Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Declaração à imprensa da Presidenta da República, Dilma Rousseff, após cerimônia de atos com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe- Brasília/DF

Declaração à imprensa da Presidenta da República, Dilma Rousseff, após cerimônia de atos com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe- Brasília/DF

por Portal Planalto publicado 01/08/2014 14h40, última modificação 01/08/2014 15h53

Palácio do Planalto-DF, 1º de agosto de 2014

 

 

Excelentíssimo senhor Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão.

Senhoras e senhores ministros de estado, integrantes das delegações do Japão e do Brasil.

Senhoras e senhores empresários e dirigentes de instituições de ensino e pesquisa do Japão e do Brasil.

Senhores jornalistas, senhores fotógrafos e senhores cinegrafistas.

 

Quem nos visita hoje é um ilustre amigo do Brasil. Sua presença entre nós, primeiro-ministro Abe, acompanhado de expressiva delegação governamental e empresarial, reflete a amizade e o entendimento que animam as relações entre nossos países. Expressa ainda a vontade recíproca de fortalecer a cooperação bilateral nos mais diversos campos.

Recordo a visita que fiz ao Japão em 2008 como representante do governo brasileiro às celebrações do Centenário de Imigração Japonesa no Brasil, quando tive a satisfação de ser recebida por suas majestades o imperador Akihito e a imperatriz Michiko.

Animados pela celebração, em 2015, dos 120 anos do aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas, o primeiro-ministro e eu acordamos elevá-las a um nível de parceria estratégica global. Essa iniciativa contribuirá para intensificar os contatos de alto nível políticos e econômicos entre o Brasil e o Japão.

Nós examinamos a trajetória do comércio bilateral que ultrapassou, em 2013, a casa dos US$ 15 bilhões e reafirmamos nossa firme determinação de apoiar sua ampliação e diversificação, sobretudo do lado das exportações brasileiras ainda muito concentradas em produtos básicos.

Agradeci a abertura do mercado japonês para as nossas exportações de carne suína de Santa Catarina, em 2013, e manifestei a expectativa de que o Japão suspenda o embargo à carne bovina termoprocessada do Brasil. Coincidimos sobre a importância da tradicional presença de empresas japonesas no Brasil na área de agricultura, de mineração, de siderurgia, papel e celulose, eletroeletrônicos, e mais recentemente, no setor automobilístico e na indústria naval.

O estoque de investimento japonês em nosso país é de US$ 32 bilhões. Durante o meu mandato, foram US$ 13,7 bilhões, dos quais 2 bilhões só nos primeiros seis meses de 2014. Com o Inovar-Auto, verificamos o crescente interesse da indústria automotiva japonesa em nosso país. No último ano foram anunciados investimentos da Toyota, da Nissan, Honda, Yoruzo e Bridgestone. Essa presença se expande agora para novas áreas.

A declaração conjunta do setor de construção naval aprovada hoje dará novo impulso à cooperação bilateral nesse setor e consolida a presença japonesa na exitosa experiência brasileira de reconstrução de nossa indústria naval.

Vemos com muita satisfação a associação de empresas brasileiras com empresas japonesas nos estaleiros Atlântico Sul, em Pernambuco; Enseada de Paraguaçu, na Bahia; e Ecovix-Engevix, no Rio Grande do Sul. Vamos complementar esse esforço com intercâmbio de instrutores e a qualificação profissional dos trabalhadores brasileiros. O acordo entre a Petrobras, a Agência Japonesa de Seguro de Crédito, Nexi, e o Banco Mizuho, vai permitir a construção de novas plataformas para a produção de petróleo em alto mar.

São promissores os entendimentos entre a Petrobras e a Companhia Nacional do Japão de Petróleo, Gás e Metais, Jogmeg, para a cooperação no estudo da exploração de hidratos de metano, uma fonte não convencional de gás natural.

Também é muito bem-vindo o interesse manifesto por empresas japonesas em participar de licitações ligadas a projetos de infraestrutura e logística, com a ampliação dos portos de Itaqui e São Francisco do Sul e nas ferrovias Norte-Sul e Carajás.

Ciência, tecnologia e inovação ganham mais espaço em nossa agenda bilateral. Além de dar continuidade à cooperação em biotecnologia, pesquisa agrícola, biomedicina e oceanografia, nossa parceira estende-se a novos domínios como o espacial, o nuclear e a prevenção de desastres naturais.

Decidimos pela ampliação da presença de estudantes brasileiros no Japão no âmbito do programa Ciência sem Fronteiras e da oferta de estágios para esses bolsistas. Na esteira de uma colaboração estreita que já dura mais de 50 anos, o BNDES e o Banco do Japão, JBic, confirmam um novo instrumento para a aproximação de pequenas e médias empresas brasileiras e japonesas. Esse acordo contribuirá para o aumento da produtividade em setores de alta tecnologia, tais como: automação industrial, integração de sistemas de produção e tecnologia da informação.

Senhoras e senhores, o primeiro-ministro e eu tratamos ainda de temas centrais da agência internacional. Renovamos nossa expectativa de que a próxima Cúpula do G20, na Austrália, fortaleça o papel desse grupo na coordenação das principais economias para promover a retomada do desenvolvimento econômico.

Reconhecemos o papel cada vez maior da segurança cibernética na agenda global. Reafirmamos nossa avaliação de que a comemoração dos 70 anos das Nações Unidas precisam ser um momento que se ajuste a ONU à nova realidade mundial do século XXI.

E dentro da perspectiva do G4, reiteramos a importância de uma ampla reforma da ONU que inclua aí a expansão e a ampliação de seu Conselho de Segurança no que se refere aos membros permanentes. Os déficits de governança nessa área alimentam antigos conflitos de grandes dimensões humanitárias sem perspectiva de solução.

Ao mesmo tempo, destacamos a importância da ONU na resolução de conflitos regionais, como é o caso daqueles existentes tanto no Oriente Médio, quanto no Leste da Ásia, e a solidariedade do Brasil a toda e qualquer iniciativa que promova a paz em todas as regiões do mundo.

Senhor primeiro-ministro, a dimensão humana é o grande traço diferenciador das relações nipo-brasileiras. Vive aqui no Brasil a maior comunidade de origem nipônica no exterior, fora do Japão. Cerca de 1,5 milhão de pessoas. E está no Japão a terceira maior comunidade brasileira fora do Brasil, cerca de quase 200 mil pessoas. As medidas para facilitar o visto entre nossos países vai fomentar crescente fluxo de visitantes de lado a lado.

Quero transmitir-lhe, senhor primeiro-ministro Abe, minha satisfação pessoal e a de todos os brasileiros pela presença de grande número de japoneses na Copa do Mundo no Brasil, e a expectativa de receber um número igualmente expansivo de japoneses durante as Olimpíadas de 2016. Nessa linha, faço votos de pleno êxito e de presença também de brasileiros durante a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Termino reiterando alegria, primeiro-ministro Abe, de podermos contar com sua presença aqui no Brasil. Muito obrigada.

 

Ouça a íntegra do discurso (10min13s) da Presidenta Dilma