Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante a cerimônia de inauguração da Central de Atendimento de Madureira da Atento/Telefônica

Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante a cerimônia de inauguração da Central de Atendimento de Madureira da Atento/Telefônica

por Portal do Planalto publicado 21/03/2012 19h41, última modificação 04/07/2014 20h10

Rio de Janeiro-RJ, 21 de março de 2012

 

Queria cumprimentar, aqui, o Valente, presidente do Grupo Telefônica no Brasil,

O Nelson Armbrust, diretor-geral da Atento,

Queria cumprimentar meu querido, meus dois parceiros no Rio de Janeiro, grandes parceiros, grandes companheiros: o excelente governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o nosso querido prefeito Eduardo Paes,

Cumprimentar, aqui os ministros que me acompanham: o Ministro das Cidades e a Ministra das Comunicações.

Vou dirigir um cumprimento especial, aqui, a todos os funcionários da Atento, principalmente as funcionárias, que são 75% da Atento. E, ao dirigir esse cumprimento às funcionárias, eu queria homenagear a Jaqueline. Queria homenagear a Jaqueline, porque ela é uma representante da mulher brasileira.  Aquela mulher que não para, que não desiste, que vai à briga, que consegue, que conquista. Então, queria homenagear a Jaqueline por isso.

Também queria homenagear os nossos queridos companheiros funcionários aqui da Atento, que eu tenho certeza que são parceiros das funcionárias.

A todos os jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas também eu dirijo meu cumprimento.

O Brasil é um país muito interessante, nós todos viemos e fomos adotados pelo Brasil. Cada um de nós é de uma origem: tem os portugueses, tem os africanos, tem... nós temos pessoas das mais diferentes origens, inclusive aqueles brasileiros que já estavam aqui, os indígenas.

Assim como este país, ele é multidiverso, recebeu gente de todos os lugares, e essas pessoas se transformaram em brasileiros, aquelas empresas que têm origem em outros países, elas também recebem, quando elas trabalham pelo bem do país, recebem a nacionalidade brasileira. E eu queria dizer que neste país tem espaço para empresas brasileiras, tem espaço para empresas brasileiras que naturalizaram-se brasileiras, que vieram de outros países e se naturalizaram brasileiras.

Eu estou aqui numa cerimônia de uma delas, que é a Telefônica, e queria mostrar que nós cumprimentamos e recebemos, com todas as características de um país que acolhe e que quer que aqui se trabalhe, se gere emprego, se gere tecnologia e, sobretudo, que se dê oportunidade aos trabalhadores e às trabalhadoras deste país.

Por isso, neste ato, ao colocar, com muita ênfase, a questão do primeiro emprego, e o primeiro emprego é, necessariamente, uma oportunidade, eu queria destacar a semana do universitário, que incentiva as pessoas a se capacitar, a escolher uma trajetória e se dedicar, com afinco e com esforço, à formação, tanto à formação técnica como à profissional.

Então, cumprimento a Atento por isso. Cumprimento pelo primeiro emprego e pelas oportunidades, que eu sei o que isso significa na vida de cada um e de cada uma quando a gente tem 17, 18, 16, 20, 21, 22 anos. Eu lembro como a minha mão suava quando eu tive o meu primeiro emprego, como eu estava nervosa e como era um emprego que, para mim, representava muita coisa. Era muito simples o emprego. Não era um emprego muito sofisticado, não. Era bem simplezinho, e eu dava uma imensa importância a ele. E foi muito importante na minha vida. Eu tenho certeza que isso acontece com cada um e com cada uma.

Queria destacar também uma outra questão – e aqui a Jaqueline falou nisso –, que é a questão de dar uma oportunidade também para trabalhadores da terceira idade. Acho que uma empresa que consegue aliar e juntar essas duas, essa dupla importância, uma na juventude, no início da vida, e a outra na terceira idade, quando a pessoa já quer mais tranquilidade, é uma empresa que contribui para a comunidade em que está, e nós estamos aqui em Madureira. Sem sombra de dúvida, Madureira faz parte da alma do Brasil.

Tem locais, no Brasil, que se a gente for olhar a alma do Brasil, fazer uma radiografia dela, nós vamos ver várias cidades, vários bairros, várias comunidades, várias atividades, por exemplo, como a escola de samba Portela e a Império Serrano, que integram a alma do país. Este país é complexo, este país tem o pré-sal, este país tem indústria, este país tem agricultura, tem uma riqueza mineral, tem a Telefônica, tem a Atento, tem empresas privadas e públicas. Este país é um país diverso. Agora, na alma deste país, está cada um dos brasileiros e das brasileiras e as suas comunidades e realizações.

Eu queria, então, saudar também aqui Madureira, falar: olha, é importantíssimo que nós tenhamos esta empresa aqui em Madureira.

Então, o meu abraço a cada um e a cada uma, e o meu abraço também à Telefônica e à empresa Atento.

Ouça a íntegra do discurso (06min43s) da Presidenta Dilma

Assunto(s): Governo federal