Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia da ordem de início das obras de dragagem do Complexo Portuário do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro/RJ

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia da ordem de início das obras de dragagem do Complexo Portuário do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro/RJ

por Portal Planalto publicado 17/12/2015 22h17, última modificação 17/12/2015 22h17

Rio de Janeiro-RJ, 17 de janeiro de 2015

 

 

Eu queria cumprimentar o nosso querido governador Pezão,

Eu queria cumprimentar aqui os ministros que estão me acompanhando nessa viagem: o ministro Helder Barbalho, dos Portos; o ministro Celso Pansera, da Ciência, Tecnologia e Inovação; e o ministro Juca Ferreira, da Cultura.

Queria cumprimentar também meu querido companheiro Miguel Jorge, ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior,

Outro ex-ministro, o ministro Márcio Fortes, ex-ministro das Cidades,

Queria também cumprimentar os deputados federais Jandira Feghali, Leonardo Picciani, Luiz Sérgio,

Queria cumprimentar o major-brigadeiro José Euclides Gonçalves, comandante do III Comar,

Queria cumprimentar aqui as senhoras e os senhores os empresários,

Em nome da Celina, cumprimento a todos os operadores.

 

E quero dizer que fico muito feliz de estar novamente aqui no estado do Rio de Janeiro. E estar aqui tendo uma atividade relativa aos portos. Eu quero dizer que eu estive aqui, se eu não me engano no início do ano, em março, e naquele momento nós estivemos na ampliação e na modernização dos terminais, da Libra e do Multiterminais, com investimentos privados de cerca de R$ 1 bilhão e, ao final das obras, será R$ 1,7 quilômetro de cais contínuo, o maior da América Latina.

Então essa ação que nós estamos fazendo aqui hoje com a criação de condições para que o porto opere com maior calado, é algo que tem a ver com esse outro investimento, porque ele é complementar a esse outro investimento. A iniciativa privada está investindo [R$] 1 bilhão, é papel do Estado dar suporte a esse investimento. Então aumentar o calado é aumentar a rentabilidade desse investimento, é aumentar também as vantagens logísticas para o Brasil. Com isso, toda a cadeia produtiva desse País, que importa, exporta ou cria condições para que o País tenha um fluxo que ainda nós não temos na intensidade que queremos de cabotagem. Mas esse é um porto que representa o caminho do futuro para o nosso País.

Eu tenho muito orgulho de ter, no meu primeiro mandato, feito o Marco Regulatório dos Portos. Com o Marco Regulatório dos Portos, nós conseguimos assegurar um marco estável com regras claras para que as pessoas, os investidores privados, possam investir nos seus projetos; aqueles que querem terminais de uso privado, possam tê-los; aqueles que querem expandir os chamados portos públicos do País com uso privado, podem fazê-lo; aqueles que querem renovar seus processos de concessão, ampliando seus investimentos, possam fazê-lo. Dentro do quê? Dentro da segurança e da estabilidade que o marco legal respeitado nos dá.

Então eu quero dizer o seguinte: para mim, hoje é um dia bastante especial nessa área. Por quê? Primeiro por esse evento que está ligado, como eu disse, a esse investimento privado de [R$] 1 bilhão. E ao mesmo tempo pelo fato que nós hoje entramos com um pedido junto ao Tribunal de Contas da União, porque concluímos todos os estudos de viabilidade técnica e econômica dos quatro aeroportos que serão concedidos para a iniciativa privada operar. Então esses dois movimentos e essa entrada no TCU têm a ver com o fato que existe a possibilidade de nós, num curto espaço de tempo, aprovarmos este estudo de viabilidade para proceder aos leilões, tudo isso cria um clima importante na área de logística do nosso país. No ano de 2016, nós estaremos fazendo tanto concessões na área de rodovias, quanto na área de ferrovias, quanto na área de aeroportos e também de portos. E isto é algo que o País precisa porque para nós voltarmos a ter um crescimento compatível com as nossas necessidades, um dos setores importantíssimos é o setor logístico. E nesse setor logístico tem uma das áreas que é a área estratégica, a organizadora, que é a área de portos. Sem a área de portos, a estrutura logística do País fica sem sentido. Então, aqui, ao fazer isso neste porto, nesse grande porto aqui do Rio de Janeiro, nós damos mais um passo nessa direção. Inclusive, quando nós fizemos a concessão, a nova concessão da Ponte Rio-Niterói, nós olhamos justamente a questão da construção da avenida portuária. Ela permite duas coisas. Ela permite acesso mais fácil ao porto e ao mesmo tempo ela tira o tráfego pesado da região urbana e cria uma forma adequada de circulação e de trânsito.

Então eu quero agradecer a todos vocês. Nós teremos custos mais competitivos, nós teremos mais geração de emprego, tanto para os fluminenses, mas para todos os brasileiros, e teremos também uma situação em que o Rio de Janeiro, que sempre foi um centro importante da economia brasileira, tenha um porto compatível com a sua importância econômica, um porto compatível.

Aí eu agradeço a todos e mais uma vez, vocês vão me permitir, mas eu vou fazer uma homenagem a uma mulher, que é a Celina. Homenageando ela, eu estou homenageando todos os operadores. Eu homenageio a Celina porque sempre que a gente vê uma mulher ativa e dinâmica numa área, que os senhores me desculpem, que era eminentemente dominada pelos homens, a gente tem de fazer o destaque.

Parabéns a todos.

 

Ouça a íntegra(06min47s) do discurso da Presidenta Dilma Rousseff