador- Salvador/BA

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de Apresentação do Navio Doca Multipropósito Bahia e visita ao Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Salvador- Salvador/BA

por Portal Planalto publicado 06/04/2016 14h35, última modificação 06/04/2016 14h38

Salvador/BA, 06 de abril de 2016

 

Eu queria cumprimentar o governador Rui Costa, os ministros de Estado Aldo Rebelo, da Defesa - queria cumprimentar também a nossa querida Rita de Cássia Rebelo-, cumprimentar o Helder Barbalho, da Secretaria de Portos da Presidência da República;

Dirigir um cumprimento especial ao ex-governador da Bahia, ex-ministro da Defesa, Jaques Wagner; ministro do Gabinete Pessoal da Presidência da República;

Cumprimentar meu amigo Waldir Pires, ex-governador da Bahia e ex-ministro da Defesa;

Cumprimentar o embaixador Laurent Bili, embaixador da República Francesa no Brasil;

Cumprimentar o deputado Marcelo Nilo, presidente da Assembléia Legislativa;

A desembargadora, presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, Maria do Socorro Barreto Santiago;

O almirante de esquadra Eduardo Barcellar Leal Ferreira, Comandante da Marinha do Brasil e a senhora Christiani Prisco Leal Ferreira;

Cumprimentar os deputados federais: Alice Portugal, Caetano, Daniel Almeida e Davidson Magalhães;

Cumprimentar os senhores almirantes de esquadra: Ademir Sobrinho, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas; Airton Teixeira Pinho Filho, chefe do Estado-Maior da Armada; Álvaro Luiz Pinto, ministro do Superior Tribunal Militar;

Luiz Guilherme Sá de Gusmão, diretor-geral de Material de Marinha; Sergio Roberto Fernandes dos Santos, comandante de Operações Navais; Bento Lima Leite de Albuquerque Júnior, comandante-em-chefe de esquadra; por meio dos quais cumprimento todos senhores e senhoras oficiais da Marinha do Brasil;

            Cumprimentar o Comandante Luiz Felipe Monteiro Serrão, por meio de quem saúdo toda a tripulação do Navio Bahia;

            Cumprimentar o ex-presidente da Agência Nacional de Petróleo, Haroldo Lima;

            Cumprimentar as senhoras, os senhores jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.

É com imensa satisfação que eu saúdo a incorporação do Navio Multipropósito Bahia à frota da Marinha do Brasil. Trata-se, sem dúvida, de uma iniciativa do meu governo para ampliar a capacidade operacional dessa força que atua com imenso profissionalismo em favor do Brasil, do nosso povo.

Nos últimos anos, nós realizamos importantes investimentos em equipamentos e na formação de pessoal de nossas Forças Armadas. Isso em estreita sintonia com a Politica Nacional de Defesa, que busca garantir, para as três forças, níveis de operacionalidade compatíveis com o tamanho e a importância do Brasil.

Este navio é excelente exemplo dessa estratégia. Com ele reforçamos nosso poder naval em atividades típicas de defesa e também em ações de caráter humanitário e de auxílio a desastres.

A versatilidade desse navio é compatível com a diversidade das tarefas que a Marinha do Brasil executa. A lista é longa e inclui a proteção de nossas águas jurisdicionais, a Amazônia Azul, e as malhas hidroviárias. Inclui também a participação em missões de paz sob a égide das Organizações das Nações Unidas e isso ocorre no Haiti e no Líbano, por exemplo. Quando demandada, a nossa força naval atua também em garantia de operações que se chamam garantias de lei e ordem.

Colabora com eficiência em atividades de defesa civil, do que é exemplo a sua recente participação nas ações que se seguiram ao rompimento da barragem de rejeitos minerais, em Mariana. Ocasião em que foram deslocados navios, embarcações e pessoal de apoio aos órgãos federais, estaduais e municipais.

