Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Discursos > Discursos da Presidenta > Brinde da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante almoço oferecido pelo Presidente da República Federal da Nigéria, Goodluck Ebele Jonathan

Brinde da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante almoço oferecido pelo Presidente da República Federal da Nigéria, Goodluck Ebele Jonathan

por Portal do Planalto publicado 23/02/2013 17h49, última modificação 04/07/2014 20h16

 

Abuja-Nigéria, 23 de fevereiro de 2013

 

É com grande alegria que realizo a minha primeira visita oficial à Nigéria, nação com a qual o Brasil mantém sólidas relações de amizade e cooperação.

Agradeço o comparecimento do presidente Goodluck à Rio+20, e venho dar continuidade ao diálogo que iniciamos lá no Rio de Janeiro.

O acordo que nós assinamos hoje, estabelecendo mecanismo de diálogo estratégico, que será presidido pelos nossos vice-presidentes, o que evidencia a importância que nós damos ao nosso relacionamento, vai permitir a ampliação da nossa cooperação, vai permitir o estreitamento dos nossos laços culturais, vai permitir que Brasil e Nigéria reforcem mutuamente a importância nacional, regional, e, sobretudo, a presença nos organismos multilaterais.

Nós vamos trabalhar séria e determinadamente para tornar cada vez mais equilibradas e mais produtivas as nossas relações de comércio. Vamos, somar esforços em projetos de infraestrutura, buscando maior participação de empresas brasileiras na Nigéria e construindo formas de financiamento mais adequadas. Daremos atenção a iniciativas de geração elétrica, construção viária, desenvolvimento agrícola, ciência e tecnologia, formação de recursos humanos, produção de medicamentos genéricos e vacinas.

Mas eu quero falar agora, sobretudo, da amizade, da gratidão e da fraternidade que une o Brasil e a Nigéria. Pela imensa contribuição da Nigéria e da África na formação da sociedade brasileira. Nossa história, nossos povos, nossa cultura se entrelaçam e carregam marcas de um passado colonial doloroso, que temos obrigação de superar, estreitando ossos vínculos, ampliando a nossa amizade, construindo uma cooperação fraterna, e permitindo que as nossas sociedades busquem um desenvolvimento econômico socialmente inclusivo.

Brasil e Nigéria querem construir sociedades mais justas, mais desenvolvidas, democráticas e isentas de conflitos. A Nigéria e o Brasil constituem eixo importante da Cooperação Sul-Sul. A Cooperação Sul-Sul não é uma fórmula vazia, ela expressa a nossa crítica às formas chamadas cooperativas, que países coloniais do passado e alguns países desenvolvidos deste século, tentaram estabelecer com as nações em desenvolvimento. E essa crítica está baseada no reconhecimento que a cooperação verdadeira está baseada numa visão que respeita interesses mútuos, características de cada país, e tem por objetivo construir uma forma de relacionamento que leve ao desenvolvimento de ambos os países. Acredito que temos nossa contribuição importante a dar à Cúpula América do Sul e África, construída em Malabo.

Queridos amigos e amigas presentes, brasileiros e nigerianos,

O Festival da Cultura Negra de Lagos, em outubro deste ano, que será dedicado ao Brasil, celebrará nossas múltiplas afinidades. Iremos participar ativamente dele e transformá-lo numa celebração das nossas culturas. Convergimos na aspiração de tornar a ordem internacional mais democrática e justa. As instituições de governança global não podem ignorar a crescente importância da África e da América do Sul. E isso deve estar expresso numa das principais instituições, que é o Conselho de Segurança da ONU.

Temos buscado também, senhoras e senhores, atuar em sintonia com as organizações africanas. Apreciamos o papel da Nigéria, da União Africana na manutenção da paz e da estabilidade regional. Nossos países devem trabalhar conjuntamente em benefício da construção da paz e da estabilidade da Guiné Bissau.

Caro presidente e amigo Jonathan, quero aproveitar esta oportunidade para congratulá-lo e ao povo nigeriano pela recente conquista da Seleção Nigeriana de Futebol este ano da Copa Africana de Nações. Asseguro que sua seleção será muito bem recebida no Brasil, em junho, para a Copa das Confederações. Tenho certeza que o presidente Goodluck Jonathan e eu assistiremos juntos a final Brasil e Nigéria no Maracanã.

Senhor presidente,

Vamos nos unir mais uma vez em momento de grande alegria popular, que é uma característica de brasileiros e nigerianos. Como diria o grande escritor Chinua Achebe, vamos iluminar a nossa Cooperação Sul-Sul baseados na convicção que expressa num trecho que ele escreveu: “deixe que venham ver homens, mulheres e crianças que sabem como viver, cuja alegria de viver ainda não foi aplastada por aqueles que se crêem capazes de ensinar as outras nações como viver”.

Agradecemos, senhor presidente, a generosa hospitalidade que o povo nigeriano concedeu a mim e à minha delegação, proponho um brinde à saúde de vossa excelência, ao povo nigeriano e à amizade do Brasil e a Nigéria.

Muito obrigada.

 

Ouça a íntegra do discurso (12min53s) da Presidenta Dilma