Conversa com a Presidenta

por Portal do Planalto publicado 30/04/2013 09h03, última modificação 03/11/2014 17h42
Presidenta Dilma conversa em sua coluna semanal sobre mobilidade urbana e Fies

 

 

Coluna semanal da Presidenta Dilma Rousseff

 

 

 

Sandra Helena Gonzaga Pedroso, 51 anos, professora do Rio de Janeiro (RJ) – Quando a presidenta vai estimular a mobilidade urbana com metrô de qualidade, trens e bons ônibus?

 

Presidenta – Sandra, estamos investindo R$ 58,8 bilhões para realizar, em parceria com estados e municípios, obras de mobilidade urbana em municípios de todo o Brasil. São recursos destinados justamente à implementação de sistemas de transporte público coletivo nos grandes centros urbanos para melhoria na qualidade do transporte, diminuição do tempo de deslocamento e aumento na qualidade de vida nas grandes cidades. No PAC Mobilidade Grandes Cidades, lançado em 2011, estamos investindo R$ 32,7 bilhões em 51 municípios com mais de 700 mil habitantes, onde vivem mais de 53 milhões de brasileiros. Com esses recursos, serão construídos sete metrôs, cinco sistemas de Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs), aeromóvel e monotrilho, além de 28 corredores de ônibus. Na cidade do Rio de Janeiro, podemos destacar grandes obras como o BRT do corredor Transcarioca, que liga a Barra da Tijuca ao Aeroporto do Galeão; o VLT que vai ligar o Aeroporto Santos Dumont à Rodoviária Novo Rio; e o BRT Transbrasil, que ligará a Baixada Fluminense ao Centro.  Na região metropolitana teremos a Linha 3 do metrô que liga São Gonçalo a Niterói. Neste ano, foram autorizados investimentos de R$ 8,8 bilhões em obras de mobilidade em 63 municípios com população entre 250 e 700 mil habitantes, no âmbito do PAC Cidades Médias. Todas essas obras irão, com certeza, Sandra, melhorar muito as condições de mobilidade em nossas cidades.

 

Mensagem da presidenta Dilma sobre o financiamento de curso universitário por meio do FIES

O FIES – Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior é um programa com importância crescente para a educação. São 871 mil jovens de todo o Brasil que cursam uma faculdade com esse apoio. Quase 80% deles pertencem a famílias com renda menor que um salário-mínimo e meio por pessoa e, nessa faixa de renda, são até dispensados de fiador. Somente neste ano, 266 mil jovens assinaram contrato com o FIES e pretendemos que esse número chegue a 400 mil financiamentos até dezembro. O FIES financia as mensalidades com juros de apenas 3,4% ao ano e o estudante começa a pagar somente um ano e meio depois de formado. O prazo do parcelamento da dívida é três vezes maior que o da duração do curso, acrescido de um ano. Se o curso dura quatro anos, por exemplo, o pagamento será feito em 13 anos. E há uma vantagem adicional para estudantes de medicina e de licenciatura: se depois de formado o médico for trabalhar no sistema público de saúde, ou o professor for dar aula numa escola pública, abaterão 1% da dívida a cada mês de trabalho, e poderão quitar sua dívida com trabalho em pouco mais de oito anos. Em 2012, mais de 7 mil estudantes de medicina entraram na faculdade por meio do FIES. Ao todo, o programa financia hoje os estudos de 22 mil alunos de medicina e de 82 mil alunos de licenciatura. Isso é fundamental, pois o Brasil precisa aumentar o número de médicos e de professores, especialmente nas periferias das grandes cidades e nos municípios do interior do país. Com o FIES, estamos aumentando também o número de profissionais nas áreas mais procuradas pelas empresas. Como é o caso da engenharia, que tem 150 mil estudantes sendo financiados pelo FIES. É importante que toda família conheça também essa oportunidade que existe para seus filhos. Para conseguir o financiamento do FIES, o estudante necessita fazer o Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, que é também porta de entrada para todos os outros programas de acesso à educação superior, como o ProUni, que oferece bolsas nas faculdades privadas; o SISU, Sistema de Seleção Unificado, para as universidades públicas; as cotas, nas universidades federais; e o Ciência sem Fronteiras, que dá acesso a cursos no exterior. Para obter o financiamento, o estudante precisa estar matriculado em uma faculdade inscrita no FIES. O estudante pode solicitar a inscrição no FIES em qualquer mês do ano, não precisa esperar encerrar o semestre. Mais informações podem ser obtidas na página do MEC na Internet (www.mec.gov.br). Estamos fazendo todo esforço para ajudar nossos jovens a concluir seu curso e não deixar ninguém largar a faculdade por falta de recursos. O Brasil precisa do talento de todos os brasileiros e brasileiras, e também precisa garantir a todos eles o direito de estudar e de melhorar de vida.

 

 

Mais Informações
Secretaria de Imprensa da Presidência da República
Departamento de Relacionamento com a Mídia Regional
(61) 3411-1370/1601