Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante abertura da exposição “Mulheres do Brasil”, da artista plástica Eliana Kertész - Brasília/DF

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante abertura da exposição “Mulheres do Brasil”, da artista plástica Eliana Kertész - Brasília/DF

por Portal do Planalto publicado 08/10/2013 19h15, última modificação 04/07/2014 20h18

Palácio do Planalto, 08 de outubro de 2013

 

Eu queria cumprimentar a Eliana, e dizer que, para mim, é uma honra ter aqui uma artista plástica do nível da Eliana, e nessa exposição “Mulheres do Brasil”.

Queria cumprimentar... Está baixo? Queria cumprimentar o Marcelo Pedroso, ministro de Estado interino da Cultura. E cumprimento todas as ministras aqui presentes.

Queria cumprimentar o nosso governador, Jaques Wagner, e a minha querida amiga Fátima Mendonça.

Queria cumprimentar a primeira-dama do Distrito Federal, a Ilza Queiroz.

Queria cumprimentar os senhores jornalistas, as senhoras jornalistas, os fotógrafos e os cinegrafistas.

 

Para mim, é uma grande alegria recepcionar esta exposição aqui, no Palácio. Hoje nós estamos, aqui, inaugurando – e eu tenho muita honra de estar fazendo isso – a exposição “Mulheres do Brasil”, da Eliana Kertész, que acredito que é uma exposição muito bonita, sobretudo neste mês que nós chamamos o mês do “outubro rosa”, é importante que nós tenhamos essa afirmação das mulheres.

Ela, a Eliana, é uma artista brasileira reconhecida internacionalmente. Eu tenho a honra de possuir duas esculturas dela, e eu considero as esculturas dela maravilhosas. Eu acho que nas curvas, como vocês vão ver, das esculturas da Eliana, tem a alma da mulher brasileira. E o mais interessante é que o padrão de beleza que ela mostra é um padrão de beleza que nos envolve e nos cativa. E, por isso, eu disse que são “gordinhas sexys”. Elas apresentam... elas têm um... elas são lânguidas, são lânguidas, mas elas também têm uma imensa alegria, uma imensa felicidade, e representam muito bem também o nosso... nós sermos uma cultura tropical. Elas têm uma alegria que sai de dentro. É uma escultura que sai... que tem uma alegria que sai de dentro. Eu não sei como explicar, sugiro que vocês vão ver, e eu tenho muito prazer de estar fazendo isso aqui hoje, transformando essa obra de arte, que é o próprio Palácio da Alvorada [Palácio do Planalto] – porque é uma obra de arte do nosso querido Niemeyer –, numa galeria de arte.

Então convido a todos vocês, e queria especialmente me referir à reunião que eu tive há pouco – e elas estão todas aqui – com as mulheres empresárias do nosso país, onde eu disse que fiquei muito, muito... para mim foi muito importante ver mulheres em situação de destaque nas suas empresas como CEOs, como diretoras, como presidentas, como membros... como integrantes de conselhos de administração.

Nada mais oportuno quando a gente olha essa exposição “Mulheres do Brasil”. Nós somos multifacéticas, nós somos variadas, nós representamos, aqui, as mulheres, tanto as empresárias, as presidentas da República, as deputadas, as ministras, mas também a mulher da rua, a dona Flor e seus dois maridos, porque tem uma dona Flor ali dentro. Nós representamos as mulheres... aqui, no caso, da Eliana, eu vou fazer uma homenagem à mulher baiana, mas ela representa, sobretudo, nós, mulheres brasileiras.

Um abraço a todos, e eu convido vocês a virem e verem essa inauguração... aliás, essa exposição maravilhosa.

 

Ouça a íntegra (04min23s) do discurso da Presidenta Dilma