Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Conversa com a Presidenta > Conversa com a Presidenta > Presidenta Dilma fala sobre transporte coletivo

Presidenta Dilma fala sobre transporte coletivo

por Portal Planalto publicado 11/02/2014 09h00, última modificação 04/07/2014 20h28

 

Coluna semanal da Presidenta Dilma Rousseff

 

Presidenta, o transporte coletivo é um grande desafio para as cidades brasileiras. O governo federal está liberando recursos para oferecer um transporte de qualidade para a população? (*)


Presidenta Dilma – Meu governo está comprometido com a melhoria da qualidade do transporte coletivo em todo o território nacional. Em parceria com estados e municípios, estamos investindo R$ 143 bilhões e fazendo obras que vão melhorar o transporte coletivo nas nossas grandes e médias cidades, e dar mais qualidade à vida das pessoas. Com esse dinheiro, estamos fazendo metrôs, trens urbanos, monotrilhos, aeromóveis, VLTs - os Veículos Leves Sobre Trilhos - além dos corredores de ônibus ou BRTs. São, no total, mais de 3.500 quilômetros de vias em obras para melhorar o transporte coletivo. Para essas realizações, começamos com R$ 93 bilhões e aumentamos os recursos em mais de R$ 50 bilhões a partir do Pacto da Mobilidade Urbana, que eu anunciei em junho do ano passado. O nosso objetivo é ampliar e acelerar as obras, que vão tornar o transporte coletivo mais confortável, rápido, seguro e com um preço mais acessível.

Por isso, estamos dando prioridade aos investimentos no transporte sobre trilhos. Porque estas são modalidades de transporte de alta capacidade, que podem atender uma maior quantidade de pessoas e garantir ao mesmo tempo, um  deslocamento muito mais rápido e seguro. Quanto maior a cidade ou a região metropolitana, maior a importância do transporte sobre trilho. Outra coisa importante é a integração dos vários tipos de transporte de uma cidade, e aí, o transporte sobre trilhos tem o papel principal, de coluna vertebral, integrando os outros modais, como, por exemplo, os ônibus, barcas, o aeromóvel. Quando tudo funciona de forma integrada, temos, consequentemente, um transporte urbano muito mais rápido e mais barato.

Na verdade, o governo federal ficou muitos anos sem investir em transporte público, uma vez que a Constituição Federal coloca esta área sob responsabilidade de Estados e municípios. Mesmo respeitando esta atribuição, meu governo decidiu adotar uma nova postura em relação ao transporte urbano, e passamos a apoiar os estados e os municípios, porque, sozinhos, eles não conseguem fazer essas obras. Com isso, no meu governo já foram construídos ou estão em implantação, metrôs em nove cidades brasileiras, as maiores: São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Fortaleza, Brasília, Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte.  Em dez cidades no país, como Rio de Janeiro, Fortaleza, Recife, Cuiabá, Santos, Natal, Maceió, Goiânia e João Pessoa serão construídos Veículos Leves sobre Trilhos. Só para os metrôs, o Governo Federal está investindo R$ 33 bilhões. Outros R$ 15,5 bilhões, Luciano, são a contrapartida dos estados e municípios. Além desses recursos, empresas privadas também participam desses investimentos. Colocamos recursos do orçamento federal e também financiamos, por intermédio dos nossos bancos, os estados e os municípios.

O financiamento aos estados e municípios tem um prazo de 30 anos para ser pago, com quatro anos de carência e juros bem acessíveis, de 5,5% ao ano. Com essa parceria, vamos construir 250 quilômetros de metrô, ampliando ou criando novas linhas para atender mais gente, garantindo um transporte coletivo de maior qualidade para as grandes cidades do nosso país. Em São Paulo, por exemplo, vamos expandir a Linha 2 do metrô entre Vila Prudente e Vila Formosa. No Rio de Janeiro, estamos apoiando a ampliação do metrô para ligar a Barra da Tijuca à zona sul da cidade. Em Salvador, o metrô vai ligar a Lapa a Cajazeiras e ao aeroporto, passando pela Avenida Paralela. Em Fortaleza, já concluímos a expansão da Linha Sul, estamos fazendo a Linha Leste e vamos transformar o trem urbano da região oeste em metrô. Estamos concluindo a expansão do metrô do Recife, com obras nas linhas Sul e Centro e liberando recursos para as novas linhas do metrô de Belo Horizonte e para a construção das primeiras linhas em Curitiba e Porto Alegre.

Estamos também construindo VLTs, monotrilhos, trens urbanos e aeromóveis. São R$ 14 bilhões de investimento para essas obras, muitas das quais integradas aos metrôs. Isso porque integração é a palavra-chave do modelo de transporte coletivo que queremos para as nossas cidades. E tenho certeza que isso vai provocar uma enorme diferença na qualidade de vida das pessoas.

 

(*) Esta pergunta, que precede a mensagem, foi formulada pela Secretaria de Imprensa para melhor entendimento do conteúdo.

 

 

Mais Informações
Secretaria de Imprensa da Presidência da República
Departamento de Relacionamento com a Mídia Regional
(61) 3411-1370/1601