Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Declaração à imprensa da Presidenta da República, Dilma Rousseff, em conjunto com o Presidente da República do Uruguai, José Mujica

Declaração à imprensa da Presidenta da República, Dilma Rousseff, em conjunto com o Presidente da República do Uruguai, José Mujica

por Portal do Planalto publicado 30/05/2011 12h04, última modificação 25/06/2014 08h53
A declaração foi concedida no Palácio Santos em Montevidéu, no Uruguai

 

Montevidéu-Uruguai, 30 de maio de 2011

 

Queria cumprimentar o nosso querido presidente do Uruguai, o senhor José Mujica,

Queria cumprimentar também a senadora Lucía Topolansky, em nome de quem eu cumprimento todos os senadores, aliás, todas as senadoras,

Queria cumprimentar o senador Luis Alberto Lacalle, ex-presidente do Uruguai, em nome de quem eu cumprimento todos os senadores aqui presentes,

Queria cumprimentar o embaixador Luis Almagro, ministro das Relações Exteriores da República Oriental do Uruguai,

Cumprimento a cada um das senhoras e senhores integrantes da delegação uruguaia,

O nosso querido embaixador Patriota, ministro de Estado das Relações Exteriores,

Cumprimento os oito ministros que me acompanham nesta viagem: ministro de Estado Antonio Patriota, mais uma vez, das Relações Exteriores; José Eduardo Cardozo, da Justiça; Alfredo Nascimento, dos Transportes; Ana de Hollanda, da Cultura; Paulo Bernardo, das Comunicações; Aloizio Mercadante, da Ciência e Tecnologia; Fernando Bezerra, da Integração Nacional; Mário Negromonte, das Cidades; e Márcio Zimmermann, Secretário-Executivo de Minas e Energia.

Queria cumprimentar, também, as senhoras e os senhores jornalistas aqui presentes,

E senhoras e senhores,

 

Eu quero agradecer ao presidente Mujica sua calorosa hospitalidade e expressar minha grande satisfação em realizar esta visita de trabalho ao Uruguai, querido país vizinho com quem o Brasil mantém laços fraternos e uma sólida aliança.

A atual convergência política entre os dois governos, assim como o grande dinamismo das suas economias, e também o fato de que somos todos democracias estáveis que respeitam contratos, os direitos humanos e que criam um ambiente bastante fraterno entre os dois povos, cria um contexto ideal para que aprofundemos nossa relação, e também uma agenda de projetos comuns e compartilhados.

O presidente Mujica e eu passamos em revista a uma grande gama de assuntos, e todos eles estratégicos para a integração regional e, também, para cada um dos países. Nós trocamos informações de opiniões a respeito de um quadro internacional que é extremamente complexo.

Nós estamos comemorando os vinte anos de existência do Mercosul, e consideramos que nós somos uma das regiões que mais cresceu no mundo e, portanto, também, o papel do Mercosul, nesse quadro, ganha todo um destaque. Também nós conseguimos uma grande integração no marco da Unasul, uma integração regional, pró-paz, e que garanta estabilidade e segurança na América do Sul. Coincidimos na nossa visão de um mundo multipolar e inclusivo, no qual as responsabilidades dos Estados, grandes ou pequenos, sejam determinadas pela contribuição de cada um à paz, ao diálogo, à cooperação, e não pelo seu potencial de afirmação pela força ou pela ameaça do uso da força.

Concordamos que devemos fortalecer a integração econômica bilateral, explorando o potencial de complementação industrial e comercial entre os setores produtivos do Brasil e do Uruguai.

Rodadas de negócios e encontros empresariais continuarão a ser realizadas com o objetivo de identificar novas possibilidades de associação empresarial entre nossos países. Acordamos, também, em manter um monitoramento do comércio Brasil-Uruguai com uma periodicidade muito mais frequente. E, também em estabelecer relações e reuniões sistemáticas entre nós, os Presidentes.

Seguiremos adiante, também, com os grandes projetos de integração física, basicamente integração logística e energética fundamentais para o desenvolvimento da região. Nós queremos criar uma sinergia nessa parte do Continente, entre o Brasil e o Uruguai.

Com esse espírito, decidimos acelerar o cronograma de construção da segunda ponte sobre o Rio Jaguarão. Ainda em 2011, deveremos reativar também a conexão ferroviária que liga o Brasil ao Uruguai, de Cacequi a Livramento e de Rivera a Montevidéu. Ambos esses trechos da ferrovia, eles estarão prontos até o final do ano de 2011.

Vamos dar também atenção prioritária aos trabalhos de dragagem, sinalização e balizamento, indispensáveis para a implantação efetiva da Hidrovia Brasil-Uruguai. E isso significa que, somando nossos esforços e apoiando-nos nos melhores atributos geográficos da nossa região, vamos viabilizar uma integração de mais de 1.200 Km entre a Lagoa Mirim e a Lagoa dos Patos. E, ao fazer isso, vamos criar um canal e um escoamento que, mais do que nunca vai aproximar nossas regiões.

