Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 25/02/2013 09h02, última modificação 03/11/2014 17h28
Presidenta Dilma fala sobre os brasileiros e brasileiras que saíram da extrema pobreza desde o lançamento do Plano Brasil sem Miséria, em 2011

Rádio Nacional, 25 de fevereiro de 2013


 

Luciano Seixas: Olá, bom dia! Eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!

Presidenta: Bom dia, Luciano! E bom dia para você que nos acompanha aqui no Café!

Luciano Seixas: Presidenta, na semana passada, a senhora anunciou um fato histórico para o país. Conta para a gente, presidenta, que anúncio foi esse.

Presidenta: Olha, Luciano, foi um avanço muito importante para o país e para todos os brasileiros, porque, a partir de março, mais 2,5 milhões de pessoas vão deixar a extrema pobreza. Mas o que é a notícia nova, Luciano? É que eles são os últimos brasileiros dos 36 milhões que recebem o Bolsa Família a saírem da pobreza extrema. São os últimos, Luciano. Agora, cada um vai receber mais de R$ 70,00 e, por isso, vão sair da extrema pobreza. Veja, Luciano, que 22 milhões de brasileiros e brasileiras saíram da miséria desde o início do meu governo quando lançamos o Plano Brasil sem Miséria, em 2011. Realmente, Luciano, esse é um fato histórico que superou prazos, superou metas. Isso significa que viramos uma página, uma página decisiva de uma longa história de exclusão social e agora nós damos mais um passo para construir um Brasil sem miséria.

Luciano Seixas: Presidenta, o que o governo está fazendo para tirar esses últimos brasileiros do Bolsa Família da extrema pobreza?

Presidenta: Funciona assim: nós complementamos até R$ 70,00 a renda mensal de cada pessoa da família. Por exemplo, se ela não ganhar nada, ela recebe R$ 70,00. Se ela ganhar alguma renda por algum trabalho que exerça e essa renda for menor que R$ 70,00 mensais, essa pessoa recebe a diferença até que sua renda chegue aos R$ 70,00 mensais. Em resumo, vamos pagar a mais o que falta para que a renda mensal de cada pessoa da família cadastrada no Bolsa Família seja de pelo menos R$ 70,00.

Luciano Seixas: Presidenta, com o Brasil Carinhoso, o governo já pagava um benefício maior para as famílias mais pobres do Bolsa Família, não é mesmo?

Presidenta: É isso mesmo, Luciano. Com o Brasil Carinhoso, desde o ano passado, o governo está garantindo a cada pessoa das famílias com filhos de zero a 15 anos de idade uma renda de R$ 70,00 por mês. O enorme sucesso do Brasil Carinhoso, Luciano, nos mostrou o caminho, que era possível e que nós podíamos avançar ainda mais e garantir, a todas as famílias brasileiras que recebem o Bolsa Família, uma renda de pelo menos R$ 70,00 por pessoa, tirando-as da chamada pobreza extrema. A partir de agora, Luciano, vamos encontrar e tirar da miséria os brasileiros e as brasileiras que ainda não estão nos nossos cadastros. Vencemos a pobreza extrema visível e agora vamos atrás da pobreza extrema invisível, aquela que teima em fugir dos nossos olhos e dos nossos programas sociais.

Luciano Seixas: Presidenta, o governo sabe quantas pessoas ainda não recebem o Bolsa Família?

Presidenta: A gente calcula, sabe, Luciano, que 700 mil famílias em situação de extrema pobreza ainda estejam fora do Cadastro Único do governo e, assim, não recebem o benefício. Para você ter uma ideia, a maioria dessas famílias nem sabe que tem direito aos nossos programas sociais. Por isso, nós é que precisamos de ir atrás de cada uma delas para incluí-las no Bolsa Família. Esse esforço, Luciano, tem sido bem sucedido, porque antes faltavam até mais pessoas. Com a Busca Ativa, Luciano, desde 2011 até hoje, para você ter uma ideia, nós conseguimos localizar 800 mil famílias, que passaram, então, a receber o Bolsa Família e assim saíram da miséria. Vamos continuar nesse esforço, Luciano, buscando as 700 mil famílias que ainda faltam. Contamos com a valiosa parceria das prefeituras e dos estados para percorrer as periferias das grandes cidades, as comunidades ribeirinhas e extrativistas lá na Amazônia, procurar no semiárido do Nordeste e no Nordeste em geral, nas áreas rurais e em todos os cantos desse enorme país, identificando as pessoas em situação de extrema pobreza e dando a elas o acesso a todas as ações do Brasil sem Miséria.