A marinha, portanto, tem papel fundamental em todas as atividades e se destaca nas pesquisas  científicas que o Brasil conduz na Antártica.

Ainda na área de pesquisa vale lembrar a incorporação à frota no ano passado no Navio de Pesquisa Hidroceanográfico Vital de Oliveira, navio que é uma das cinco melhores plataformas de pesquisa do mundo, o que é importante para a realização de levantamentos geológicos no fundo do mar.

Frente a esta longa lista de atividades, fica fácil entender a importância do investimento que fizemos para incorporar o navio Bahia à frota da Marinha do Brasil. Um merecido e necessário reforço à capacidade operacional de nossa Força Naval.

Senhoras e senhores,

O Brasil de hoje é um país com fronteiras nacionais consolidadas e que convive em harmonia, cooperação e paz com os nossos vizinhos. Não podemos, no entanto, nos descuidar da defesa de nossa soberania, motivo pelo qual é necessário investir sempre e mais na capacitação de nossas Forças Armadas.

Por isso, mesmo em uma fase de ajustes como a que estamos atravessando, temos nos esforçado para dar sequência aos projetos estratégicos das Forças Armadas. Falo, por exemplo, dos investimentos no Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras, o Sisfron; nos caças supersônicos do Projeto FX-2; e no Projeto KC-390, o maior avião já fabricado no Brasil, que tive a honra de visitar ontem, em Brasília.

No âmbito da Marinha, é estratégica a continuidade do Programa Nuclear e do Programa de Desenvolvimento de Submarinos, o Prosub. Esses programas avançaram muito durante os últimos anos e em especial no meu governo com a conclusão de etapas importantes em Aramar e em Itaguaí. Lembro ainda, por seu caráter decisivo para a defesa nacional as ações para o lançamento, ainda em 2016, de nosso Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas.

Estes projetos são, sem dúvida, estratégicos para as Forças Armadas. São estratégicos para o Brasil, são estratégicos para a sociedade brasileira. Por isso, na proposta de revisão da Lei Orçamentária de 2016, que enviamos ao Congresso Nacional em março, incluímos o abatimento na meta de superávit de R$ 3 bilhões e 500 milhões destinados ao Ministério da Defesa para garantir a continuidade desses projetos.

O cenário fiscal que enfrentamos é difícil, estamos trabalhando diuturnamente para superá-lo. Mas devemos superá-los sem sacrificar projetos que são fundamentais para a retomada do desenvolvimento e para o futuro do Brasil. Esse é o caso dos projetos estratégicos das Forças Armadas.

Afinal, o Brasil é um país de dimensões continentais e riquezas extraordinárias, cuja defesa precisa ser aprimorada continuamente. É isso que temos feito nos últimos anos na Política Nacional de Defesa ao investir em nossas Forças Armadas, que, a cada dia, se mostram mais eficientes e profissionais no cumprimento de suas funções.

Assim, cada novo equipamento que incorporamos às Forças Armadas, como o navio Bahia, é mais uma contribuição para o Brasil desenvolvido que estamos construindo. Quero aproveitar e dizer aqui, perto do Forte São Marcelo, forte esse que consagra uma etapa importante da luta pela independência no nosso País, principalmente aqui na Bahia, com o 2 de julho. Um ano após a independência em 1822, aqui nós tivemos a última batalha contra os portugueses pela firmação da nossa Pátria. É algo importante que nós estejamos aqui contíguos desse forte, que ao mesmo tempo também é um forte que faz, sem sombra de dúvida, um exemplo na construção da nossa nacionalidade.

Finalmente, para concluir, queria agradecer a todos os manifestantes que se colocam aqui, debaixo de chuva, defendendo a nossa democracia e defendendo a institucionalidade do nosso País.

Agradeço aos senhores a presença e cumprimento a Marinha por essa conquista para a nossa soberania nacional.

Muito obrigada.

 

Ouça a íntegra do discurso (10min40s) da presidenta Dilma.