 Queria cumprimentar o nosso querido presidente do Uruguai, o senhor José Mujica,

Queria cumprimentar também a senadora Lucía Topolansky, em nome de quem eu cumprimento todos os senadores, aliás, todas as senadoras,

Queria cumprimentar o senador Luis Alberto Lacalle, ex-presidente do Uruguai, em nome de quem eu cumprimento todos os senadores aqui presentes,

 Queria cumprimentar o embaixador Luis Almagro, ministro das Relações Exteriores da República Oriental do Uruguai,

Cumprimento a cada um das senhoras e senhores integrantes da delegação uruguaia,

O nosso querido embaixador Patriota, ministro de Estado das Relações Exteriores,

Cumprimento os oito ministros que me acompanham nesta viagem: ministro de Estado Antonio Patriota, mais uma vez, das Relações Exteriores; José Eduardo Cardozo, da Justiça; Alfredo Nascimento, dos Transportes; Ana de Hollanda, da Cultura; Paulo Bernardo, das Comunicações; Aloizio Mercadante, da Ciência e Tecnologia; Fernando Bezerra, da Integração Nacional; Mário Negromonte, das Cidades; e Márcio Zimmermann, Secretário-Executivo de Minas e Energia.

Queria cumprimentar, também, as senhoras e os senhores jornalistas aqui presentes,

E senhoras e senhores,

 

Eu quero agradecer ao presidente Mujica sua calorosa hospitalidade e expressar minha grande satisfação em realizar esta visita de trabalho ao Uruguai, querido país vizinho com quem o Brasil mantém laços fraternos e uma sólida aliança.

A atual convergência política entre os dois governos, assim como o grande dinamismo das suas economias, e também o fato de que somos todos democracias estáveis que respeitam contratos, os direitos humanos e que criam um ambiente bastante fraterno entre os dois povos, cria um contexto ideal para que aprofundemos nossa relação, e também uma agenda de projetos comuns e compartilhados.

O presidente Mujica e eu passamos em revista a uma grande gama de assuntos, e todos eles estratégicos para a integração regional e, também, para cada um dos países. Nós trocamos informações de opiniões a respeito de um quadro internacional que é extremamente complexo.

Nós estamos comemorando os vinte anos de existência do Mercosul, e consideramos que nós somos uma das regiões que mais cresceu no mundo e, portanto, também, o papel do Mercosul, nesse quadro, ganha todo um destaque. Também nós conseguimos uma grande integração no marco da Unasul, uma integração regional, pró-paz, e que garanta estabilidade e segurança na América do Sul. Coincidimos na nossa visão de um mundo multipolar e inclusivo, no qual as responsabilidades dos Estados, grandes ou pequenos, sejam determinadas pela contribuição de cada um à paz, ao diálogo, à cooperação, e não pelo seu potencial de afirmação pela força ou pela ameaça do uso da força.

Concordamos que devemos fortalecer a integração econômica bilateral, explorando o potencial de complementação industrial e comercial entre os setores produtivos do Brasil e do Uruguai.

Rodadas de negócios e encontros empresariais continuarão a ser realizadas com o objetivo de identificar novas possibilidades de associação empresarial entre nossos países. Acordamos, também, em manter um monitoramento do comércio Brasil-Uruguai com uma periodicidade muito mais frequente. E, também em estabelecer relações e reuniões sistemáticas entre nós, os Presidentes.

Seguiremos adiante, também, com os grandes projetos de integração física, basicamente integração logística e energética fundamentais para o desenvolvimento da região. Nós queremos criar uma sinergia nessa parte do Continente, entre o Brasil e o Uruguai.

Com esse espírito, decidimos acelerar o cronograma de construção da segunda ponte sobre o Rio Jaguarão. Ainda em 2011, deveremos reativar também a conexão ferroviária que liga o Brasil ao Uruguai, de Cacequi a Livramento e de Rivera a Montevidéu. Ambos esses trechos da ferrovia, eles estarão prontos até o final do ano de 2011.

Vamos dar também atenção prioritária aos trabalhos de dragagem, sinalização e balizamento, indispensáveis para a implantação efetiva da Hidrovia Brasil-Uruguai. E isso significa que, somando nossos esforços e apoiando-nos nos melhores atributos geográficos da nossa região, vamos viabilizar uma integração de mais de 1.200 Km entre a Lagoa Mirim e a Lagoa dos Patos. E, ao fazer isso, vamos criar um canal e um escoamento que, mais do que nunca vai aproximar nossas regiões.

Vamos criar também um marco jurídico adequado para o aumento do intercâmbio bilateral de energia elétrica. Esse marco, ele tem uma característica de tentar uma relação estruturante e de longo prazo entre o Brasil e o Uruguai, no quadro da energia elétrica. E, ao mesmo tempo, vamos resolver os nossos problemas de curto prazo, assegurando ao Uruguai a segurança que o Brasil pode fornecer, na área energética. Vamos contar, em 2013, com uma linha de transmissão de 500 Kilowatts que será construída entre San Carlos e Candiota, cuja conclusão está prevista, como eu já disse, para 2013.

