Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia da União das Américas por ocasião da chegada da Chama Olímpica Rio 2016 em Brasília - Brasília/DF

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia da União das Américas por ocasião da chegada da Chama Olímpica Rio 2016 em Brasília - Brasília/DF

por Portal Planalto publicado 03/05/2016 20h22, última modificação 03/05/2016 20h22

Brasília-DF, 03 de maio de 2016

 

 

Senhor Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016 e presidente do Comitê Olímpico Brasileiro,

Senhor Julio Maglione, presidente da Organização Desportiva Panamericana (Odepa), por meio de quem eu cumprimento todos os presidentes dos comitês olímpicos das Américas.

Nuzman habla espanhol, yo portunhol, entonces vou falar em português para não prejudicar a língua espanhola.

Queria cumprimentar também o ministro interino do Esporte, Ricardo Leyser; o ministro do Gabinete Pessoal, Jaques Wagner.

E queria cumprimentar e agradecer a recepção dos comandantes militares, do general de Exército Eduardo Villas Bôas, que nos recebe aqui, no Forte Caxias; do almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, da Marinha; do tenente-brigadeiro-do-ar Nivaldo Rossato, da Aeronáutica.

Saúdo todos os oficiais e soldados aqui presentes,

Cumprimento também o senhor Marcelo Pedroso, da Autoridade Pública Olímpica,

Cumprimento as senhoras e os senhores presidentes das confederações e associações desportivas,

Cumprimento as senhoras e os senhores integrantes do Comitê Rio 2016,

E cumprimento os senhores jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas,

 

Hoje pela manhã nós recebemos a tocha olímpica e, a partir daí, o Brasil tornou-se o primeiro país na América Latina [do Sul] e no hemisfério americano a sediar e receber, e acolher, uma Olimpíada. Por isso, para mim, é com grande satisfação que dou as boas-vindas aos presidentes e integrantes dos Comitês Olímpicos das Américas. Para o Brasil, sem dúvida nenhuma, recebê-los é um inicio muito importante dessa festa, dessa festa de paz, solidariedade que se constitui a Olimpíada.

Eu quero dizer aos senhores que na tradição ocidental, da qual nós viemos, a Olimpíada sempre foi um mecanismo pelo qual, através do esporte, que dá valor à competição e não ao resultado, que dá valor à cooperação nos jogos que são coletivos, que dá valor ao esforço e à superação. As Olimpíadas  sempre foram um exemplo de possibilidade das sociedades e da diferença, conviver respeitando uns aos outros.

O 3 de maio, o dia de hoje, vai ficar registrado na história do Brasil, é uma página importante da história do Brasil na qual nós participamos dessa construção coletiva que são as Olimpíadas. Nós recebemos as Olimpíadas, nós temos um orgulho imenso dela se dar aqui nas Américas, temos um orgulho imenso dela se dar aqui no Brasil. E para o Brasil, nos próximos 94 dias, porque é o tempo que falta até o dia 5 de agosto, nós iremos transformar as Olimpíadas também num fenômeno coletivo, num fenômeno de participação de todos os recantos do nosso País, do Norte ao Sul, do Leste a Oeste, e a tocha vai percorrer integrando todos esses cantos do Brasil.

Na verdade seria importante também que os senhores considerassem que essa cerimônia de hoje é uma forma da tocha percorrer toda a nossa América. A simbologia dessa reunião e que queremos compartilhar com os senhores a Olimpíada no Brasil, compartilhar com os senhores porque nós estamos em um continente, e é nesse continente, com os nossos vizinhos que nós queremos dividir essa festa. Nós iremos, a partir do dia 5 de agosto, dividi-la com o mundo inteiro. Receberemos todos com grande afeto, com grande carinho e com a imensa capacidade do povo brasileiro de acolhimento.

Mas hoje, nesse início de processo olímpico, nós compartilhamos com todo o hemisfério americano o fato dessa Olimpíada vir para esse lado do mundo.

E queremos dizer que vivemos, entre nós, há mais de 100 anos, em paz, respeitando-nos uns aos outros.

O Brasil é um País diverso. Um país formado pelas mais diferentes etnias. Somos negros, somos índios, somos descendentes de europeus e de asiáticos. Somos um pouco de todos os continentes. Aliás, essa talvez seja uma característica marcante das Américas.

Por isso, quero dizer aos senhores: sejam muito bem-vindos. O Brasil receberá a todos de braços abertos. Mas tem um abraço especial para os países que constituem a nossa América.

            Muito obrigada.

 

 Ouça a íntegra (06min59s) do discurso da Presidenta Dilma Rousseff