Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 29/07/2013 09h07, última modificação 03/11/2014 17h27
A Presidenta Dilma Rousseff fala sobre o Programa de Ensino Integral Mais Educação, que atingiu 49.300 escolas públicas em todo o país


 

Rádio Nacional, 29 de julho de 2013

 

Luciano Seixas: Olá, bom dia! Eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!

Presidenta: Bom dia, Luciano! E um bom-dia aos ouvintes que nos acompanham aqui no Café!

Luciano Seixas: Presidenta, hoje, eu gostaria de voltar a um assunto muito importante para o futuro do nosso país, que é a educação em tempo integral. O número de escolas públicas com ensino em dois turnos está aumentando, não é?

Presidenta: Olha, Luciano, está sim, viu? Temos ótimas notícias sobre o programa de ensino integral. Nós já estamos levando educação em dois turnos, viu, Luciano, para crianças e adolescentes. São mais de 49.300 escolas públicas em todo o país. Esse é o número de julho, um resultado, Luciano, que reflete o enorme esforço do nosso governo para ampliar o número de alunos do ensino fundamental e médio que estudam em período integral nas escolas públicas. Só em 2013, nós já investimos R$ 1,8 bilhão nesse programa de educação integral. A maior parte dos recursos, Luciano, é repassada diretamente para a escola contratar monitores e professores, comprar material e preparar os espaços para receber as crianças nas atividades do chamado contraturno, que é o segundo turno. Além disso, Luciano, o MEC também repassa um recurso a mais para as prefeituras com o objetivo de garantir alimentação de quem fica o dia todo na escola.

Luciano Seixas: Presidenta, e por que a educação em tempo integral é tão importante?

Presidenta: Olha, Luciano, a educação em dois turnos é importante para o aluno, é importante para a família do aluno e para todo o nosso país. Em primeiro lugar, Luciano, porque o ensino em dois turnos melhora muito o aprendizado das crianças e dos adolescentes. Nenhum país do mundo chegou a se transformar em uma nação desenvolvida sem que as crianças tenham dois turnos na escola, nos colégios. No turno complementar, no segundo turno, Luciano, os alunos têm várias atividades e a principal delas é o acompanhamento pedagógico obrigatório, com aulas de reforço escolar em matemática, português, ciências e uma língua. Além disso, a criança que passa o dia na escola está mais bem cuidada e mais orientada, o que é uma tranquilidade para toda a família, especialmente para as mães, não é, Luciano? Pode também praticar esportes e participar de atividades culturais, Luciano, isso ajuda a melhorar a disciplina e a concentração. Sabe, Luciano, o principal caminho para o desenvolvimento sustentável, para a valorização da própria sociedade brasileira reduzindo as desigualdades é a educação. Dar a todas as crianças as mesmas chances desde cedo, as mesmas oportunidades. É isso que significa desenvolvimento sustentável. Por isso, nossa meta é chegar com educação em dois turnos a 60 mil escolas até 2014. E a nossa prioridade, Luciano, tem sido as escolas onde estão as crianças mais pobres, que são aquelas que recebem o Bolsa Família, como você sabe.

Luciano Seixas: Quantas escolas com maioria de alunos do Bolsa FamÌlia estão no Programa de Ensino Integral Mais Educação, presidenta?

Presidenta: São 32 mil escolas de tempo integral em que a maioria dos seus alunos são originários de famílias que recebem o Bolsa Família. Como eu te falei, o nosso objetivo é justamente atender as crianças mais vulneráveis e dar a elas a oportunidade de estudar e melhorar de vida.

Luciano Seixas: Presidenta, a senhora pode dar mais detalhes para a gente sobre as atividades que as crianças fazem no turno complementar?

Presidenta: Claro, Luciano. Vamos lá, olha, no turno complementar, a criança passa a maior parte do tempo estudando matemática e português. O estudante recebe reforço nas matérias que tem mais dificuldade, como, por exemplo, em ciências, em história, geografia e língua estrangeira. Isso é o principal, porque facilita o aprendizado e melhora o desempenho do aluno. Além disso, Luciano, as crianças praticam esportes, praticam basquete, vôlei, futebol, judô. Elas também, Luciano, participam de atividades ligadas à arte: teatro, dança, música, que estimulam, como você sabe, a criatividade, o que é muito importante para uma educação integral.

Luciano Seixas: Presidenta, as escolas do campo também participam do Programa de Ensino Integral Mais Educação?

Presidenta: Participam sim, Luciano. Para você ter uma ideia, Luciano, no meu governo, 19.700 escolas do campo aderiram ao nosso programa de ensino em dois turnos. Nessas escolas, além do acompanhamento pedagógico obrigatório em português e matemática, os alunos ainda têm atividades ligadas à realidade do campo, à realidade da agricultura, que ampliam os seus conhecimentos e suas habilidades. Enquanto participa, por exemplo, do cultivo de uma horta, a criança aprende noções de ciência, o que deixa a aula muito mais interessante, porque ela consegue ver, na prática, aquilo que está aprendendo.

Luciano Seixas: Presidenta, a educação integral está melhorando o aprendizado dos alunos?

Presidenta: Olha, Luciano, com certeza. Temos muitas histórias de sucesso de escolas que implantaram o ensino em dois turnos e deram um salto de qualidade, o que acaba sendo refletido no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o Ideb. E isso se deve aos dois turnos, Luciano, e à qualidade dos professores também. Veja o que aconteceu, por exemplo, com a Escola Municipal Beatriz Rodrigues da Silva, de Palmas, no Tocantins, que há quatro anos participa do programa de ensino em dois turnos, de ensino integral Mais Educação. Hoje, Luciano, essa escola oferece atividades complementares para 468 estudantes do segundo ao sétimo ano. Depois da implantação do turno complementar, do segundo turno, com aulas de reforço, oficinas de letramento e atividades recreativas, o aprendizado dos alunos melhorou muito. Olhe bem, Luciano, a nota da escola no Ideb pulou de 4,7, lá em 2007, para 8,0, em 2011. É uma evolução fantástica, que motivou alunos, professores e toda a comunidade. O que me deixa satisfeita, Luciano, é que temos vários desses exemplos espalhados por todo o Brasil, o que nos estimula muito a seguir em frente, a continuar expandindo o número de escolas públicas com ensino em tempo integral.

Luciano Seixas: Presidenta, a conversa está boa, mas, infelizmente, o nosso tempo chegou ao fim. Obrigado por mais esse Café.

Presidenta: Obrigada, Luciano. Uma boa semana para você e para os nossos ouvintes que nos acompanharam até agora. Até a semana que vem!

Luciano Seixas: Você que nos ouve pode acessar o Café com a Presidenta na internet, o endereço é www.cafe.ebc.com.br. Nós voltamos na próxima segunda-feira. Até lá!

 

Ouça a íntegra da entrevista (07min11s) da Presidenta Dilma