O presidente Mujica e eu decidimos também expandir o horizonte temático da nossa agenda bilateral. Criamos um mecanismo novo para coordenar os esforços de cooperação no campo da ciência, tecnologia e inovação. Hoje pela manhã, antes de chegar aqui, no Palácio, eu visitei o Latu e fiquei impressionada com os avanços que se conseguiu no campo da tecnologia da informação e da comunicação. Vamos apoiar projetos de pesquisa e desenvolvimento conjuntos nos campos da biotecnologia, da nanotecnologia, de TI e, também, vamos destacar a importância das relações educacionais e culturais entre os nossos países, uma vez que o presidente Mujica, num comentário para mim, mostrou e enfatizou um aspecto fundamental das relações entre os países, é a capacidade dos países estabelecerem relações que criem vínculos entre as pessoas e, portanto, tratem de questões relativas à educação e à cultura. Um país como o Brasil e um país como o Uruguai não podem deixar de ter fortes vínculos, uma vez que temos uma extensa área fronteiriça, em que os nossos povos já conseguem estabelecer essas relações de forma muito fraterna. Cabe a nós, governos, transformar isso numa outra realidade, inclusive pensando num processo educacional de alto nível, que ligue os dois países.

Sobre a TV digital, temos o campo aberto para uma parceria tecnológica de amplo alcance rumo à sociedade da informação, graças à adoção do padrão ISDB-T pelo Uruguai, o padrão que hoje nós podemos dizer que também é um padrão latino-americano.

Nossas sociedades, elas vão estar unidas pela mesma nova tecnologia na área... mesma tecnologia de transmissão, com repercussões em todas as indústrias criativas e nos setores, mais uma vez, educacional, cultural e de entretenimento.

Criaremos, também, um núcleo de desenvolvimento de aplicações interativas e laboratório digital multiplataforma em Montevidéu. Essa cooperação é um primeiro passo. Outros se seguirão, com a participação do setor acadêmico e investimentos do setor privado.

Adotamos hoje um plano de ação conjunto para a massificação do acesso à Internet em banda larga.

Quanto à cooperação em temas sociais, a assinatura do Memorando de Entendimento na área de habitação e planejamento urbano permitirá que nossos países troquem experiências sobre construção, em especial, o Programa Minha Casa, Minha Vida. E aí eu queria também cumprimentar um representante do empresariado brasileiro, que é o presidente da Câmara Brasileira de Comércio... [Câmara] Brasileira da [Indústria da] Construção, da CBIC, nosso empresário Paulo Safady, que os jornalistas brasileiros conhecem, e que deu uma grande contribuição no primeiro um milhão... no primeiro 1 milhão de casas que construímos. E seguramente vai dar a sua contribuição na sequência do Programa Minha Casa, Minha Vida 2, que nós vamos lançar ainda neste mês de junho e financiamento de moradias.

Queria também dizer que a assinatura de cooperação na área da Justiça para nós é muito importante, porque os nossos países sofrem os mesmos problemas na área urbana. E a troca de informações e a capacitação de recursos humanos, e também a troca de experiências nessa área, vai ser muito rica para todos os dois países.

As decisões tomadas nesta visita, elas consolidam o que nós acreditamos ser uma relação estratégica entre o Brasil e o Uruguai. Uma relação estratégica que deve olhar para o futuro. E posto que, nos nossos países, o futuro já começou, nós viemos de um processo, eu acho, toda a América Latina, o Brasil em particular, de um processo em que o futuro sempre começava amanhã. E eu acredito que hoje nós temos, nós podemos ter o orgulho de dizer que somos uma das regiões que mais cresce no mundo.

E por isso é que eu acho muito saudável que as nossas tradicionais áreas de cooperação, hoje, estejam sendo modificadas por uma cooperação na área da ciência, da tecnologia, da inovação, porque esse é o futuro que está começando, efetivamente, nos nossos países, e nós vamos aprofundá-lo, e é essa a visão de cooperação que o Brasil tem, além do fato da nossa proximidade geográfica permitir que as nossas cadeias produtivas, industriais e comerciais contem com as fronteiras, e sejam mais uma forma de ligar o Brasil e o Uruguai.

Eu queria agradecer imensamente ao presidente Mujica pela sua capacidade, a sua percepção de uma estratégia comum entre o Brasil e o Uruguai. Queria agradecê-lo, também, pela forma fraterna com que recebeu toda a minha delegação. E queria também agradecer a todos os integrantes do governo uruguaio e, também, ao fato de que a oposição foi também um fator muito importante nesta visita, caracterizando a oposição, aqui, uruguaia, esteve me cumprimentando e isso caracteriza também um padrão extremamente elevado, civilidade nas relações entre as nações.

Queria agradecer, portanto, o passo grande que esta minha visita aqui, hoje, pode contribuir para os nossos países, graças a essa extrema sensibilidade e essa capacidade política indiscutível do nosso presidente Mujica.

Muito obrigada.

 

Ouça a íntegra da declaração à imprensa (14min21s) da Presidenta Dilma.