Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 28/06/2011 15h14, última modificação 03/11/2014 17h29
A presidenta Dilma conversa sobre o Plano Brasil sem Miséria, que pretende tirar mais de 16 milhões de pessoas da extrema pobreza

Rádio Nacional, 06 de junho de 2011

Luciano Seixas: Olá, eu sou Luciano Seixas e a partir de agora você acompanha o “Café com a Presidenta”, o nosso encontro semanal com a presidenta Dilma Rousseff. Bom dia, Presidenta.

Presidenta: Bom dia, Luciano. Bom dia a todos os nossos ouvintes.

Luciano Seixas: Presidenta, a senhora está lançando um dos programas mais importantes do seu governo: o Plano Brasil sem Miséria, que pretende tirar mais de 16 milhões de pessoas da extrema pobreza. Como é que o governo vai enfrentar esse desafio?

Presidenta: Olha, Luciano, nós vamos enfrentar a extrema pobreza com muita determinação, porque o Brasil só será um país verdadeiramente rico quando todos os brasileiros tiverem uma boa qualidade de vida e renda para sustentar a si e a sua família. Precisamos incorporar esses 16 milhões de brasileiros. Nos últimos anos, no governo Lula, do qual fiz parte, tivemos um enorme avanço ao tirar 28 milhões da pobreza extrema e elevar 36 milhões às classes médias. Mas, Luciano, precisamos ir além e avançar mais.

Luciano Seixas: E como chegar aos mais pobres, Presidenta?

Presidenta: Sabe, Luciano, nós vamos fazer o que chamamos de busca ativa, que é o seguinte: em vez de as pessoas correrem atrás do Estado para serem atendidas, dessa vez não, Luciano, o Estado vai correr até elas. Nós, por exemplo, temos informações recentes do Censo do IBGE, de famílias que precisam do Bolsa Família, mas que ainda não recebem o que têm direito. A partir de agora, equipes de profissionais vão localizar, cadastrar e incluir nos programas do Bolsa Família, por exemplo, essas famílias que estão em situação de pobreza extrema, para que elas possam ter uma renda. Nosso cálculo é que nessa busca ativa vamos encontrar e incluir no Bolsa Família, mais ou menos, 800 mil famílias até o ano de 2014.

Luciano Seixas: Elas vão entrar num Bolsa Família reformulado. Quais são as mudanças?

Presidenta: Ah, Luciano, são muitas. Nós sabemos que a maioria das pessoas que vive na extrema pobreza, 40% delas são meninas e meninos de até 14 anos. Por isso, vamos ampliar o Bolsa Família. Antes, cada família recebia por até três filhos de zero a 15 anos. Agora estamos passando esse limite de três para cinco filhos, na faixa de zero a 15 anos – o que deve atender mais 1,3 milhão de crianças. Mas não é só isso, não, Luciano. Pobreza também tem a ver com falta de oportunidade de trabalho. Por isso, o Plano Brasil sem Miséria é amplo.

Luciano Seixas: Pois é, o Brasil sem Miséria enfrenta a pobreza extrema por três frentes: garantia de renda, acesso aos serviços públicos e inclusão produtiva. O que é inclusão produtiva, Presidenta?

Presidenta: Inclusão produtiva é direito de ter um trabalho ou de ser um pequeno empreendedor ou, ainda, de ser um produtor rural, um agricultor familiar. E a nossa ideia é dar condições para que as famílias muito pobres possam conquistar um trabalho ou até virar um microempreendedor. Quando nós falamos de inclusão produtiva, estamos falando de oportunidade de emprego e de qualificação profissional, de melhorar a vida das pessoas na cidade e no campo.

Luciano Seixas: O governo vai dar tratamento diferenciado ao agricultor ou trabalhador rural e ao trabalhador das cidades?

Presidenta: Ah, isso é claro, Luciano! O trabalhador ou o agricultor do campo tem necessidades diferentes do trabalhador da cidade. Só vamos resolver os problemas da extrema pobreza se olharmos para essas realidades diferentes e buscarmos soluções diferentes. No campo, vamos oferecer assistência técnica aos agricultores familiares, aos ribeirinhos, aos extrativistas, além de recursos para que eles possam melhorar a sua produção. Também vamos viabilizar acesso à água, luz elétrica e sementes, além de ações para ajudá-los a vender o que produzirem, o que é muito importante, porque isso gera renda e recursos para as famílias no campo.

Luciano Seixas: E na cidade? A gente sabe que emprego tem, mas falta mão de obra qualificada.

Presidenta: É verdade, Luciano. Nos últimos anos, a economia cresceu e a oferta de emprego aumentou muito. Nós queremos que os muito pobres também possam ter acesso a essas novas oportunidades. Mas, para isso, eles precisam se capacitar, aprender uma profissão. Vamos levar qualificação profissional a 1,7 milhão de pessoas e vamos dar a elas a oportunidade de um emprego. Depois de capacitadas, nós vamos ajudá-las a conseguir uma vaga no mercado de trabalho ou incentivá-las a abrir o seu próprio negócio, como empreendedores individuais ou cooperativas.

Luciano Seixas: Presidenta, chegamos ao fim do nosso programa e ainda temos muitas perguntas a fazer sobre o Brasil sem Miséria. Podemos continuar falando disso na próxima semana?

Presidenta: Podemos e devemos, Luciano. Eu gosto muito de repetir: nos últimos anos o Brasil cresceu porque milhões saíram da pobreza extrema. Já imaginou, Luciano, o que vai acontecer com o Brasil, quando acabarmos com a pobreza extrema?

Luciano Seixas: Vai ser muito bom, hein, Presidenta! Então fica marcado: na semana que vem voltamos com outras informações sobre o Plano Brasil sem Miséria. Até lá!

Presidenta: Até a semana que vem, Luciano. Tchau!

Luciano Seixas: Você pode acessar este programa na internet, o endereço é www.cafe.ebc.com.br. Voltamos na segunda-feira, até lá!

Ouça a íntegra da entrevista (06min02s) da Presidenta Dilma no programa Café com a Presidenta