Luciano Seixas: Presidenta, nesses dez anos do Bolsa Família, a vida de muita gente mudou, não é mesmo?

Presidenta: Ah, mudou sim. Melhorou muito, viu, Luciano? Temos milhares de histórias emocionantes para contar. São histórias de homens e mulheres que, ao serem incluídos no Bolsa Família, conseguiram mudar o rumo de suas vidas para muito melhor. Veja você, por exemplo, Luciano, a história do Cícero Gomes, que mora lá na cidade de Formosa, em Goiás. O Cícero e a mulher dele, a Daurineide, eles começaram a receber o Bolsa Família em uma época muito difícil, quando o Cícero e a Dalrineide não tinham emprego certo e ainda viviam de bico. Naquele tempo, os R$ 96,00 que eles ganhavam do Bolsa Família ajudaram a garantir a comida e o material escolar das crianças. Hoje, a vida da família do Cícero está muito melhor e o Bolsa Família abriu muitas possibilidades para toda a família. O Cícero nos conta com alegria que, além de complementar a renda, o fato de receber o Bolsa Família e estar no Cadastro Único o ajudou a conseguir uma aula em um curso de eletricista do Senai pelo Pronatec. Os filhos dele também conseguiram aulas em uma escola do nosso programa de ensino integral, o Programa Mais Educação, com aula de reforço de português e matemática no período da tarde. É isso que nós queremos para todos os brasileiros: oportunidade de emprego, de renda, de casa própria, mais educação, treinamento profissional. É por isso que eu sempre digo, Luciano, que o fim da miséria é só um começo, mas é m grande começo, Luciano.

Luciano Seixas: É, presidenta. É o começo de uma nova vida para muita gente e de mais ações do governo para criar oportunidades para essas famílias, não é?

Presidenta: É sim, Luciano. Para os adultos, é necessário melhorar o seu pequeno negócio ou arranjar um emprego melhor. O Pronatec é um ótimo exemplo de começo, sabe, Luciano, porque lá nós oferecemos as vagas para qualificação profissional pelo Senai, pelo Senac, pelos institutos federais tecnológicos do MEC. São cursos de qualidade, Luciano, e o governo federal paga a aula, o lanche e o transporte.

Luciano Seixas: E para as crianças, a oportunidade é a educação não é mesmo, presidenta?

Presidenta: Nós queremos, Luciano, que todas as crianças tenham a oportunidade de frequentar uma boa escola. Por isso, estamos estimulando os prefeitos e as prefeitas das nossas cidades a aumentarem as vagas nas creches. Além de financiar a construção da creche, nós estamos repassando recursos para ajudar, Luciano, na manutenção das escolas. Se a criança da creche for do Bolsa Família, o governo federal vai repassar mais 50% de recursos. É também, Luciano, muito importante que as nossas crianças frequentem as escolas de tempo integral. Essas escolas de tempo integral auxiliam a criança, melhoram o ensino, melhoram seu desempenho. Nós já estamos nesse caminho. Hoje, em mais da metade das 32 mil escolas públicas que oferecem ensino em tempo integral, as crianças do Bolsa Família já são a maioria dos matriculados.

Luciano Seixas: Presidenta, infelizmente, o nosso tempo chegou ao fim. Mas eu tenho certeza que o programa de hoje vai entrar para a história.

Presidenta: Ah, vai sim, Luciano. É uma grande felicidade poder celebrar o fato de que todos os brasileiros e todas as brasileiras que recebem o Bolsa FamÌlia cadastrados até agora tenham saído da extrema pobreza. Quero repetir para todos, Luciano, que o fim da miséria é só um começo. Vocês também podem ter certeza que o meu governo vai continuar trabalhando firme para construir um país cada vez mais justo, cada vez mais desenvolvido, com oportunidade para todos. Uma boa semana para todos os nossos ouvintes e para você, Luciano!

Luciano Seixas: Obrigado, presidenta. E o Café com a Presidenta também pode ser acessado pela internet. O endereço é www.cafe.ebc.com.br. Nós voltamos na próxima segunda-feira. Até lá!

 

Ouça a íntegra da entrevista (08min51s) da Presidenta Dilma