Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Declaração à imprensa da Presidenta da República, Dilma Rousseff, após reunião de trabalho com o Primeiro-Ministro da República Italiana, Matteo Renzi - Roma/Itália

Declaração à imprensa da Presidenta da República, Dilma Rousseff, após reunião de trabalho com o Primeiro-Ministro da República Italiana, Matteo Renzi - Roma/Itália

por Portal Planalto publicado 10/07/2015 15h11, última modificação 10/07/2015 15h12

Roma-Itália, 10 de julho de 2015

 

 

Eu queria agradecer a recepção fraterna do primeiro-ministro Renzi, dizer que estou muito feliz de estar aqui na Itália e cumprimentar, também, os ministros  e as delegações dos dois países. Cumprimentar os senhores jornalistas, os senhores fotógrafos e os senhores cinegrafistas.

Eu, de fato, tenho um imenso prazer de vir aqui na Itália. Um país com o qual o Brasil tem uma relação toda especial. Nós sabemos que, além da proximidade cultural; além do encantamento que nós temos pela cultura italiana, por tudo que a Itália representou ao longo da história da humanidade, a Itália, para nó,s é uma parte indissociável da nossa nacionalidade. A Itália faz parte do Brasil contribuindo para a sua cultura, para a política, para a sua ciência, para com seus empresários, enfim, com as pessoas e nós temos até uma palavra para designar os 30 milhões de descendentes de italianos que estão no Brasil, chama-se Oriundi. O que, para nós, significa “que vem da Itália”. Por isso, fico muito feliz de estar aqui, estou  aqui e me considero iluminada pelo sol desse país e também por toda a cultura, a ciência e as pessoas.

A nossa coincidência de visões, contribuiu, lá em 2007, para elevar a relação entre o Brasil e a Itália à categoria de parceria estratégica. Essa parceria estratégica, ela tem como base  algumas questões que eu o presidente, ah desculpa, eu e o primeiro-ministro, e o presidente também, porque eu estive com o presidente na hora do almoço, eu tive  a honra de ser recebida pelo presidente para almoçar e quero dizer que nós compartilhamos uma série de valores: compartilhamos a preocupação com a mudança do clima, o respeito aos direitos humanos, do qual a questão da pena de morte tem um papel central; compartilhamos uma visão sobre a necessidade de inclusão social e justiça no mundo; compartilhamos uma preocupação para garantir a prosperidade e o crescimento dos países.

E essa proximidade justifica que nós tenhamos assinado um plano de ação com 16 áreas-chave de cooperação. Eu  vou dizer pra vocês que são: investimento, comércio, indústria, defesa, energia, cultura e educação. A Itália, para nós, é  um parceiro essencial, 1.200 empresas italianas estão no Brasil, participando das mais variadas áreas, com destaque para essa grande inauguração que foi feita pela Fiat em Goiana, lá em Pernambuco, na produção do Jeep, que é um carro efetivamente de ponta, incorporando tecnologia da mais alta qualidade.

E acredito que esse exemplo, ele se reflete em outras áreas: você tem uma série de empresas que atuam no Brasil. Nós temos uma forte parceria na área da defesa, por exemplo, com o desenvolvimento de um produto feito por uma empresa, a Iveco, empresa italiana, que desenvolve um produto para o exército brasileiro guarani. Além disso, nós cooperamos nas mais variadas áreas: na área de energia; na área, também, de telefonia. Em todas as áreas estratégicas do Brasil é certo que há uma empresa italiana: petróleo e gás, energia elétrica, principalmente renováveis.

No aspecto de comércio, também, o Brasil e a Itália têm todo um caminho a percorrer e o que nós acertamos hoje foi que nossas relações se darão no mais alto nível entre os ministros e com isso nós queremos empoderar essa relação e garantir que ocorram alterações reais, modificações reais que levem esta relação a um patamar mais elevado.

Eu também discuti, tanto com o presidente quanto com o primeiro-ministro, as oportunidades de investimento que se abrem no Brasil, na área de ferrovias, por exemplo, várias empresas italianas podem participar dos leilões, assim como na área de rodovias, portos e aeroportos.

Eu, na verdade, convidei todos os empresários italianos a intensificarem ainda mais a sua presença no Brasil por meio da participação nessa nova fase do Programa. E a Itália é conhecida pela sua alta capacidade nessa área de infraestrutura e também em uma outra área que para nós é muito importante, que é a área das pequenas e médias empresas.

Sem sombra de dúvida, no mundo se tem um país que foi capaz de construir um tecido social complexo com as suas pequenas e médias empresas, esse país foi a Itália e o Brasil tem muito a aprender. Nós temos, primeiro-ministro, desenvolvido as nossas pequenas e micro empresas e, portanto, essa parceria com os senhores vai ser excepcional para o Brasil.

Além disso, eu quero falar agora da importância, para todos nós, da Expo Milão 2015. Eu vou visitá-la amanhã e eu acho o tema da exposição “Alimentar o planeta, energia para a vida”, é de todo interesse do Brasil. E mais, acho que talvez esse seja um evento que tenha a maior expressão nessa área de todos ocorridos até hoje, por isso felicito imensamente  ao governo do primeiro-ministro Renzi, por ter organizado com tanta competência e qualidade. Estou com uma imensa expectativa de ver o pavilhão brasileiro, o “Alimentando o mundo com soluções”, onde nós mostramos, não só desde a tecnologia de alimentos, até os nossos programas de Fome Zero, mas eu estou com grande, grande expectativa, até porque o primeiro-ministro Renzi me contou a história da sua filha pequena, que só vai na Expo se puder brincar na rede, lá no pavilhão brasileiro, então eu acredito que eu vou ter, de fato, uma grande experiência nessa área.

Por fim, eu queria dizer que externei ao primeiro-ministro Renzi a importância do que ocorreu na reunião dos Brics, com a constituição concreta do Novo Banco dos Brics, que nós já criamos o Conselho de Governadores, de diretores e a alta direção do banco. Assim como o Acordo Contingente de Reservas que foi também assinado entre os bancos centrais dos cincos países Brics. E disse para o primeiro-ministro da importância para nós todos tem esse  processo de incremento nos recursos para investimentos em infraestrutura e atividades produtivas.

Finalmente eu quero dizer que convidei - e tenho certeza que ele vai aceitar-, o primeiro-ministro Renzi a visitar o Brasil e assegurei a ele que nós receberemos de braços abertos e, além disso, acredito que será importantíssimo, porque será um evento empresarial, um evento educacional, devido à importância que a Itália tem tido no Programa Ciência Sem Fronteiras, e também na troca de pesquisadores com o Brasil, mas também por um fato que nós temos de prezar muito, que é a cooperação na área cultural. Então, acredito que vai ser um evento muito importante para o Brasil essa visita.

Queria então agradecer e esperar a visita do senhor primeiro-ministro ao Brasil e nós teremos aí uma agenda, que eu acredito de grande parceria, estreitamento de relações e grande amizade.

Grazie.

 

 Ouça a íntegra (10min19s) da declaração da Presidenta Dilma