Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 14/01/2013 08h41, última modificação 03/11/2014 17h28
Presidenta Dilma fala sobre o Sisu e a aplicação da Lei de Cotas nessa seleção, o ProUni e o Enem

 

Luciano Seixas: Olá, bom dia! Eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!


Presidenta: Bom dia, Luciano! E bom dia para você que nos acompanha aqui no Café! 

Luciano Seixas: Presidenta, hoje, eu queria conversar com a senhora sobre o Sistema de Seleção Unificada, o Sisu, que oferece vagas nas universidades públicas e nos institutos federais de educação. Muitos jovens fizeram a inscrição, não é mesmo?

Presidenta: É verdade, Luciano. Mais de 1,9 milhão de estudantes de todo o país fizeram inscrição no Sisu, na semana passada. Isso é muito bom, Luciano, porque o Sisu tem sido fundamental para ampliar e democratizar o acesso dos jovens à educação superior. Para você ter uma ideia, nesse primeiro semestre, o Sisu está oferecendo mais de 129 mil vagas, em 3.752 cursos de 101 universidades públicas e de institutos federais de educação. A seleção, Luciano, é feita com base na nota que o estudante tirou no Enem, o Exame Nacional do Ensino Médio.

Luciano Seixas: E o resultado do Sisu vai ser divulgado hoje, não é, presidenta?

Presidenta: É sim, Luciano. e eu tenho certeza que todos os estudantes que fizeram a inscrição no Sisu estão ansiosos pelo resultado, porque esse, Luciano, é um momento muito especial na vida de uma pessoa. Além de realizar o sonho de ter uma profissão, entrar em uma universidade, Luciano, significa, para muitos jovens, a chance de melhorar de vida. 

Luciano Seixas: E o Sisu agora tem uma novidade. Conta para a gente que novidade é essa, presidenta.

Presidenta: Olha, Luciano, você lembra que eu sancionei, no ano passado, a Lei de Cotas? Pois é, Luciano, essa lei já está valendo para essa seleção do Sisu. Isso significa que as 43 universidades federais e os 40 institutos federais de educação que estão participando do Sisu reservaram, pelo menos, 12,5% de suas vagas para os estudantes das escolas públicas. E metade dessa cota está reservada para estudantes de baixa renda, para negros e para índios. Com isso, avançamos, Luciano, no nosso compromisso de ampliar o acesso à educação superior e, também, saldamos uma dívida histórica do Brasil com os mais pobres e com as suas famílias. 

Luciano Seixas: Mas, presidenta, às vezes é difícil para o estudante mais pobre pagar as despesas de um curso superior.

Presidenta: É, Luciano, você tocou em um ponto muito importante. É por isso que, a partir do primeiro semestre do curso, nós vamos pagar uma bolsa de R$ 400,00 para os alunos cotistas com renda familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa e jornada igual ou superior a cinco horas diárias. Esta bolsa, Luciano, vai ser renovada de acordo com o desempenho do aluno no curso. Se ele se dedicar e alcançar bons resultados, ele vai receber esse apoio do governo durante todo o curso. 

Luciano Seixas: Presidenta, o Programa Universidade para Todos, o ProUni, também ajuda os estudantes mais pobres a fazer uma faculdade, não é?

Presidenta: É claro, Luciano, o ProUni ajuda e muito. Você sabe: 1,1 milhão de jovens já receberam uma bolsa do Prouni para estudar em uma universidade particular. E as inscrições para as bolsas de 2013 começam agora, nesta quinta-feira, dia 17 de janeiro. Todos os estudantes que fizeram o Ensino Médio em uma escola pública e que tenham renda familiar de até três salários mínimos por pessoa podem fazer a inscrição. Mas é preciso, Luciano, que o estudante tenha tirado uma boa nota no Enem. 

Luciano Seixas: O Enem é mesmo muito importante para democratizar o acesso à educação superior, não é, presidenta?

Presidenta: Ah, é sim, Luciano. Veja você que a nota do Enem vale para o Sisu, para o ProUni e também, Luciano, para os vestibulares de muitas universidades públicas. Vale também para o Ciência sem Fronteiras. Com o Sisu, por exemplo, o estudante pode tentar uma vaga em várias universidades ao mesmo tempo. Foi o que aconteceu, por exemplo, com a Liliane de Oliveira, lá de Japeri, no Rio de Janeiro. A Liliane, ela queria muito estudar Ciência da Computação, mas ela não conseguiu passar no vestibular de uma universidade pública e a família dela não tinha como pagar uma universidade particular. Mas aí, Luciano, a Liliane ficou sabendo do Sisu e fez a inscrição para o curso que ela queria. Com a nota do Enem, a Liliane foi selecionada pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Isso aconteceu em 2010 e hoje ela já está no sexto semestre. O Sisu deu à Liliane a chance de concorrer a mais de uma vaga com uma única prova, que é o Enem. E, para quem fez o Ensino Médio em uma escola pública, como a Liliane, a inscrição para o Enem sai de graça. 

Luciano Seixas: É, presidenta, o governo está mesmo empenhado em ampliar as oportunidades de acesso à universidade.

Presidenta: Nós sabemos que a educação, Luciano, é o principal instrumento para reduzir as desigualdades e construir um país mais justo e mais desenvolvido. É por isso que nós vamos, cada vez mais, garantir que jovens tenham acesso à universidade. Também, Luciano, queremos ajudar as pessoas que sempre sonharam fazer uma universidade e não tiveram essa chance antes. Porque uma pessoa com um curso superior tem muito mais oportunidades de melhorar a sua vida, a vida da sua famÌlia, a vida de seu país. 

Luciano Seixas: Presidenta, infelizmente, o nosso tempo hoje chegou ao fim. Obrigado por mais esse Café.

Presidenta: Olha, Luciano, obrigada. E uma boa semana para você e para os nossos ouvintes. 

Luciano Seixas: Você que nos ouve pode acessar o Café com a Presidenta na internet. O endereço é www.cafe.ebc.com.br. Nós voltamos na próxima segunda-feira. Até lá!

Confira a íntegra da entrevista (06min 29s) da Presidenta Dilma.