Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Conversa com a Presidenta > Conversa com a Presidenta > Mensagem da Presidenta Dilma sobre as ações para a melhoria dos Serviços Públicos

Mensagem da Presidenta Dilma sobre as ações para a melhoria dos Serviços Públicos

por Portal do Planalto publicado 25/06/2013 08h59, última modificação 03/11/2014 17h42

 Coluna semanal da Presidenta Dilma Rousseff 

Mensagem da Presidenta Dilma sobre as ações para a melhoria dos Serviços Públicos 

Nesta segunda-feira nós realizamos uma reunião com os governadores e prefeitos das capitais para definir ações conjuntas em prol da melhoria dos serviços públicos no Brasil. Todos nós, brasileiras e brasileiros, estamos acompanhando com muita atenção as manifestações que ocorrem no país, e que reivindicam a melhoria da saúde, dos transportes públicos, da educação, um combate sistemático à corrupção e ao desvio de recursos públicos, entre outros. Também vou conversar sobre essas questões com os chefes dos poderes Legislativo e Judiciário e já iniciei as conversas com representantes das manifestações pacíficas, das organizações de jovens, das entidades sindicais, dos movimentos de trabalhadores, das associações populares. As manifestações mostram a força de nossa democracia e o desejo da juventude de fazer o Brasil avançar. Se aproveitarmos bem o impulso desta nova energia política, poderemos fazer, melhor e mais rápido, muita coisa que o Brasil ainda não conseguiu realizar devido a limitações políticas e econômicas. Os manifestantes têm o direito e a liberdade de questionar e criticar tudo, de propor e exigir mudanças, de forma pacífica e ordeira. O governo e a sociedade não podem aceitar que uma minoria violenta e autoritária destrua o patrimônio público e privado, ataque templos, incendeie carros, apedreje ônibus e tente levar o caos aos nossos principais centros urbanos. Todas as instituições e os órgãos da Segurança Pública têm o dever de coibir, dentro dos limites da lei, toda forma de violência e vandalismo. Com equilíbrio e serenidade, mas com firmeza, vamos continuar garantindo o direito e a liberdade de todos. A minha geração lutou muito para que a voz das ruas fosse ouvida. Muitos foram perseguidos, torturados e morreram por isso. Sou a presidenta de todos os brasileiros, dos que se manifestam e dos que não se manifestam. A mensagem direta das ruas é pacífica e democrática. O Brasil lutou muito para se tornar um país democrático, e também está lutando muito para se tornar um país mais justo. Não foi fácil chegar onde chegamos, como também não é fácil chegar onde desejam muitos dos que foram às ruas. Só tornaremos isso realidade se fortalecermos a democracia – o poder cidadão e os poderes da República.

MAIS QUALIDADE - Os brasileiros exigem mais qualidade na educação, no atendimento de saúde, no transporte público, na segurança. E para dar mais qualidade, as instituições e os governos devem fazer ainda mais. O foco de nossa mobilização é, em primeiro lugar, a elaboração do Plano Nacional de Mobilidade Urbana, que ampliará o apoio que já estamos destinando ao desenvolvimento do transporte coletivo em diversas cidades do país, acelerar a execução desses investimentos e definir, junto com governadores e prefeitos, novas linhas de ação. Em segundo lugar, a destinação de 100% dos recursos dos royalties do petróleo para a educação. Em terceiro lugar, aceleraremos a adoção de medidas para garantir que todas as unidades do Sistema Único de Saúde, o SUS, contem com um número de médicos adequado ao atendimento da população com qualidade, inclusive com a contratação imediata de milhares de médicos do exterior para eliminar os vazios de atendimento que hoje existem. Outras ações, em diversas áreas, serão adotadas a partir dos entendimentos com os demais Poderes. Precisamos oxigenar o nosso sistema político. Encontrar mecanismos que tornem nossas instituições mais transparentes, mais resistentes aos malfeitos e, acima de tudo, mais permeáveis à influência da sociedade. É a cidadania, e não o poder econômico, quem deve ser ouvida em primeiro lugar.

COPA - Em relação à Copa, quero esclarecer que o dinheiro do governo federal gasto com as arenas é fruto de financiamento e será devidamente pago pelas empresas e pelos governos que estão explorando estes estádios. Os recursos para construção ou reforma dos estádios da Copa não fazem parte do orçamento público e não concorrem com os gastos com Saúde e Educação. Nos últimos anos, aliás, nós ampliamos bastante os gastos com Saúde e Educação, e vamos ampliar cada vez mais. Confio que o Congresso Nacional aprovará o projeto que apresentei para que os royalties do petróleo sejam gastos exclusivamente com a Educação. O meu governo está ouvindo as vozes democráticas que pedem mudança, e será sempre em paz, com liberdade e democracia, que vamos continuar construindo juntos este nosso grande país.

 

 

Mais Informações

Secretaria de Imprensa da Presidência da República

Departamento de Relacionamento com a Mídia Regional

(61) 3411-1370/1601